Atualidades, Histórias

Chaumet apresenta exposição ‘Uma educação sentimental’

Chaumet

Uma proposta de espírito muito primaveril: inspirada pelo famoso romance de Gustave Flaubert, publicado em 1869, a Chaumet apresenta a exposição Uma educação sentimental, uma mostra de peças históricas da marca que de alguma forma estão associadas a histórias de amor. As criações apresentadas são peças únicas que foram criadas para celebrar ou marcar eventos igualmente únicos. No âmbito da exposição, a Chaumet lançou ainda a coleção Escapade de Chaumet, em edição limitada.

Desde o passado dia 6 de fevereiro, a Chaumet tem patente, no seu Musée Éphémère, em Paris a exposição Une Éducation Sentimentale que, de acordo com a marca, «recupera o legado da joalharia sentimental desde a época do Primeiro Império até aos nossos dias», com apresentação de joias, ilustrações e fotografias de peças históricas que de alguma forma estão associadas à temática do amor. A mostra surge no seguimento de uma exposição anterior dedicada a criações de inspiração bucólica.

© Chaumet

Peça com pérolas que costumava ser usada para embelezar penteados, na Belle Époque. © Chaumet

Na exposição Une Éducation Sentimentale, estão, assim, em causa peças excecionais, raramente apresentadas, tais como diademas, medalhas, pulseiras, pendentes, pregadeiras, colares e relógios que foram criados para celebrar momentos únicos e que se tornaram símbolos de amor. Entre as peças históricas mencionadas, destaque para um conjunto de entalhes composto por um colar, um par de brincos e uma pregadeira, datado de 1805, e cujas figuras representadas sintetizam a vida no Império Romano. Este conjunto é apenas um exemplo de muitas das peças Chaumet que terão pertencido a Joséphine Beauharnais, já que o fundador da marca foi nomeado pela imperatriz como seu joalheiro oficial, em 1805.

© Chaumet

Uma pregadeira Pierrot que, tradicionalmente, tende a ser oferecida entre amantes para reforçar os seus sentimentos. © Chaumet

Também em destaque, referimos uma delicada pulseira porta-canetas encomendada como prenda de casamento para marcar a ligação entre a casa de Orléans e a dinastia industrial Schneider. No que diz respeito a relógios, não poderíamos deixar de referir um delicioso relógio Forget-me-not, que se pensa ter sido encomendado pelo Marquês de Montesquiou, e que permite guardar, longe de olhares indiscretos, uma foto da pessoa amada.

Forget-me-not © Chaumet

Relógio Forget-me-not. © Chaumet

Para reforçar o mote desta mostra, a Chaumet apresenta ainda uma seleção de fotos de casais famosos cujas histórias estão especialmente ligadas à casa joalheira francesa; além disso, a marca convida à redescoberta da coleção Liens, que inclui relógios e peças de alta-joalharia, e da nova coleção Escapade de Chaumet, uma edição limitada de anéis e pulseiras especialmente criada no âmbito da exposição.

© Chaumet

As diferentes versões joalheiras dos relógios que incluem a coleção Liens. © Chaumet

Une Éducation Sentimentale estará patente até ao próximo dia 24 de fevereiro de 2016. Vale a pena recordar a reportagem «Diademas da casa Chaumet», publicada no número 42 da Espiral do Tempo. ET_simb

Consulte o site oficial da Chaumet para mais informações.