Histórias, Perfil

Valérie Messika em entrevista exclusiva

Valérie Messika

EdT57 — Valérie Messika não canta (como Marilyn Monroe em Gentlemen Prefer Blonds), mas encanta. E muito. Não só pela intensa paixão que deixa transparecer pela mais romântica das pedras preciosas, como também pelo terno lado pessoal e familiar inerente à marca de joalharia que lançou em 2005. Quanto às suas criações, as palavras pouco dizem. Porque quando se encara com gosto especial aquilo que se faz, tudo ganha outra dimensão. No caso específico da Messika Joaillerie, cada peça fala por si.

Versão integral da entrevista publicada no número 57 da Espiral do Tempo (inverno 2017)

Voltando atrás no tempo, o que é que uma menina que cresce a ver o pai como nome de referência na área dos diamantes responde quando se pergunta: o que quer ser quando for grande?
Quando era mais jovem, queria ser arquiteta de interiores. Depois, apercebi-me de que queria seguir a herança e o trabalho do meu pai com os diamantes. No entanto, revejo-me muito na arte, especialmente nas artes modernas. Adoro decorar todos os meus espaços, nomeadamente o meu escritório e a minha casa de campo com arte.

Valérie Messika

Atelier Messika Haute Joaillerie. © Eugénie Martinez

Valérie Messika

Casa de campo Messika © Pierre Vérez

A pergunta anterior prende-se naturalmente com a atividade do seu pai. Foi ele que lhe ofereceu a sua primeira joia com diamantes?
Não, a minha primeira joia com diamantes foi um presente da minha avó. No meu 18.º aniversário, ela ofereceu-me um incrível anel com um diamante de talhe coxim que já era da sua mãe. Vou guardar esta joia até ao 18.º aniversário da minha filha e, depois, vou oferecer-lhe este incrível presente.

Valérie Messika

Pulseira Cassiopée, Savoir Faire. © Messika Joaillerie

A Messika Joaillerie foi fundada em 2005. Com que objetivo e com que motivação?
Comecei a trabalhar com diamantes quando era ainda muito jovem. De início, criei as minhas próprias peças de joalharia. Alguns dos meus amigos gostaram muito das minhas primeiras criações e insistiram para que lançasse mais peças de joalharia. Comecei por desenhar também as peças. Foi assim que tudo começou. O meu objetivo foi criar peças elegantes com diamantes para serem usadas numa base do dia a dia. Um misto entre peças contemporâneas e intemporais, mas sempre com um twist de modernidade.

Valérie Messika

Messika Haute Joaillerie Pulseira Toi & Moi, Coleção Skinny © Messika Joaillerie

Considera que a sua marca é também uma homenagem ao percurso do seu pai?

Se o meu pai não trabalhasse no negócio dos diamantes, acho que eu não estaria aqui. A paixão dele é o ponto de partida desta bonita história.

Pode dizer-nos a razão pela qual os diamantes têm um significado tão especial para si?
Os diamantes são o meu ADN, a minha herança. É preciso ter paciência para descobrir a sua forma única e compreender como apreciar a luz única de cada um. Quando compreendemos a viagem que a pedra já fez, só podemos sentir respeito. A Terra levou milhões de anos a criar este tesouro; depois, um mestre de cravação com um talento único otimizou a forma e o brilho. Finalmente, chegamos nós com toda a nossa humildade, armados com toda a nossa precisão e perícia, como elo final nesta cadeia, para criar uma cravação especial para esta joia. São necessárias milhares de horas de trabalho para dar vida a estes trabalhos de cravação únicos, incluindo processos de design, de joalharia, de cravação e de polimento.

Valérie Messika

Messika Haute Joaillerie coleção privada: diamante cognac, em talhe pera (37,5 ct). © Messika Joaillerie

A quem se destinam as joias Messika?
Nós não temos um cliente típico. Como a nossa gama de produtos é realmente abrangente e oferecemos muitos e diferentes tipos de design, os nossos clientes são como que a nossa joalharia ‘multifacetada’ — a jovem que recebe o seu primeiro diamante aos 18 anos, a jovem ativa trabalhadora que compra a sua própria joalharia, a senhora de 60 anos que procura uma peça especial para um evento… A joalharia Messika é feita para diferentes tipos de mulher e de homem: os nossos clientes podem ser românticos, um pouco rock, ou até ligeiramente nervosos… Eu criei as minhas coleções em torno de quatro valores: leveza, liberdade, pureza e sensualidade.

Valérie Messika

Colar Cravate Théa © Messika Joaillerie

Quando lemos um pouco sobre a Messika, refere-se que a marca surgiu enquanto rutura com o mundo austero e exclusivo associado às joias com diamantes. Ao criar joias para os tempos de hoje e pensadas também para serem usadas no dia-a-dia, acha que são joias que mantêm o espírito de intemporalidade tão associado ao diamante?
As minhas joias não são criadas para ficar no cofre. Se posso dar um conselho a todas as mulheres no mundo é que usem as suas joias no dia a dia. Eu crio elegantes peças com diamantes para serem usadas no dia a dia. Um misto moderno entre peças intemporais e contemporâneas, mas sempre com uma pequena torção. Gosto de que as minhas criações sejam confortáveis e defendo que a mulher deve poder viver a sua vida sem se sentir incomodada por utilizar joalharia excessivamente pesada. Por isso, sim. Acho que as minhas criações irão manter o espírito de intemporalidade geralmente associado aos diamantes.

Valérie Messika

Colar Persee, Savoir Faire. © Pierre Verez

Que tipo de emoções pretende que as suas criações despertem em quem as usa e em quem as contempla no corpo de outrem?
As joias têm de ser confortáveis e sublimes… É realmente muito importante que a mulher se sinta bonita e livre nos seus movimentos quando está a usar as minhas coleções.

Valérie Messika

Brincos Move Joaillerie Pavé L © Messika Joaillerie

Apesar de o conceito da marca ter como base os diamantes, já alguma vez lhe ocorreu incluir outras pedras preciosas em futuras criações?
O diamante é o meu ADN e, provavelmente, nunca irei trabalhar com outra pedra. Eu prometi duas coisas ao meu pai: nunca copiar e permanecer focada nos diamantes. Como disse antes, esta paixão é a minha herança.

Valérie Messika

Pulseira Cassiopée © Messika Joaillerie

A linha Move surge como uma das mais conhecidas. O que tem esta linha de tão apelativo?
Desde menina, o meu pai, sendo um dos principais empresários nos diamantes a nível mundial, trazia para casa alguns diamantes incríveis. Sempre me deixou brincar com eles. Ele costumava deixar o diamante deslizar entre os seus dedos. Os três diamantes amovíveis da minha icónica coleção Move foram criados a partir desta memória. Um verdadeiro símbolo do amor de ontem, de hoje e de amanhã, esta coleção é um best-seller, representando assim para a Messika a liderança de mercado no que respeita a vendas. A coleção Messika representou 55% das vendas de joalharia em 2015. Uma peça de joalharia Move é vendida a cada 20 minutos em todo o mundo. Em 2017, iremos celebrar o 10.º aniversário da coleção Move. As adições Move serão boas surpresas!

Valérie Messika

Pulseira Move Romane, Coleção Move Joaillerie. © Messika Joaillerie

Inspiração para as peças — onde se inspira? Os nomes das coleções surgem antes ou depois de as criações ganharem vida?
Eu inspiro-me numa série de coisas, a toda a hora. É como ginástica para os olhos! Estou sempre à procura de inspirações nas minhas viagens, através da arquitetura, do design de interiores (algo pelo qual sou completamente apaixonada), enquanto passeio pelas ruas e observo a atitude e o estilo das pessoas. Os nomes das coleções são escolhidos depois de as joias estarem criadas. A joia é sempre o ponto de partida.

Valérie Messika

Valérie Messika com peças GlamAzone. © David Ferrua

Desenha em função das pedras que tem disponíveis ou as pedras são escolhidas para depois encaixar num design prévio?
Normalmente, desenho as minhas peças a partir das pedras. Gosto de trabalhar com diferentes formas de diamantes, tais como o talhe esmeralda, o talhe pera ou o talhe brilhante. Mais recentemente, apaixonei-me pelo talhe triângulo e dediquei o nome de uma coleção a esta forma: Théa. Gosto também de misturar diferentes talhes nas peças de alta-joalharia. O conjunto Maya é um exemplo perfeito, porque é feito com três tipos de talhe: triângulo, esmeralda e pera.

Valérie Messika

Colar Solena Maya — Coleção Diamants Celestes © Messika Joaillerie

Qual a coleção que melhor define a marca Messika Joaillerie?
Provavelmente, a linha Move, símbolo verdadeiro do amor, mas também a coleção Glam’Azone. Esta coleção é muito moderna e audaciosa e representa as várias formas de usar as minhas criações. Estamos muito orgulhosos por existirem já celebridades que adotaram a Messika. Quando a Beyoncé esteve em Paris com a sua família, ela apaixonou-se pela coleção Glam’Azone. Ela publicou no Instagram uma fotografia do seu anel duplo Glam’Azone, em frente à Mona Lisa, no Louvre. Outros ícones como Kristen Stewart, Rihanna, Charlize Theron, Sienna Miller, Selena Gomez e Margot Robbie usam as minhas criações.

Valérie Messika

Anel Amazone Double Pavé Diamond, Coleção Glam’Azone © Messika Joaillerie

Qual a sua peça preferida, no âmbito do universo Messika?

A minha peça preferida é a pulseira Skinny. Em 2009, inventei uma nova tecnologia designada «Skinny». Esta tecnologia baseia-se em nanomolas que fazem com que a joia se mova como um elástico, totalmente flexível, que se adapta a qualquer pescoço ou pulso. A minha primeira criação no âmbito deste conceito foi a pulseira River Diamonds, um clássico que eu queria renovar e atualizar com um look moderno. A pulseira Skinny nunca sai do meu pulso, posso fazer tudo o que quiser com ela — trabalhar, sair e brincar com as minhas filhas. Demorei dois anos a desenvolver este design. Desde 2013, desenvolvi este conceito em alta-joalharia com várias peças, tais como o colar Solena Maya e a gargantilha Cassiopée.

Valérie Messika

O conceito Skinny. © Messika Joaillerie

A Messika Joaillerie acabou por lançar também uma linha masculina e conta com algumas peças pensadas enquanto primeira joia — para um bebé, por exemplo. Está aqui inerente um conceito de união de família?
De facto, a linha para homem, denominada Move Titanium, e a My First Bracelet (a minha primeira pulseira) foram ambas criadas a partir da icónica coleção Move. Está aqui patente uma ideia de coleção universal de que qualquer um se pode apropriar. Relativamente ao sucesso da coleção Move, foi encorajador para desenvolver esta coleção. Além disso, inspirei-me nas pessoas que me rodeiam, tais como as minhas duas filhas, o meu marido e o meu pai. Também tenho em consideração o feedback dos clientes — e este é muito importante para mim.

Valérie Messika

Pulseira Baby Move © Messika Joaillerie

Como é o homem Messika?
Foram os homens que me rodeiam que me inspiraram e foi a pensar neles que criei a coleção Move Titanium. Forjar uma ligação entre joias de homem e de mulher foi um verdadeiro desafio. Criei uma interpretação masculina da minha icónica coleção Move, que combina tanto poder como leveza. O motivo dos três diamantes amovíveis está profundamente impresso em mim e permanece muito perto do meu coração. Move: uma simples coleção desenhada para homem e mulher, uma união perfeita.

Valérie Messika

© Messika Joaillerie

Tendo em conta a tradição e o conceito de família que está na base da criação da Messika Joaillerie, o que significou para si e o que significa para a Messika a reabilitação da sua antiga casa de família?
Eu recuperei as minhas memórias de infância ao renovar a minha casa de campo de família. O maior desafio foi manter vivo o espírito da casa, ao mesmo tempo revelando-o com uma nova luz. Gosto da ideia de contar a história de uma casa de campo que está cheia de memórias. Para conquistar isto, trabalhei muito proximamente com a minha amiga Sophie Reulet, que é uma designer fantástica. Escolhemos os detalhes do design de interior com muito cuidado. De achados vintage a peças modernas, de matérias-primas a tecidos sofisticados, criei um ambiente que reflete a minha família.

Valérie Messika

Casa de campo Messika © Pierre Vérez

Valérie Messika

Casa de campo Messika © Pierre Vérez

Falando em exclusivo para o mundo da língua portuguesa, e em jeito de resumo, o que é que faz da Messika Joaillerie uma marca especial?
Comecei todas as minhas criações a partir de uma página em branco. Uma diferença das prestigiadas casas da Place Vendôme que têm séculos de arquivos ricos de estilos distintos. Cada nova coleção é um verdadeiro salto no vazio; apesar de admitir que tenho algumas obsessões por determinadas técnicas de joalharia. Começo sem informação precisa. «Menos é mais» é o meu credo. Sempre tive a sorte de trabalhar com diamantes, numa mentalidade livre e audaciosa. Da incondicional pureza do diamante, para os designs clean que o realçam, a Messika procura sempre o essencial. Eu sei que os clientes portugueses gostam de anéis e brincos da coleção Move e que agora adotaram a coleção Glam’Azone. Quando crio, tento pensar no que estes clientes gostariam com o objetivo de os satisfazer. ET_simb

Save

Save

Save

Save

Save