Greubel Forsey

Galeria Entrada

Baselworld 2017: os pormenores que fazem a diferença

Há muito mais para descobrir, mas compilámos em galeria alguns pormenores que nos fazem realmente suspirar. Seja de ordem técnica ou de ordem estética, a relojoaria faz-se de pequenos detalhes, com a nota de que o poder criativo das marcas é cada vez mais impressionante. Imaginação não falta, soluções originais também não. Esta é, sem dúvida, uma galeria para crescer e para revisitar. 

Independentes: MB&F

Independentes: movimento alternativo

EdT56 — As marcas e os criadores independentes têm vindo a afirmar-se entre as vedetas dos grandes certames relojoeiros ao longo da última década — desde Baselworld ao SalonQP. A partir deste ano, o Salon International de la Haute Horlogerie também lhes abriu as portas. Por que razão são eles tidos em alta estima pela crítica e pelos colecionadores? Como conseguem sobreviver numa conjuntura de recessão dos mercados relojoeiros? Aqui fica o ponto da situação.

SIHH Carré des Horlogers

Carré des Horlogers: combinação explosiva

EdT54/ em Genebra — A relojoaria de prestígio tem-se declinado cada vez mais em dois campos bem distintos: o das históricas manufaturas tradicionais e o das emergentes marcas independentes. A nova configuração do recente Salon International de la Haute Horlogerie foi um excelente exemplo dessa polarização e emprestou ao certame uma dinâmica bem diferente. Eis a necessária avaliação de um tema cada vez mais atual na atualidade relojoeira.

GPHG2015_Ceremony_01

GPHG 2015: Grito de Independência

Em Genebra — A cerimónia teve lugar num Grand Théâtre de Genève muito bem frequentado e que esgotou a sua lotação; a cada ano que passa, o certame redobra de importância e torna-se mais global — mas falta a participação de algumas marcas. E os vencedores foram…