Montblanc

Destaque_

Recomendado: a semana que passou em destaque

Arrancamos mais uma semana com uma seleção de alguns artigos que nos chamaram a atenção na passada semana. Como é habitual nesta altura do ano, entre o SIHH que passou e Baselworld que está para vir, grande parte das notícias centram-se em novidades bem frescas que as marcas têm vindo a divulgar. Deixamos um apanhado das histórias que nos cativaram nos últimos dias.

SIHH2017_baixos

SIHH 2017/ Uma oferta à medida: até 10.000 euros

Por definição, o Salon International de la Haute Horlogerie (SIHH) é dedicado a obras-primas da relojoaria mecânica cujo preço médio se situa muito acima da media — mas a atual conjuntura económica levou várias marcas a afinar estratégias de comercialização com novos posicionamentos de preço. Aqui fica uma seleção de modelos que, para nós, mais se destacaram nesse âmbito entre os que foram apresentados esta semana: até 10.000 euros.

Montblanc_TimeWalker_Chronograph_UTC_01

SIHH 2017/ As primeiras imagens do TimeWalker Chronograph UTC – as primeiras notas também

O regresso do TimeWalker é sempre uma boa notícia — aquele modo tão Montblanc de associar com classe linhas mais desportivas a linhas mais elegantes tem sido uma fórmula de sucesso. É, por isso,  com gosto que recebemos este ano o TimeWalker Chronograph UTC — um modelo de homenagem ao passado da manufatura Minerva  no âmbito dos intrumentos do tempos de alta precisão. Aqui ficam alguns pormenores e as primeiras fotos do novo cronógrafo.

A. Lange & Söhne 1815 Tourbillon

Galeria: Sentido figurado

EdT57 — Quando encaramos um relógio de pulso pela primeira vez há sempre elementos visuais que se destacam; mas, depois, à medida que vamos contactando mais com esse relógio, à medida que o vamos conhecendo, acabamos por encontrar outros aspetos — de ordem estética ou técnica — que o traduzem enquanto instrumento do tempo. Foi com esta ideia em mente que avançámos para as fotografias que se seguem. O nosso objetivo: sintetizar com uma característica (apenas uma) um relógio selecionado. O resultado: uma espécie de jogo de relação entre relógios e objetos. Serão estas relações tão óbvias para o leitor, como o são para nós?

TAG Heuer Carrera Connected

Crónica: «Ir ao bolso»

EdT56 — Mais um mito do eterno retorno: antes, para se ver as horas era necessário recorrer aos relógios de bolso; agora, a nova geração também vai ao bolso para ver as horas no seu smartphone. Poderão os novos smartwatches inverter essa tendência? A relojoaria tradicional agradece…

GPHG 2016

GPHG 2016: Liberdade, Igualdade, Fraternidade

Em Genebra — O mote da República Francesa pode servir bem para definir a 16.ª edição do Grand Prix d’Horlogerie de Genève — realizado não muito longe da fronteira com a França. Foi a relojoaria suíça que dominou, mas houve alguns intrusos e, sobretudo, viu-se mais uma vez os jovens independentes libertarem-se das suas restrições para se equipararem às históricas manufaturas. A Girard-Perregaux e a Piaget bisaram, mas as melhores histórias da noite tiveram a ver com a reaparição de Jack Heuer, a igualdade promovida por Max Büsser e a fraternidade dos irmãos Gronefeld.

GPHG 2016

GPHG 2016: Ferdinand Berthoud conquista Aiguille d’Or

O Ferdinand Berthoud Chronomètre Ferdinand Berthoud FB 1 foi o grande vencedor do Grand Prix d’Horlogerie de Genève 2016 — ao ter sido ontem distinguido com o Aiguille d’Or. Este relógio está disponível em ouro rosa e cerâmica e em ouro branco e titânio, tendo sido esta última versão a conquistar o galardão. O Chronomètre Ferdinand Berthoud FB está equipado com o Calibre FB-T.FC, movimento de corda manual com fuso corrente para melhor transmissão da força constante e um turbilhão de baixa frequência com grandes dimensões. Mas aqui fica a listagem de todos os vencedores.

EdT56_edicaoImpr

#56 | Outono 2016

Já está nas bancas a edição de outono da Espiral do Tempo (número 56). Na capa, o destaque vai para o TAG Heuer Monza, uma das grandes estrelas do ano relojoeiro de 2016. Mas há mais para descobrir: no âmbito da inauguração do MAAT, entrevistámos Pedro Gadanho, diretor deste novo espaço que vem dar mais vida a Lisboa. Surpreenda-se ainda com o espetacular Montblanc Villeret Tourbillon Geosphères Vasco da Gama e com instrumentos do tempo fascinantes como o Zeitwerk Striking Time da A. Lange & Söhne.