Histórias

Destaque_

Recomendado: a semana que passou em destaque

Mais um início de semana e mais alguns artigos que recomendamos. Andamos completamente fãs das histórias que o site Revolution tem dedicado ao lado vintage do mundo da relojoaria, mas claro que há muito mais para descobrir. Dexiamos, assim, algumas leituras que não vai querer perder.

TAG Heuer Monaco

Crónica: Ser quadrado é fixe

EdT55 — «Quadrado» (adjetivo popular figurado): pouco inteligente, sem agilidade de pensamento; limitado, pouco recetivo a inovações; obtuso; convencional, retrógrado; tradicionalista. Ironicamente, as pessoas que conheço que gostam de relógios quadrados — e, por extensão, relógios de forma — são exatamente o oposto dessa definição pejorativa. Não tinha Steve McQueen o cognome ‘King of Cool’?

HyperFocal: 0

Um Shelby Cobra para o pulso

A histórica parceria entre o universo relojoeiro e o mundo automóvel tem um novo capítulo. Ao longo do presente milénio têm-se sucedido as associações ao mais alto nível entre grandes marcas de ambos os setores e uma das mais recentes é a colaboração entre a Baume & Mercier e a Carroll Shelby Company, iniciada em 2015 e com um desenvolvimento de nonta desvelado no recente SIHH: o novo Clifton Club Shelby Cobra Limited Edition passa a ser a estrela da companhia.

Nossa Escolha

Escolhas da semana: Vintage GMT, Duomètre Chronographe Magnetite e Hammerhead

A versão GMT de uma das mais felizes interpretações do Chronofighter da Graham, novos modelos Duomètre da Jaeger-LeCoultre que se distinguem não só pelo já reconhecido conceito técnico, como pelo impacto estético do mostrador cinza magnetite e um relógio pujante de mergulho como tendem a ser os relógios de mergulho da Oris: são estes os modelos que destacamos esta semana. 

Destaque

Recomendado: a semana que passou em destaque

Como é habitual, em início de semana, destacamos alguns artigos sobre o mundo da relojoaria que nos pareceram interessantes. Voltamos a salientar, que cada vez mais, os artigos que vamos descobrindo se ancoram em histórias que os relógios têm para contar e na relação especial que as pessoas estabelecem com os seus instrumentos do tempo. 

Galeria

Ponto de vista: a 54.000$ USD por minuto

Sopram ventos de mudança no mundo da relojoaria e, curiosamente, uma boa parte da corrente de ar tem sido provocada por meios de comunicação especializados como a holandesa Fratello Watches ou a norte americana Hodinkee. Ainda ninguém se constipou seriamente, mas é inequívoco que já há narizes vermelhos.

Valérie Messika

Valérie Messika em entrevista exclusiva

EdT57 — Valérie Messika não canta (como Marilyn Monroe em Gentlemen Prefer Blonds), mas encanta. E muito. Não só pela intensa paixão que deixa transparecer pela mais romântica das pedras preciosas, como também pelo terno lado pessoal e familiar inerente à marca de joalharia que lançou em 2005. Quanto às suas criações, as palavras pouco dizem. Porque quando se encara com gosto especial aquilo que se faz, tudo ganha outra dimensão. No caso específico da Messika Joaillerie, cada peça fala por si.

NossaEscolha_1

As escolhas da semana: entre passado e futuro

Um cronógrafo de espírito vintage e um concept watch absolutamente inovador: em período de euforia no que diz respeito a novidades, destacamos alguns dos modelos divulgados que não nos deixaram indiferentes nos tempos mais recentes. Falamos do Zenith Heritage 146 e do Ulysse Nardin InnoVision 2. Para a semana há mais.

Destaque

Recomendado: a semana que passou em destaque

Porque a indústria relojoeira não para nunca, arrancamos mais uma semana com alguns dos artigos que mais nos chamaram a atenção nos últimos dias. E o mais interessante é constatar como, mesmo entre as novidades que têm vindo a ser destacadas, há cada vez mais tendência para encarar os relógios enquanto objetos especiais que contam histórias e que unem as pessoas.