Em Foco, Relógios

Chronofighter Vintage: mais do que perfeito

Graham Chronofighter Vintage

EdT57 — A Graham celebrou em 2016 o 15.º aniversário do seu mais emblemático modelo, com o lançamento de uma bela série com caraterísticas rétro — e até se pode afirmar que, dos quatro modelos apresentados e também de todos aqueles que foram sendo lançados pela marca ao longo de década e meia, nenhum fará tanta justiça ao espírito que esteve na génese do Chronofighter como aquele que selecionámos. Pode mesmo dizer-se que o Chronofighter Vintage (Ref. 2CVAS.B03A) é a concretização relojoeira de um ‘pretérito mais do que perfeito’!

Texto originalmente publicado no número 57 da Espiral do Tempo, mas aqui complementado com mais fotos exclusivas.

Graham Chronofighter Vintage

© Graham

Se o Chronofighter foi inspirado por instrumentos do tempo da Segunda Guerra Mundial e conheceu múltiplas variantes (diversos tamanhos, vários materiais, versões de mergulho ou com função GMT) ao longo dos seus 15 anos de vida, o novo Chronofighter Vintage representa uma autêntica viagem ao passado. Todos os pormenores foram pensados para adaptar a essência militar dos anos 40 ao pulso contemporâneo.

Códigos militares

Graham Chronofighter Vintage

O mostrador apresenta um acabamento que contribui significativamente para a personalidade vintage do relógio — não só pela combinação de cores escolhidas, mas também pelo acabamento sablé dominante, que lhe dá um aspeto granulado. © Espiral do Tempo / Susana Gasalho

O Chronofighter Vintage recupera os códigos do Chronofighter original de 2001, mas interpreta-os de maneira ainda mais rétro — recorrendo a uma luminescência bege que replica o visual ‘antigo’ dos mostradores de acabamento granulado, tendo os submostradores um acabamento raiado concêntrico; os pormenores a vermelho oferecem o contraste ideal e o conjunto fica vestido a rigor com uma correia de pele pespontada.

Caixa e coração

Graham Chronofighter Vintage

© Espiral do Tempo / Susana Gasalho

O diâmetro de 44 mm não é propriamente pequeno, mas é inferior ao de muitas outras versões lançadas nestes 15 anos e assenta bem, mesmo em pulsos mais estreitos. Tal como a caixa, toda a estrutura do acionamento do cronógrafo e da coroa é em aço (alternadamente polido e escovado) — como nos primórdios da coleção. A motorização assenta num movimento de corda automática: o calibre G1747, visível através do fundo transparente.

A força da alavanca

Graham Chronofighter Vintage

© Espiral do Tempo / Susana Gasalho

O Chronofighter é um dos relógios mais inconfundíveis do novo milénio, graças ao protuberante ‘gatilho’ destinado a despoletar as funções cronográficas. O sistema evoca os instrumentos de precisão presos à perna ou por cima do blusão de navegadores dos aviões da Segunda Guerra Mundial, que, através de uma alavanca semelhante, acionavam o cronógrafo para medir o tempo entre a largada da bomba e a deflagração no solo. Era mais fácil de usar com luvas, e o facto de estar posicionado à esquerda permitia aproveitar ao máximo a ação do dedo polegar — considerado o mais rápido dos dedos da mão. ET_simb

 

Características técnicas

Graham
Chronofighter Vintage

Referência/ 2CVAS.B03A.L128S
Movimento/ Corda automática. Calibre G1747, 48 h de reserva de corda, 28.800 alt/h, 25 rubis.
Funções/ Horas, minutos, segundos, data e dia da semana, cronógrafo com botão de reset e alavanca start & stop em aço.
Caixa Ø 44 mm/ Aço, vidro e fundo em cristal de safira com tratamento antirreflexos, estanque até 100 m.
Bracelete/ Pele cosida à mão com pesponto preto e fivela em aço.
Preço/ € 4.750

Galeria de imagens