Histórias

HISTÓRIAS | Por uma boa causa (take 2): corais e coriscos com a Coral Restoration Foundation

destaque Oris Coral Restoration Foundation

Depois de termos apresentado antes o Staghorn Restoration Limited Edition, aqui fica um olhar mais aproximado sobre a causa que o relógio representa e todo o investimento que a Oris tem feito na preservação da fauna e flora marítimas. Estivemos em Key Largo para um testemunho direto – e é de louvar a ação da Coral Restoration Foundation. Já agora, os modelos de mergulho da marca de Holstein também não são nada maus…

Em Key Largo

Há um par de meses desvelámos aqui a mais recente edição limitada da Oris alusiva ao universo marítimo na sequência de uma iniciativa levada a cabo em Key Largo, no pequeno arquipélago conhecido por Florida Keys e localizado ao sul de Miami. O Staghorn Restoration não foi o primeiro e muito menos será o último relógio lançado pela marca de Hölstein no âmbito da preservação marítima – tal como não foi o primeiro nem o último que destacámos na Espiral do Tempo: por exemplo, no espaço do último ano tivemos igualmente a oportunidade de apresentar os modelos dedicados à Grande Barreira de Coral (Great Barrier Reef) e aos tubarões martelo (Hammerhead Limited Edition). E mais recentemente a Oris voltou a organizar eventos relacionados com o universo marítimo (o Citizen Science Program no atol de Clipperton e o Aquacity Freediving na costa da Cornualha), mas nenhum foi tão badalado como o da Coral Restoration Foundation na Florida. Por várias razões. Para aguçar o apetite, aqui fica um primeiro vídeo:

Enquanto membros da imprensa especializada, temos a sorte de viajar e passar pelas mais extraordinárias experiências proporcionadas por marcas relojoeiras – que, num ambiente de maior proximidade e descontração, dão a conhecer as suas equipas e os seus produtos em eventos muito mais importantes para os jornalistas do que possa parecer: aprendemos mais nessas ocasiões do que nos grandes certames da indústria, onde vemos centenas (milhares!) de relógios de dúzias (centenas?) de marcas num curto espaço de tempo. Em Key Largo estivemos em contacto com os responsáveis da Oris nos Estados Unidos e com o patrão da marca, Ulrich Herzog; tivemos a oportunidade de conviver com alguns relógios de mergulho da renovada linha Aquis, em especial o Der Meister Taucher e sobretudo o Staghorn Restoration Limited Edition; e conhecemos não só o trabalho da Coral Restoration Foundation como também toda a equipa da fundação.

FOTO 1 Oris Coral Restoration Foundation

Em Key Largo estivemos em contacto com os responsáveis da Oris nos EUA e com o patrão da marca; também tivemos a oportunidade de conviver com alguns relógios de mergulho da renovada linha Aquis, ao mesmo tempo que fomos levados a conhecer o trabalho da Coral Restoration Foundation. © Oris

Foi óbvio desde o início que o trabalho da Coral Restoration Foundation é notável. Como bem sabemos em Portugal, o oceano dá-nos oxigénio e sustentação – ao mesmo tempo que é fundamental para a economia costeira e para o turismo nacional. Devido à nossa localização geográfica mais a norte do equador, não estamos muito familiarizados com os corais – que cobrem menos de um por cento do solo marítimo mas que são lar para mais de 25 por cento da vida marítima, para além de oferecerem proteção à orla marítima. Desde os anos 80 que se tem registado um acentuado declínio de corais devido aos tais fatores relacionados diretamente ou indiretamente com a atividade humana. Só na zona da Florida registou-se um decréscimo de 97 por cento desde a década de 70, um número verdadeiramente assustador!

FOTO 2 Oris Coral Restoration Foundation

Desde os anos 80 que se tem registado um acentuado declínio de corais devido a fatores relacionados diretamente ou indiretamente com a atividade humana. © Oris

A Coral Restoration Foundation nasceu enquanto organização de preservação sem fito comercial e começou a intervir em 2007 – e desenvolveu um inovador sistema apelidado Tree Nursery Method, de custos reduzidos e simplicidade de utilização no crescimento de corais em larga escala. Primeiro desenvolvem-se corais em ambiente recatado numa espécie de ‘maternidade’ e depois são plantados em berçários, onde crescem e se reproduzem para recuperar as faculdades e o meio ambiente entretanto modificado devido à sua ausência na sequência da poluição e alterações climáticas.

FOTO 3 Oris Coral Restoration Foundation

A Coral Restoration Foundation desenvolveu um sistema apelidado Tree Nursery Method, de custos reduzidos e simplicidade de utilização no crescimento de corais em larga escala. © Oris

Tivemos palestras que nos colocaram a par de toda a atividade da fundação e a Oris aproveitou para recordar o seu historial de associação ao mundo marítimo, sobretudo através de edições especiais que geram um lucro parcialmente destinado a apoiar diversas instituições de preservação oceânica. Como a Coral Restoration Foundation, cuja respetiva edição limitada foi então oficialmente apresentada… mesmo que vários de nós já a tivéssemos visto aquando da revelação dos novos modelos de 2017 da marca em Baselworld.

FOTO 4 Oris Coral Restoration Foundation

o ‘patrão’ da Oris, Ulrich Herzog, apresentou numa palestra o modo como a sua marca tem contribuído para a conservação dos oceanos. © Oris

De tiragem restrita a 2.000 exemplares, o Staghorn Restoration Limited Edition é o nono relógio de mergulho da Oris associado à beneficência marítima. A sua estrutura assenta no modelo básico Aquis de segunda geração desvelado este ano, com uma caixa multi-peças de 43,5mm que garante estanqueidade a 300 metros de profundidade (existe na coleção o tamanho maior 45,5 com estanqueidade a 500 metros) e alberga o calibre automático Oris 752 (um aperfeiçoamento do SW 220-1). Está disponível com bracelete de aço ou cauchu e tivemos a oportunidade de o fotografar para a mais recente edição da nossa revista.

Oris Staghorn Restoration Limited Edition © Espiral do Tempo / Paulo Pires

Oris Staghorn Restoration Limited Edition com bracelete metálica © Espiral do Tempo / Paulo Pires

Enquanto edição limitada, o Staghorn Restoration Limited Edition apresenta caraterísticas próprias: a data surge numa janela colocada às 6 horas e o dia da semana é exibido através de um indicador laranja que vai surgindo por baixo de sete aberturas num anel interior do mostrador; para além da gravação do coral Staghorn que lhe dá nome e inscrições alusivas (incluindo a numeração do exemplar) no fundo da caixa, o respetivo estojo é ecologicamente concebido a partir de algas e inclui um medalhão com a reprodução da gravação do fundo do relógio. Depois de travarmos conhecimento direto com a edição limitada, tivemos também um treino sumário de plantação e transplante de corais na sede da Coral Restoration Foundation antes de seguirmos para um jantar com os responsáveis da fundação – o dia seguinte seria destinado a colocarmos em prática o aprendido e ver in loco as plantações de corais…

FOTO 7 Oris Coral Restoration Foundation

O berçário de coral em árvore assenta numa estrutura em PVC que se fixa ao solo marítimo com fragmentos de coral pendurados nos galhos. © Oris

Ken Nedymier, fundador e presidente da Coral Restoration Foundation, desenvolveu uma espécie de berçário de coral em árvore (Coral Tree Nursery) que assenta numa estrutura em PVC que se fixa ao solo marítimo com fragmentos de coral pendurados nos galhos; a fixação é móvel, já que as ‘árvores’ flutuam ao sabor das correntes para não serem partidas durante tempestades ou condições mais agrestes. Depois de crescerem nesses berçários entre seis a nove meses, os corais são etiquetados e transplantados para os locais apropriados mediante uma resina não tóxica. Atualmente, a CRF tem sete maternidades de coral nas águas ao largo das Florida Keys.

FOTO 8 Oris Coral Restoration Foundation

O Staghorn Restoration Limited Edition na sua versão com bracelete em cauchu. © Oris

Saímos bem cedo e parámos duas vezes – a primeira para recolher as árvores de coral e a segunda para as plantar nos corais de Pickles Reef. Houve um par de colegas que ficaram fora de combate devido ao enjoo, mas todos os restantes participaram nas atividades com a equipa da fundação. E cada um de nós pôde testar o Staghorn Restoration Limited Edition colocado à nossa disposição nesse dia pela Oris – embora eu também tenha experimentado o meu favorito relógio de mergulho da linha Aquis, o Der Meister Taucher de mostrador regulador, e o meu próprio Divers Sixty Five ‘Green’. Claro que aproveitei para tirar os incontornáveis wristshots no barco, à superfície e debaixo de água… aqui ficam algumas dessas imagens que tirei, com a promessa de que posteriormente farei um artigo especialmente dedicado ao meu Sixty Five ‘Green':

Oris Der Meister Taucher © Espiral do Tempo / Miguel Seabra

O inconfundivel Der Meister Taucher, o primeiro relógio de mergulho com mostrador regulador © Espiral do Tempo / Miguel Seabra

Oris Divers Sixty-Five "Green" © Espiral do Tempo / Miguel Seabra

O Divers Sixty-Five ‘Green’ em Key Largo, à saída das instalações da Coral Restoration Foundation © Espiral do Tempo / Miguel Seabra

Pena é que se tivessem esquecido de mim e me tivessem abandonado em mar alto, comigo a acenar com o Staghorn Restoration Limited Edition no pulso como se fosse o Luís de Camões com os Lusíadas na mão…

Oris Staghorn Restoration Limited Edition. © Oris

Open Water… com o Staghorn Restoration Limited Edition. © Espiral do Tempo / Miguel Seabra

Brincadeira. Apenas tive sorte numa boa fotografia tirada com a GoPro numa altura em que se aproximava uma pequena tempestade e o céu estava dividido entre sol e nuvens. No final, todos ficamos com uma sensação de bem estar que levou alguns a declararem que tinha sido ‘a melhor viagem/experiência’ que já tinham tido no âmbito relojoeiro. Pela minha parte, e considerando duas décadas, posso dizer que foi seguramente uma das melhores. Não só pelo belo local, pela original iniciativa, pela louvável causa causa e pelo facto de a Oris ser uma marca independente (Ulrich Herzog confidenciou-me que de dois em dois meses chegam sempre propostas de compra por parte de grandes grupos, que são prontamente recusadas) com relógios mecânicos de grande personalidade a um preço acessível quando comparado com o que se vê no catálogo de muitas outras marcas – mas também e sobretudo pelas pessoas: para além da cumplicidade com os representantes da Oris, ficamos também amigos das ‘sereias’ da CRF (doutoras e cientistas que nos acompanharam no mergulho)…

Com a Dra. Martha Roesler, da CRF; em baixo, e a nadar, Roxane Boonstra, também da CRF. © Miguel Seabra/Espiral do Tempo

Com um Der Meister Taucher na companhia da Dra. Martha Roesler, da CRF; em baixo, e prestes a mergulhar, Roxane Boonstra, também da CRF. © Espiral do Tempo / Miguel Seabra