Novidades, Relógios

NOVIDADES | F.P. Journe: Chronographe Monopoussoir Rattrapante

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

Em Genebra/ É a mais recente obra-prima do mestre François-Paul Journe: um cronógrafo monopulsante dotado de ponteiro de recuperação que foi inspirado no modelo que concebeu para o leilão Only Watch e que foi então licitado por 1,15 milhões de francos suíços. O Chronographe Monopoussoir Rattrapante estará disponível em três versões.

Foi um dos grandes focos de conversação no recente Salon International de la Haute Horlogerie. Embora o espaço da F.P. Journe no Carré des Horlogers estivesse exclusivamente dedicado à linha feminina Élegante, o novo Chronographe Monopoussoir Rattrapante foi frequentemente objeto de debate e o próprio François-Paul Journe não se coibiu de o mostrar aos amigos nos corredores da Palexpo, para além das apresentações programadas na sede da manufatura ao longo da semana. Tivemos a oportunidade de conversar com ele e até de tirar alguns wristshots da nova criação do reputado mestre marselhês.

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

O Chronographe Monopoussoir Rattrapante foi inspirado na peça única idealizada por François-Paul Journe para o leilão Only Watch que teve lugar no passado mês de novembro – granjeando então a bela soma de 1,15 milhões de francos suíços para a causa de beneficência associada ao evento. François-Paul Journe garantiu logo que tanto o relógio como o movimento não seriam reproduzidos, tal como sucedeu nas anteriores edições do leilão e a par do espírito único por trás da iniciativa (sabe-se como o mestre respeita incondicionalmente os colecionadores que desembolsam avultadas somas pelas suas obras-primas). Mas essa peça única serviu para inspirar um novo modelo mais desportivo dotado de um movimento cronográfico aperfeiçoado com data sobredimensionada; os cronógrafos continuam a ser uma variante extremamente popular e, depois do Octa Chronograph desaparecido na década passada e substituído pelo notável Centigraphe também declinado na linha lineSport, há muito que se esperava um novo cronógrafo sob a chancela Invenit et Fecit que serve de divisa à F.P. Journe. Aí está ele, disponível em platina (CHF 106.000), ouro rosa (CHF 78.000) ou titânio (CHF 58.000).

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

Tivemos a oportunidade de começar por manusear, experimentar e fotografar a versão em ouro rosa. Os 44 milímetros de diâmetro constituem, numa análise fria, um tamanho demasiado grande para a horda de puristas aficionados da F.P. Journe – mas o design integrado do relógio torna-o perfeitamente adaptado até a pulsos mais pequenos: o facto de não ter asas convencionais e de a bracelete ser acoplada diretamente à caixa faz com que esse diâmetro de 44 milímetros assente como se a peça tivesse uns 41 milímetros, para somente 12mm de espessura; por outro lado, o diâmetro alargado permite que o mostrador esteja suficientemente desanuviado e tenha uma leitura irrepreensível. Os submostradores prateados contrastantes com os parafusos decorativos típicos da estética Invenit et Fecit, os algarismos árabes aplicados, o centro guillochado em Clous de Paris, a data grande, os ponteiros e a tonalidade cinzenta oferecem um conjunto de grande congruência estética não só no relógio em si mas também no âmbito da coleção. A versão em titânio difere das outras com a abertura dos submostradores para o mecanismo, a utilização do vermelho e a luminescência nos ponteiros.

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

No exterior, o taquímetro está localizado numa luneta com inserção em cerâmica preta que condiz com a coroa e as inserções de borracha na base da luneta e na bracelete que são caraterísticas da gama lineSport. E a disposição clássica dos botões do cronógrafo às 2 e às 4 horas não tem o sistema operativo dos cronógrafos normais: a designação ‘Monopoussoir’ tem a ver exclusivamente com o botão de cima, que tem a responsabilidade única de acionar, parar e remeter a zero o ponteiro cronográfico dos segundos sem a necessidade habitual de um segundo botão; já o botão de baixo está exclusivamente afeto ao ponteiro rattrapante, dito de recuperação, para a medida de espaços de tempo suplementares e complementares da cronometragem principal.

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

No interior bate um movimento de carga manual que até é mais complexo que o do exemplar único leiloado no Only Watch. O calibre de manufatura 1518 com roda de colunas apresenta um mínimo de 80 horas de reserva de corda, idealizado para que a sua transmissão direta impeça o caraterístico salto inicial do ponteiro cronográfico dos segundos. As versões em ouro e platina incluem uma declinação em ouro maciço do calibre 1518, enquanto a versão em titânio alberga uma construção do mesmo movimento em alumínio – como na génese da coleção lineSport.

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

A inspiração por trás da coleção

Tendo várias vezes afirmado que nunca se aventuraria no domínio dos relógios desportivos, foi a partir de uma sugestão de um cliente e amigo que François-Paul Journe resolveu criar a lineSport. Esse amigo é um importante coleccionador que decidiu transformar radicalmente a sua atividade sedentária de homem de negócios e abraçar um estilo de vida mais saudável e radicalmente desportivo, já que passou a correr regularmente em maratonas e a participar em provas de triatlo. Essa mudança de atitude e até de peso não fez o colecionador desinteressar-se pela alta-relojoaria: pelo contrário, desafiou François-Paul Journe a declinar as suas fabulosas criações em versões que lhe permitissem ser utilizadas em competição.

François-Paul Journe não é homem de virar a cara a um bom desafio; afinal de contas, os grandes relojoeiros gostam de desafiar os seus próprios limites. O hiper-galardoado mestre, que nunca quis ir além de um ou outro modelo na sua coleção que tivesse características mais desportivas mas que mantivesse códigos da alta-relojoaria, acabou por aceitar o repto e o primeiro modelo lançado foi uma declinação do Centigraphe (cronógrafo capaz de leituras até ao centésimo de segundo) que ganhou o prémio de ‘Relógio do Ano’ no Grand Prix d’Horlogerie de Genéve. A versão Centigraphe Sport apresentava uma caixa diferente e uma bracelete específica, albergando um mecanismo em alumínio para um peso total de 55 gramas! O alumínio já havia sido utilizado e testado na relojoaria, mas nunca através de uma liga tão apurada que o enobrece significativamente ou em modelos de grande exclusividade; e foi sobretudo a construção do calibre em alumínio que estabeleceu a diferenciação relativamente a tudo o que antes se fez.

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

F.P. Journe Chronographe Monopoussoir Rattrapante. © F.P. Journe

Como a manufatura F.P. Journe tem a experiência de fazer os seus mecanismos em ouro rosa de 18k (em vez dos tradicionais metal e latão), tornou-se menos difícil a complicada transição para o alumínio e foi feito o mesmo para o mecanismo automático que depois equipou o seguinte modelo: o Octa Sport (53 gramas). O Chronographe Monopoussoir Rattrapante veio enriquecer sobremaneira a linha lineSport.

Visite o site oficial de F.P.Journe para mais informações.