Novidades, Relógios

NOVIDADES – Lange 1 Time Zone Honey Gold: «Honey, I bought a new Lange!»

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_10

A marca alemã A. Lange & Söhne estreia hoje, em simultâneo nas suas 16 boutiques de todo o mundo, uma limitadíssima série do seu icónico Lange 1 Time Zone. A Espiral do Tempo tentou descobrir o que torna este relógio tão apetecível para os colecionadores da bela relojoaria.

22 anos e um dia mais tarde…

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_12

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_14

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Na história recente da marca A. Lange & Sohne (ALS), o modelo Lange 1 ocupa um lugar de destaque. Junto dos seu pares Saxonia, Tourbillon Pour le Mérite e Arkade, integrou em 1994 o elenco da nova coleção ALS, apresentada pela dupla de sucesso Walter Lange, bisneto do fundador Ferdinand Adolf, e Günter Blümlein, na altura responsável máximo das marcas Jaeger-LeCoultre e IWC. A apresentação oficial decorreu no palácio residencial de Dresden, no dia 24 de outubro de 1994, há 22 anos e um dia… Segundo os representantes da marca, os tempos eram outros e a imprensa só conseguiria publicar a notícia no dia seguinte (25 de outubro, portanto), isto é há precisamente 22 anos! Por esse motivo e desde então, nas fotografias da marca, o número 25 surge sempre na janela sobredimensionada da data que distingue o Lange 1.

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_08

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_03

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Pouco tempo depois da apresentação em 1994, tive o privilegio de privar vários vezes com o carismático Günter Blümlein. Dotado de uma energia invejável, este gestor poliglota ficará sem dúvida como o homem forte por trás do renascimento da marca. Numa clara referência ao emblemático relógio do Opera Semper em Dresden, aposta em dotar três dos quatro novos modelos com uma data grande, ou ‘panorama datum’. Num objeto mecânico cuja primeira função é de indicar as horas e os minutos, esta nova patente surpreendeu toda a profissão. Excelente para quem já não tem cumprimento dos braços para fingir que não precisa de óculos (!), a data ganhava de repente o protagonismo que merecia há muito. Proeza mecânica dos engenheiros da nova ALS, tornou-se, sem dúvida e durante muitos anos, a assinatura da marca, inclusive após ter sido inevitavelmente copiada por alguns concorrentes.

Honey gold ou ouro ‘cor de mel’

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_11

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Lange 1 Time Zone Honey Gold (à esquerda) e Lange 1 Time Zone (à direita). © Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Uns dos interesses desta peça reside na utilização de um ouro chamado honey gold ou ouro cor de mel. Os representantes da marca afirmam que esta liga nova, cujos componentes exatos são mantidos em segredo, permite endurecer a caixa do relógio 300 vickers contra um máximo de 200 para um ouro tradicional. Visualmente, e à luz interior da boutique na avenida da Liberdade, em Lisboa, a tonalidade aproxima-se mais de um amarelo muito claro, quase branco, fugindo ao habitual ouro vermelho dos outros Lange 1 Time Zone. Exposta à luz natural, a caixa volta a ganhar uns tons quentes, sem nunca igualar o ouro vermelho. Para além da caixa com tratamento mate e polido, o ouro cor de mel encontra-se também no fecho de báscula e no tom usado nos ponteiros.

Outras singularidades

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_13

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_01

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Mas a utilização do ouro cor de mel não é o único detalhe a destacar. Neste Lange 1 Time Zone, a A. Lange & Söhne trocou a cidade de Berlim, no anel das cidades relativas aos fusos horários, por Dresden, em referência clara ao lugar onde decorreu o relançamento da marca e à própria cidade do fundador F.A. Lange. Por outro lado, os dois pequenos meios-círculos em azul, situados nos dois contadores de 24 horas, tanto no disco principal como no pequeno disco, substituíram a cor vermelha do modelo original. Uma opção cromática acertada no contexto da nova tonalidade do ouro da caixa, ponteiros e indexes.

Happy End

Lange_1_Time_Zone_Honey_Gold_09

© Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Limitar um modelo Lange 1 Time Zone a 100 relógios deveria ser argumento suficiente para seduzir os amantes da marca e os curiosos que têm seguidos ultimamente a sua evolução notável no seio muito reduzido da alta-relojoaria. Ao optar pelo ouro cor de mel, já utilizado recentemente em versões dedicadas aos 150 anos da marca, os responsáveis de produto conseguiram potenciar ainda mais o sucesso previsível deste modelo. O Lange 1 Time Zone já era, juntamente com o Zeitwerk, o meu Lange preferido pela originalidade da data, pelos ponteiros descentrados das horas e dos minutos, pelos 24 fusos horários e um je ne sais quoi de elegância aristocrática germânica. Esta série limitada encantou toda a nossa equipa editorial que teve acesso à peça, no âmbito do evento de apresentação. O relógio está unicamente disponível nas boutiques A.Lange & Söhne. ET_simb

Lange 1 Time Zone Honey Gold

© A. Lange & Söhne

Ficha técnica

A. Lange & Söhne
Lange 1 Time Zone Honey Gold
Série limitada: 100 relógios

Referência/ 116.050
Movimento/ Corda manual. Calibre Lange L031.1, com duplo tambor de corda, platina e pontes em prata alemã, galo do balanço gravado e personalizado à mão, 417 componentes. 21.600 alt/h e 72 h de reserva de corda.
Funções/ Horas, minutos, pequeno segundos, data grande, indicação dia/noite para a hora principal, indicação de segundo fuso horário (horas e minutos), bem como de 24 cidades de referência, indicação da reserva de corda.
Caixa Ø 41,9 mm /Caixa em ouro cor de mel, 11 mm de espessura, vidro e fundo em vidro de safira.
Mostrador/Prata maciça.
Preço/ € 58.400

Save