Relógios

HISTÓRIAS | TAG Heuer: o misterioso relógio de Cristiano Ronaldo

Cristiano Ronaldo TAG Heuer Carrera Ronnie Peterson 01

Cristiano Ronaldo recebeu o seu quinto Ballon d’Or com um relógio verdadeiramente especial no pulso e praticamente desconhecido até mesmo entre os especialistas: o exemplar Carrera em ouro da série muito limitada dedicada ao lendário piloto sueco Ronnie Peterson, que a TAG Heuer lançou em 2017. Aqui fica a história…

Quando a TAG Heuer desenvolveu estudos para encontrar um novo embaixador à escala global, o resultado foi concludente: na altura, e segundo me revelou o então CEO Stéphane Linder, as três personalidades mais conhecidas do planeta eram – e a ordem é aleatória – o Papa, Barack Obama e… Cristiano Ronaldo. Feita a escolha, o futebolista português tornou-se imediatamente na imagem de uma marca que também tem enorme reconhecimento em todo o mundo e sempre que ele surge com um relógio no pulso há logo curiosidade em saber que modelo é. Especialmente em ocasiões importantes. Como na recente entrega do Ballon D’Or, em Paris.

Sabendo-se que Cristiano Ronaldo tem contrato com a TAG Heuer, obviamente que o relógio que o astro madeirense envergou na altura teria de ser da sua marca patrocinadora. Mas, através da imagem, surgiram imediatamente dúvidas porque o modelo não era facilmente reconhecível. Seria mesmo um TAG Heuer? Que relógio específico? À primeira vista, parecia um cronógrafo de ouro com totalizadores negros – e, atendendo à disposição dos botões, deu mesmo a ideia de ser um Carrera em ouro como aqueles que Jack Heuer oferecia aos pilotos seus patrocinados no período dourado da Fórmula 1 na década de 70.

Ronnie-Peterson-watch-3-1024x576

Uma das variantes do famoso Carrera em ouro que Jack Heuer oferecia aos pilotos de Formula 1 na década de 70 @ TAG Heuer

Esse vaticínio acabou por não andar muito longe da verdade. Sim, era mesmo um Carrera. E sim, essa ligação histórica aos tempos épicos da Fórmula 1 com a associação da marca aos grandes pilotos da altura também faz parte da fotografia. Mas não se trata de um relógio vintage – é mesmo uma peça contemporânea, muito especial e particularmente oferecida a Cristiano Ronaldo para celebrar a conquista da sua quinta Bola de Ouro. Trata-se de um Carrera Ronnie Peterson Special Edition em ouro rosa com bracelete milanaise em ouro – que surge na sequência de uma edição muito limitada criada em honra do famoso piloto sueco de Fórmula 1 que foi duas vezes vice-campeão mundial e que morreu no dia seguinte ao seu acidente de 1978 em Monza, naquela época em que se dizia que “o sexo era seguro e as corridas de carros perigosas” (por oposição aos tempos atuais, em que supostamente “o sexo é perigoso e as corridas seguras”…).

O piloto Ronnie Peterson com Jack Heuer. Imagem via Calibre11.com

Ronnie Peterson (conhecido por ‘Super Swede’) com Jack Heuer. © TAG Heuer

O relógio é verdadeiramente especial por múltiplas razões. A primeira tem a ver com o modelo em si: desde a primeira reedição do Carrera, em 1996, todas as reedições históricas feitas têm por base a estrutura de caixa do Carrera inaugural de 1963. O Carrera Ronnie Peterson Special Edition sai desse registo e adota a base do novo Carrera lançado em 1969 em simultâneo com o novo Autavia e com o inédito Monaco – um trio que estreou o movimento cronográfico automático Chronomatic/Calibre 11, caraterizado pela coroa à esquerda em virtude das caraterísticas do mecanismo.

Carrera Ronnie Peterson Special Edition © TAG Heuer

A versão em aço da reedição do Carrera denominada  Ronnie Peterson Special Edition © TAG Heuer

Já se sabe que o Monaco é inconfundivelmente quadrilátero e sempre o foi; o Autavia e o Carrera eram redondos desde a sua criação no início da década (respetivamenbte 1962 e 1963), mas em 1969 passaram a adotar uma caixa ‘em C’ (o formato cushion, que preconizava já a grande tendência da década de 70). No que diz respeito ao Autavia, entre 2002 e 2003 surgiu uma reedição dessa versão de 1969, cuja mais famosa iteração é a chamada ‘Jo Siffert’ (outro malogrado condutor de Formula 1; já abordamos aqui no nosso site tanto o piloto como o relógio); neste ano foi lançada uma nova reinterpretação do Autavia mas referente a um período anterior – nomeadamente uma versão redonda de 1964 denominada ‘Jochen Rindt’ (mais outro malogrado piloto; também já escalpelizamos o relógio no nosso site).

Quanto ao Carrera, nunca antes tinha havido qualquer reedição/reinterpretação de qualquer versão não redonda a partir de 1969… até este ano, e mesmo assim passou despercebida a praticamente toda a gente. E a razão pela qual o Carrera Ronnie Peterson Special Edition passou despercebido até mesmo aos especialistas (imprensa, colecionadores) tem a ver com o facto de ter sido uma tiragem muito restrita e circunscrita geograficamente. Foi fomentada pela própria família do piloto e reservada ao mercado sueco, constando de somente 40 exemplares em aço e mais um em ouro que supostamente seria leiloado em 2018.

Ronnie Peterson ganhou fama sobretudo ao volante do icónico Lotus negro 'John Players Special' © DR

Ronnie Peterson ganhou fama sobretudo ao volante do icónico Lotus negro ‘John Players Special’ © DR

Entretanto, outro exemplar em ouro saltou discretamente para a ribalta – o tal que foi oferecido a Cristiano Ronaldo. Ou seja, de Ronnie para Ronaldo. Do ‘Super Sueco’ para o ‘Mestre Madeirense’. A própria TAG Heuer respondeu a um curioso na sua página de Instagram quando questionada acerca do misterioso relógio que surge visível no pulso do futebolista português, mas não desenvolveu muito o tema nem sequer avançou com o nome do modelo em questão: “Este relógio é uma oferta especial da TAG Heuer para premiar Cristiano Ronaldo pelo seu feito! Não está disponível ainda para venda”.

Cristiano Ronaldo com a sua quinta Bola de Ouro e o Tag Heuer Carrera Ronnie Peterson, versão em ouro. Imagem via Instagram da TAG Heuer.

Cristiano Ronaldo com a sua quinta Bola de Ouro e o TAG Heuer Carrera Ronnie Peterson Special Edition, versão em ouro. Imagem via Instagram da TAG Heuer.

Cristiano Ronaldo à parte, o relógio em si é particularmente interessante – e atraente (convidamos o leitor a conhecê-lo também através do site Calibre 11). Com um tamanho realmente vintage, assente numa caixa de ‘somente’ 38 milímetros de diâmetro com os botões do cronógrafo à direita e a caraterística coroa à esquerda; como é tradicional em qualquer Carrera, a escala taquimétrica surge integrada no perímetro de mostrador com a disposição clássica Heuer de submostradores contrastantes às 3 horas e às 9 horas, mais janela para a data às 6 horas. Para além dos também habituais indicadores das horas aplicados, o grande destaque do mostrador vai para as estrias Côtes de Genève que dão a ideia de dividir o mostrador em três secções verticais. Como no original em ouro da década de 70.

O modelo original do Carrera Heuer Ronnie Peterson que Jack Heuer oferecia aos ‘seus’ pilotos.

Muitas das chamadas reedições históricas da mais famosa era Heuer são sobretudo reinterpretações, mas o Carrera Ronnie Peterson Special Edition pode ser caraterizado como reedição atendendo à grande aproximação ao original. Mesmo os botões do cronógrafo são muito idênticos, para além do pequeno grande detalhe de o tamanho ser mesmo vintage em vez de um diâmetro adaptado aos padrões atuais. A versão em ouro usada por Cristiano Ronaldo tem o mesmo tom champanhe no mostrador, muito bem traduzido para o tom prateado na variante em aço que constitui o grosso da edição especial vendida na Suécia por 85.000 coroas (cerca de 9.500 euros).

Versão em aço do Carrera Ronnie Peterson Special Edition © TAG Heuer

A menção ‘exclusively for Sweden’ na apresentação do Carrera Ronnie Peterson Special Edition © TAG Heuer

A inspiração da reedição está relacionada com a referência 1158CH de meados da década de 70 baseado na tal segunda geração do Carrera lançada em 1969 – a versão em ouro que Jack Heuer oferecia aos ‘seus’ pilotos com uma inscrição personalizada no fundo. A variante que Jack Heuer ofereceu a Ronnie Peterson tinha a inscrição ‘Success Ronnie Peterson from Jack W. Heuer’ e estava acompanhada de uma bracelete milainese em ouro que, naquela altura, só por si valia o dobro do próprio relógio.

Dois lendários pilotos que foram também embaixadores TAG Heuer. Ronnie Peterson e Niki Lauda © DR

Dois lendários pilotos que foram também embaixadores TAG Heuer. Ronnie Peterson e Niki Lauda © DR

No dia 14 de maio de 2016, como então noticiámos, a Sotheby’s levou à praça o Heuer Carrera que pertenceu a Ronnie Peterson, enquanto oferta do próprio Jack Heuer. O relógio foi leiloado pela soma de 225.000 CHF, na altura um recorde no âmbito dos leilões em Genebra.

Vamos ver quanto valerá em leilão a versão em ouro da reedição… que não é propriamente única, porque Cristiano Ronaldo tem uma outra que lhe foi oferecida para usar no momento da sua (nova) consagração como melhor jogador do mundo!