Patek Philippe

A nossa escolha

Baselworld 2017: a nossa escolha do dia 1

Baselworld abriu hoje as portas ao público em geral, mas na verdade o evento arrancou ontem com um dia  dedicado em exclusivo à imprensa. E, com seria de esperar, há muita euforia, muitas novidades e muito para contar. Aqui fica assim uma seleção da equipa da Espiral do Tempo alguns dos modelos que mais nos chamaram a atenção neste primeiro momento do maior evento da relojoaria. 

Patek Philippe Nautilus Ref. 5711/1P-001

Patek Philippe Nautilus: a força dos 40

EdT57 —Da lenda para a história: o ícone submersível Nautilus da Patek Philippe completou em 2016 o seu 40.º aniversário com o lançamento de dois inesperados modelos comemorativos que rebentaram a escala e deixaram os aficionados em polvorosa. O que diria o Capitão Nemo?

PatekPhilippe_Biography

Leituras: Patek Philippe – a biografia autorizada

Um dos presentes de Natal que tivemos a honra de receber na nossa redação foi o livro Patek Philippe The authorized biography da autoria de Nicholas Foulkes. Uma honra mesmo. É que se, inicialmente, esta obra estava prevista para ser lançada no âmbito das celebrações do 175.º aniversário da manufatura, a verdade é que sai fora da data prevista, mas com mais ‘peso’ do que se poderia pensar. O próprio autor o afirma: «(…) I hope that it has been worth the wait and the weight.»

Foto de Peggy Sirota para a campanha Generations da Patek Philippe (1996)

Campanha Generations e Magazine Patek Philippe celebram 20 anos

A Patek Philippe celebra, em 2016, os 20 anos da campanha ‘Generations’ — uma campanha que veio abordar os instrumentos do tempo da marca como objetos criados para atravessarem gerações. Ainda este ano, a marca celebra também duas décadas da sua Magazine Patek Philippe — uma publicação de referência que nasceu do desejo de Philippe Stern partilhar com os clientes as maravilhas associadas ao universo Patek Philippe.

ponteiros

Ponteiros: Apontar não é feio

EdT56 — Mais do que apenas um elemento estritamente funcional, os ponteiros de um relógio podem também ser um elemento de afirmação de uma marca. Entre função, estética e origem histórica, eles têm, afinal, muito mais para contar do que apenas as horas e os minutos de cada dia.

TAG Heuer Carrera Connected

Crónica: «Ir ao bolso»

EdT56 — Mais um mito do eterno retorno: antes, para se ver as horas era necessário recorrer aos relógios de bolso; agora, a nova geração também vai ao bolso para ver as horas no seu smartphone. Poderão os novos smartwatches inverter essa tendência? A relojoaria tradicional agradece…

EdT53_JohnMayer

John Mayer: rockin’ on vintage time

EdT53 — John Mayer é um colecionador. Escreve no blogue Hodinkee e já fez parte do júri do Grand Prix d’Horlogerie de Genève. A sua coleção está avaliada, pelo próprio, em dezenas de milhões de dólares. Ah! E é também um dos mais famosos músicos de pop-rock da sua geração. Já não se fazem colecionadores como antigamente. Ainda bem.

Cadrans Fluckiger

Cadrans Fluckiger: A criação dos rostos

EdT55 — Quem encara, pela primeira vez, o discreto edifício da Cadrans Fluckiger, em St-Imier, na Suíça, talvez não saiba que, sob a chancela Patek Philippe, ali são produzidos diariamente mostradores que serão o rosto de alguns dos mais prestigiados relógios de pulso. Tecnologia, rigor e precisão são palavras-chave desta manufatura.  Savoir-faire e dedicação também.