Girard-Perregaux

Abertura Antonio Calce_©Espiral do Tempo

ENTREVISTA | Antonio Calce, CEO da Girard-Perregaux

Edição impressa | Antonio Calce passou por Portugal na sequência do novo acordo de distribuição estabelecido entre a Torres Joalheiros e a Girard-Perregaux — a histórica manufatura suíça a cujos destinos preside e que integra a divisão de relógios e joias do grupo Kering. De origem italiana e com formação em microtecnologia e estudos empresariais, apresenta uma experiência superior a duas décadas no mais alto nível na indústria relojoeira — tendo passado pela Piaget, pela Panerai e pela Corum, até assumir a liderança da Girard-Perregaux, no início de 2015. Fomos falar com ele sobre o rumo que pretende para a marca; com a sua jovialidade e eloquência caraterísticas, não se fez rogado em abordar vários aspetos significantes da indústria relojoeira, em geral, e da Girard-Perregaux, em específico.

Viajantes no tempo

HISTÓRIAS | Viajantes do Tempo

A relojoaria sempre esteve na vanguarda da exploração — tanto no acompanhamento de expedições que desbravaram novas fronteiras como no desbravamento de novas soluções técnicas na arte de medir o tempo. Mas houve muitos protagonistas históricos e fundadores de marcas relojoeiras que foram ainda mais além, assumindo eles próprios o papel de pioneiros, colonos e povoadores.

GP Laureato

EM FOCO | Girard-Perregaux Laureato

 A década de 70 revelou uma forte inclinação para a contracultura através de um corte epistemológico com o passado classicista e uma rotura relativamente a padrões tradicionais. O Laureato da Girard-Perregaux foi um dos pontas de lança dessa nova tendência que ia contra o uso do formato redondo convencional mediante um design que fusionava caixa e bracelete em modelos de um material democrático (o aço), mas com acabamentos exclusivos (de alta-relojoaria). Cerca de 30 anos depois, a marca ressuscitou o Laureato numa coleção multidisciplinar, na qual se destaca o modelo de base que homenageia o original de 1975 e vários sucessores.

Girard-Perregaux 1966 44 mm

EM FOCO – Girard-Perregaux 1966 44 mm

De inspiração vintage, linhas clássicas e personalidade discreta, o 1966 44 mm da Girard-Perregaux tem, no entanto, qualquer coisa de original e até de disruptiva. Por três motivos: uma caixa de 44 mm, pouco usual num relógio desta natureza, um mostrador sfumato super elegante e um perfil abaulado que se percebe muito bem. Basta encarar o relógio no ângulo certo.

© Ressence

NOVIDADES – SIHH 2017/ Dez relógios que ficam (especialmente) bem em pulsos de senhora

Há quem diga que, nos tempos que correm, não faz sentido catalogar os relógios em modelos de senhora e modelos de homem. As razões são de diversa ordem (a este propósito talvez seja interessante reler a crónica «Para menino e para menina»), mas, a verdade é que, independentemente do género, há relógios para todos os gostos. Por isso, fizemos uma galeria com novidades que, sejam ou não anunciadas como relógios de senhora, achamos que ficam bem em pulsos femininos. E tome nota: gostos não se discutem!