Chopard

Última hora

SUGESTÕES | Guia de última hora (há sempre tempo…)

Peguemos em clichés que agora até dão jeito: os portugueses são conhecidos pela cultura do desenrasca, pelo”vão sem mim que eu vou lá ter”*, por chegarem atrasados aos eventos e pelos eventos que não começam à hora marca. São também conhecidos pelo adiar das obrigações, que passa por, por exemplo, por arrumar tudo muito bem antes de fazer o que se tem de fazer para depois deixar para amanhã o que se teria de fazer hoje. E, no seguimento, o deixar as “coisas” para o fim, o que inclui, claro, compras de última hora, principalmente em épocas simbólicas e de grande azáfama, como o Natal. Mas nós, solidários com os portugueses (afinal também o somos), preparámos uma listagem de última hora de relógios como sugestões de prenda. Segmentamos por preços, para facilitar o trabalho.

Chopard | L.U.C GMT One © Espiral do Tempo / Paulo Pires

EM FOCO | Chopard L.U.C GMT One

Na sequência do 20º aniversário da sua manufatura LUC estabelecida em Fleurier, a Chopard criou dois novos modelos dedicados aos viajantes com calibres próprios e fusos horários adicionais. Um deles é o L.U.C GMT One, com um ponteiro suplementar que indica um segundo fuso horário numa escala de 24 horas e disponível em diversas variantes. Escolhemos a versão em ouro rosa com mostrador acastanhado para analisar e fotografar; as conclusões foram fáceis de tirar: trata-se de um relógio de classe… internacional.

Chopard L.U.C Full Strike

ATUALIDADES | GPHG 2017: Chopard L.U.C Full Strike conquista Aiguille d’Or

O Chopard LUC Full Strike foi o grande vencedor da edição de 2017 do Grand Prix d’Horlogerie de Genève — ao ter sido distinguido com o prémio Aiguille d’Or. Depois de, em 2016, Karl-Friedrich Scheufele ter levado para casa o mesmo galardão com o seu Ferdinand Berthoud Chronomètre Ferdinand Berthoud FB 1, o co-presidente da Chopard volta a mostrar que, no domínio da relojoaria, o ser fiel  às suas convicções e aos valores da sua marca faz realmente a diferença. O L.U.C Full Strike é o primeiro repetição de minutos da Chopard e  surpreende pelo conjunto de inovações técnicas — entre elas os gongos de safira, numa construção inédita que garante um som puro e cristalino. Não poderia haver momento mais simbólico para esta vitória: o L.U.C Full Strike foi apresentado ao mundo há um ano, precisamente. Mas há mais vencedores no âmbito do GPHG 2017. Por isso e antes do habitual rescaldo, deixamos a listagem dos distinguidos.

Chopard Imperiale Jade © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

EM FOCO | Chopard Imperiale Jade

Edição impressa | No domínio das criações relojoeiras femininas, a Chopard é sobretudo conhecida pela coleção Happy Sport e pelos seus relógios-joias que são verdadeiros hinos às mais meticulosas técnicas artesanais. Mas entre estas duas vertentes, a coleção Imperiale, lançada em 2010, surge como um ponto sofisticado de equilíbrio — um relógio inspirado em códigos da era imperial, mas pensado para quem aprecia a elegância de um luxo discreto. Das várias referências disponíveis com mostrador verde, fotografámos recentemente o Imperiale Jade, uma preciosa declinação com caixa em ouro lançada em 2015 para celebrar o Ano Chinês da Cabra.

Destaque

RECOMENDADO | Três entrevistas de que vai gostar…

Nesta segunda -feira, recomendamos três entrevistas relacionadas com três temas que fazem a atualidade relojoeira. Falamos de Aurel Bacs, a propósito do leilão do mítico Rolex Ref.6239 Daytona Paul Newman, de Elie Bernheim, a propósito do lançamento do calibre RW1212, e de Karl-Friedrich Scheufele a propósito do lançamento do Chronomètre Ferdinand Berthoud FB 1.3 da Ferdinand Berthoud. 

© Espiral do Tempo / Susana Gasalho

EM FOCO | Chopard L.U.C Traveler One

Na sequência do 20.º aniversário da sua manufatura, L.U.C, estabelecida em Fleurier, a Chopard criou dois novos modelos dedicados aos viajantes, com calibres próprios e fusos horários adicionais: o L.U.C GMT One, com segundo fuso horário, e o L.U.C Traveler One, com os 24 fusos mundiais em simultâneo. Dos dois, o Traveler One é o mais sofisticado, sendo mecanicamente mais complexo e esteticamente mais impactante — sobretudo a versão em aço, com maiores contrastes no mostrador. O primeiro worldtimer da Chopard é um elegante viajante de classe internacional.