Atualidades, Histórias, Relógios

ATUALIDADES: Roy & Sacha Davidoff SA anuncia roubo de raro Patek Philippe ref. 1518 em ouro amarelo

PatekPhilippe_ref1518

A Roy & Sacha Davidoff SA anunciou ontem na sua conta de Instagram que no passado fim de semana, 19 de agosto mais precisamente, as suas instalações foram alvo de um assalto: em causa está o roubo de um raro Patek Philippe ref. 1518 em ouro amarelo.

Foto de destaque: © Roy & Sacha Davidoff SA

O assalto ocorreu no passado sábado, dia 19 de agosto, mas foi ontem que a Roy & Sacha Davidoff SA anunciou na sua página de Instagram que, das suas instalações em Genebra, foi roubado um Patek Philippe ref. 1518 em ouro amarelo.

Segundo a ficha técnica disponível no site oficial da Roy & Sacha Davidoff SA, a ref. 1518 da Patek Philippe surge como um marco na história dos relógios de pulso, e terá contribuído largamente para a posição dominante da marca genebrina no âmbito da relojoaria suíça. Isto porque se trata do primeiro cronógrafo com calendário perpétuo de série, estabelecendo também os códigos inconfundíveis associados aos modelos subsequentes da marca que reúnem estas complicações. Com apenas 281 exemplares produzidos entre 1941 e 1954, em ouro amarelo, em ouro rosa e em aço, é considerada uma referência rara.

Um dos modelos em aço (apenas são conhecidos quatro modelos em aço desta referência) guarda consigo a marca de relógio de pulso mais caro de sempre ao ter sido leiloado pela Philipps por 11.002.00 CHF (10.240.000 €), em novembro de 2016, como então relatámos. As razões para este recorde? Recuperamos as palavras do nosso colaborador Carlos Torres para responder:

” (….) se considerarmos que se trata do primeiro cronógrafo com calendário perpétuo de série, e que é o n.º 1 de uma série da qual se conhecem apenas quatro exemplares (o quarto exemplar apresenta uma caixa diferente dos restantes), três dos quais em mãos de abastados colecionadores italianos, sem que haja nenhuma perspetiva de que venham a vender os seus modelos nos próximos dez anos, começa-se a perceber os aspetos que levaram o modelo a ultrapassar os 10 milhões de francos suíços. E se a isso acrescentarmos que, durante 50 anos, a par com a ref. 2499, a ref. 1518 se manteve como o único relógio em aço com esta conjugação de complicações, tendo este n.º 1 sido entregue em plena II Guerra Mundial a um cliente em Budapeste, por 2.265 dólares, não restarão muitas dúvidas sobre as razões de este relógio deter atualmente o título de relógio de pulso mais caro de sempre. Quanto aos irmãos da ref. 1518 em aço, o lote 196 (em ouro rosa) viria a alcançar 1.474.000 CHF (1.371.911 €) e o lote 100 (ouro amarelo) nada menos que 598.000 CHF (556.582 €) no mesmo leilão.”

Esta última referência referida por Carlos Torres é de 1951, já o exemplar agora roubado foi produzido em 1950 e vendido pela primeira vez em 1954. O relógio pode ser identificado principalmente através do número de caixa (668376) e do número do movimento (868015), com a  nota de que a caixa apresenta um diâmetro de 35 mm e os característicos botões retangulares do cronógrafo.

A Roy & Sacha Davidoff SA solicita que entre em contacto direto através de email (davidoffbrothers@gmail.com) ou de telefone (+41 22 810 19 83), caso disponha de aguma informação.