Relógios destaque 3

EM FOCO – Tudor Heritage Black Bay Chronograph

Tudor Black Bay Chrono entrada

Que o Tudor Heritage Black Bay Chronograph conquistou tudo e todos a partir do momento em que foi lançado, na Baselworld deste ano, não é segredo para ninguém. E conquistou de tal forma que foi mesmo galardoado com o prémio “Petite Aiguille” na edição de 2017 do Grand Prix d’Horlogerie de Genève, numa cerimónia que decorreu no passado dia 8 de novembro. Em cinco anos de participação, este é o quarto galardão que a marca recebe. E o segundo ano consecutivo na mesma categoria. Depois de o termos fotografado para a produção “On The Rocks”, estivemos a descobrir este cronógrafo ao pormenor…

Tudor Black Bay Chrono 12

O Tudor Heritage Black Bay Chronograph é o primeiro cronógrafo da linhagem Black Bay. © Tudor

Mostrador

Com caixa em aço de 41 mm e mantendo-se fiel à estética Black Bay – com os ponteiro dito snowflake (assinatura da marca desde 1969) e com os característicos indexes sobredimensionados – a versão inaugural do Black Bay Chronograph surge com mostrador negro: os contadores dos minutos do cronógrafo e dos pequenos segundos estão localizados nas 3 e nas 9 horas, respetivamente; já  às seis horas encontra-se a janela da data. Tanto os indexes, como os ponterios das horas e dos minutos têm revestimento luminescente.

A luneta metálica vem cortar não só com as lunetas coloridas de todas as edições Black Bay lançadas desde 2012, mas também com as lunetas coloridas das duas versões do Heritage Chronograph (preta e azul). A luneta apresenta um tratamento escovado circular com gravação a preto da escala taquimétrica.

Tudor Black Bay Chrono 11

O primeiro cronógrafo Black Bay surge com mostrador negro, com contadores dos minutos do cronógrafo e pequenos segundos localizados respetivamente às 3 e ás 9 horas. Às seis horas encontra-se a janela da data, com fundo branco e números pretos. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

A luneta metálica apresenta um tratamento escovado e é gravada a preto com a escala taquimétrica. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

O ponteiro snowflake é característico dos modelos diver da Tudor desde 1969. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Movimento

Dois anos após a introdução do primeiro movimento de manufatura, a Tudor apresenta um novo calibre – um movimento cronográfico automático incluído no novo Heritage Black Bay Chronograph elaborado a partir de um calibre MT5813 de base Breitling mas com muito trabalhinho em cima: arquitetura integrada, 70 horas de reserva de corda, roda de colunas, embraiagem vertical, espiral em silício e disposição bicompax (dois submostradores às 3 e às 9) com data às 6 horas. E certificado pelo COSC. Com dois calibres lançados entre 2015 e 2017, a Tudor fornece uma impressionante demonstração de poderio industrial e de autonomia técnica, embora o segundo, mesmo sendo considerado pela marca como ‘de manufatura’, tenha a tal nuance de partir de um movimento de base da Breitling. A parceria entre as duas marcas é bidirecional: a Tudor também fornece o seu calibre de três ponteiros à Breitling.

Tudor Black Bay Chrono 7

Nos submostradores é possível verificar o pequeno desnível que funciona como moldura e contribui para uma melhor leitura das indicações. Neste caso, trata-se do submostrador dos pequenos segundos. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

O calibre MT5813 de base Breitling tem arquitetura integrada, roda de colunas, embraiagem vertical, espiral em silício. Labéu Swiss Made e certificado pelo COSC. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 6

A coroa de rosca é personalizada com a rosa característica da Tudor. O calibre MT5813 é de corda automática com uma reserva de corda de 70 horas. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Bracelete

Como acontece com todos os elementos da família Heritage, o Black Bay Chronograph é distribuído com uma bracelete de metal ou uma correia de couro envelhecida em alternativa a uma bracelete em tecido do tipo ‘Denim’. Ou seja, duas alternativas. A bracelete de tecido, elaborada numa fábrica tradicional de tecelagem em França, é a constante a todos os modelos da linha Heritage – sendo depois possível escolher uma de aço (4.850 euros) ou de pele com fecho de báscula (4.550 euros).

Tudor Black Bay Chrono 7

Os botões do cronógrafo ladeiam a coroa do Tudor Black Bay Chronograph. O cronógrafo está disponível nas versões com caixa e bracelete em aço ou bracelete em pele. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

O relógio é entregue com uma bracelete têxtil. Neste caso, à direita, podemos ver a bracelete tipo ‘Denim’. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

A versão com correia em pele, com fecho de báscula personalizado com a referência à marca. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Tudor Black Bay Chrono 7

A bracelete têxtil tem fivela. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Características técnicas

Tudor
Heritage Black Bay Chronograph
Referência/ M79350-0001 (com bracelete em aço); M79350-0002 (com correia em pele)
Movimento/ Mecânico de corda automática Calibre MT5813, reserva de corda de 70 horas
Funções/ Horas, minutos, cronógrafo, pequenos segundos e data.
Caixa Ø 41/ Aço polido e escovado, vidro de safira, fundo em aço, estanque até 200 m. Luneta rotativa unidirecional em aço graduada com escala de 60 minutos.
Bracelete / O modelo original é disponibilizado com uma bracelete em aço ou correia em pele e uma bracelete de oferta em tecido.
Preço/ € 4.850 (bracelete em aço); € 4.550 (correia em pele)

Consulte o site oficial da Tudor para mais informações.