Histórias

DUBAI WATCH WEEK 2017 – Day 1 & day 2

DWW_Entrada_Day1_2

A “Dubai Watch Week” (DWW) vai na sua terceira edição, e apesar de originalmente estar prevista como um evento bianual, a edição de 2017 seguiu-se à edição de 2016. A razão? A Dubai Watch Week pretende incorporar o espaço de exposição reservado à Suíça durante a Expo 2020 no Dubai, a próxima exposição mundial que tem vindo a suscitar bastante expectativa.

Mas o que representa este evento que antecipa os esperados salões de Genebra (SIHH) em janeiro, e Baselworld em abril? Organizado pela familia Seddiqi, proprietária do maior grupo retalhista da especialidade nesta região, a DWW é atualmente um evento único que durante cinco dias coloca a relojoaria à frente do próprio produto gerando um género de discussão e análise que a própria indústria suíça não tem sido capaz de gerar.

O evento tem uma visão e uma missão: unir a comunidade global pela preservação e transmissão de conhecimento, criar espaço à discussão e encorajar a transferência de técnicas artesanais à geração seguinte de relojoeiros e mestres artesãos.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

Composto na sua vertente mais importante por uma sucessão de fóruns, onde painéis de convidados discutem os mais variados temas da atualidade no campo da alta-relojoaria, o evento acrescenta ainda exposições, aulas práticas e apresentações de novos modelos pelas marcas participantes. E a enorme diferença para outros eventos ligados à relojoaria é que estas mesmas marcas cedem o protagonismo de que normalmente usufruem em outros eventos aos relojoeiros, artesãos, apreciadores e colecionadores, que durante o tempo de duração do evento comunicam ativamente entre si e partilham a sua paixão pela relojoaria mecânica.

O resultado final, partilhado por todos os que visitaram as edições anteriores, tem sido o de um sentimento de surpresa gerado pela qualidade da interação e da partilha de conhecimento que se gera entre todos os participantes. A edição de 2017, a maior e mais diversificada até à data, não parece querer contrariar esta ideia.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

 Day 1

Apesar de a DWW ter sido inaugurada ainda na quinta-feira (16 de novembro, portanto), esse dia foi reservado apenas para que os participantes se familiarizassem com a nova estrutura e distribuição de espaços. Mesmo assim, houve lugar a duas “Master Classes”, a primeira a cargo dos mestres relojoeiros Antoine e Florian Preziuso e a segunda da responsabilidade do génio David Candaux. O dia terminou com um jantar de gala inaugural nos salões do Hotel Ritz Carlton.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

 Day 2

O segundo dia foi, como esperado, intenso e extremamente preenchido, arrancando logo pelas 10h00 com a apresentação pela H. Moser de dois novos modelos de edição limitada dedicados ao Dubai e que foram apelidadas de Ying e Yang com mostradores de tonalidades opostas com o famoso fumé da marca.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

Seguiu-se o primeiro fórum de discussão moderado por Ben Clymer, o fundador da Hodinkee. O painel de participantes era composto por Christian Selmoni, da Vacheron Constantin, o venerável Kurt Klaus, da IWC, e Laurence Nicolas, a direcora para a relojoaria da Dior. O tema, “Designing Time”, focava-se precisamente no aspeto do design e estética dos relógios de hoje e como apelam ao público que os consome.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

Pelas 14 horas seguiu-se outro fórum moderado pela editora da Revolution online, Suzanne Wong, cujo painel integrava Kurt Klaus, Felix Baumgartner, da Urwerk, Jean-Marc Wiederrecht, da Agenhor, e Alexis Georgacopoulos, que leciona na universidade técnica de Lausanne. O tema “Millenial Watchmakers” centrava-se na nova geração de relojoeiros e no que podemos esperar deles em termos de criatividade.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

Às 15h00, a Christie’s organizou uma interessante palestra com a participação de John Reardon, onde a figura convidada era Stacey Pearman, a autor do excelente livro Grand Complication que explora a ‘corrida’ de James Packard e do banqueiro Henry Graves na construção do relógio mais complicado do mundo.

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

© Carlos Torres/ Espiral do Tempo

O editor do blog Quill & Pad, Ian Skellern, foi o moderador do fórum seguinte que abordou a temática da inovação e da tecnologia na relojoaria. O painel era composto por Alexis Georgacopoulos, Felix Baumgartner e Stephen Forsey, da Greubel Forsey.

O dia terminou com a apresentação antecipada por parte da Vacheron Constantin de algumas das novidades que a manufatura irá apresentar em janeiro no SIHH, nomeadamente um novo Overseas Dual Time e um muito atraente Traditionelle Calendário Completo da coleção Excellence Platine.