fbpx

Memórias coloridas

Costuma dizer-se que há cores frias e cores quentes. Que há cores que parecem macias, outras texturadas, outras lisas, outras aveludadas ou profundas e que até há cores que parecem despertar uma sensação de falta de ar. Mas que memórias nos despertam determinadas cores? Que outras emoções nos despertam na pele quando pensamos nelas? Até onde nos transporta um vermelho vivo? Ou um azul celeste? Ou um verde água?

Convidámos algumas pessoas, cruciais no nosso dia-a-dia enquanto Espiral do Tempo, a falar connosco sobre este assunto. Pedimos-lhes que segurassem em relógios com mostradores coloridos e partilhassem as lembranças ou sensações que as cores que tiveram em m os lhes evocam. Porque as mãos também reavivam memórias.


Produção fotográfica publicada no número 73 da Espiral do Tempo (Inverno | 2020)


Clique na imagem para ver a galeria:

Fotografias: Paulo Pires / Espiral do Tempo
Realização: Espiral do Tempo
Agradecimentos: Manuel, Nuno, Rita, Susana, Miguel, Catarina, Mayara, Paulo e José Luís.

Outras leituras