Em Foco, Relógios

EM FOCO | IWC Portugieser Chronograph

IWC Portugieser Chronograph. © Espiral do Tempo/ Paulo Pires

Edição impressa | Inspirada num relógio encomendado por dois empresários portugueses dos anos 30, a linha Portugieser é — juntamente com a Pilot — a mais bem-sucedida no catálogo da IWC. De elegância intemporal, não tem parado de crescer desde a sua (re)criação na década de 90, e recebeu recentemente a adição de uma nova versão para o modelo que é considerado o seu pilar: o Portugieser Chronograph em aço, agora disponível com um mostrador azul que, atendendo ao exemplar em questão, pode e deve evocar a vocação marítima lusa!

Artigo originalmente publicada no número 61 da Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Azul na moda

A cor azul tem surgido em grande força nos últimos anos e ganhado relevância nas coleções das mais prestigiadas marcas de alta-relojoaria. A IWC reservava os mostradores azulados para edições especiais de alta-relojoaria ou com metais preciosos e tiragens limitadas (Petit Prince, Laureus), mas o apelo dos aficionados teve o seu peso na popular decisão de tornar
o clássico tom azul galvanizado mais acessível dentro do catálogo da IWC. O contraste com o tom prateado dos ponteiros e dos algarismos aplicados é notável.

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Esteio da coleção

Entre as múltiplas referências que constituem a linha Portugieser (também conhecida por «Portuguesa», «Portugaise» ou «Portuguese», embora a IWC tenha solicitado a uniformização da nomenclatura original), o Portugieser Chronograph foi das primeiras referências a serem lançadas nos anos 90 e tem-se mantido como incontornável nas várias versões de mostrador (branco, preto e cinza, além do azul). As suas linhas puras e a caixa de 40,9 mm torna-o especialmente apelativo a uma grande faixa de consumidores, sendo que o preço é mais baixo do que outros modelos Portugieser, por ter um movimento de base Valjoux e não de manufatura.

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Homens do Norte

A história da linha Portugieser remonta a 1939, na sequência de uma encomenda feita pelos comerciantes nortenhos de apelido Rodrigues e Teixeira – que, ao visitarem as instalações da marca em Schafhausen, solicitaram um relógio que pudesse albergar um movimento de maior precisão cronométrica (que, na altura, eram feitos para os relógios de bolso). Foi escolhido
o Calibre 74, com horas, minutos e pequenos segundos para uma ‘enorme’ (à altura) caixa
de 43 mm. Segundo a ideia do mestre relojoeiro Kurt Klaus, as linhas do original foram recuperadas para a ressurreição do Portugieser aquando do 125 º  aniversário da marca, em 1993.

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

IWC Portugieser Chronograph. © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Características Técnicas

IWC
Portugieser Chronograph

Referência / IW371491
Movimento / Mecânico de corda automática, calibre 79350, 44 horas de reserva de corda, 28.800 alt/h.
Funções / Horas, minutos, segundos e cronógrafo.
Caixa Ø 44 mm / Aço, vidro e fundo em vidro de sa ra, estanque até 30 m.
Bracelete / Pele de aligátor com fecho de báscula em aço.
Preço / € 7.850

Consulte o site oficial da IWC para mais informações.