fbpx

Detalhes de outro mundo

Há relojoaria fina e alta-relojoaria. Muitas vezes, a diferença só pode ser escrutinada através da lupa ou de um olhar mais exigente. E depois há a mais alta relojoaria — num patamar microscópico de acabamentos decorativos que coloca a arte relojoeira na estratosfera. Aqui ficam alguns exemplos mecânicos e decorativos retirados de recentes novidades apresentadas na Watches and Wonders.


Artigo originalmente publicado no número 78 da Espiral do Tempo (primavera 2022) 


À primeira vista, um movimento mecânico segue os mesmos princípios técnicos básicos — sendo mais claramente diferenciados pela acumulação de funções. O mesmo acontece com um relógio analógico tradicional. Mas a alta-relojoaria significa também tudo o que está para além de um primeiro olhar, tudo o que está para além do óbvio. É toda uma outra dimensão arquitetónica, mecânica e artística. E que melhor maneira de demonstrar todo o grau de excelência que lhe está inerente do que a apresentação de exemplos concretos? No âmbito da primeira edição presencial da Watches and Wonders, em Genebra, o mais relevante certame relojoeiro do mundo, a Patek Philippe, a A. Lange & Söhne e a Roger Dubuis apresentaram as suas novidades e dessas destacamos três exemplos distintos bem reveladores de como a alta-relojoaria catapulta a arte relojoeira para um domínio transcendental.

Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001 no pulso
Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001 | © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

As viagens da Patek Philippe

Entre os vários novos modelos de maior complexidade técnica ou maior componente artística apresentados pela Patek Philippe, há um que se destaca pela elegância casual que faz dele um relógio perfeito para o viajante — o Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001, que junta pela primeira vez duas complicações patenteadas da manufatura genebrina: o Calendário Anual e o sistema Travel Time. No total, são oito as patentes envolvidas e o controlo do segundo fuso horário é feito a partir da coroa para dispensar os dois habituais botões suplementares, mas talvez o que surpreenda mais sejam os recursos estéticos refinados que dão uma sofisticada personalidade ao conjunto.

Soldad Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001
Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001 | © Patek Philippe

O mostrador é inspirado por antigas máquinas fotográficas e foi criteriosamente confecionado na Cadrans Flückiger, a sucursal da Patek Philippe em St. Imier com muitas décadas de experiência na criação dos melhores mostradores do mundo. O tom antracite apresenta uma graduação cromática desde a periferia e uma estrutura granulada reminiscente da superfície das câmaras de outrora. A própria seleção de correias (duas: uma em couro bege com textura do tipo camurça e outra em couro preto com acabamento têxtil incorporado) combina idealmente com as particularidades do mostrador.

Pormenor mostrador Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001
Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001 | © Patek Philippe

A caixa de 41mm em ouro branco ostenta a perfeita forma circular dos modelos Calatrava, mas inclui um padrão decorativo no fl anco em todo o seu diâmetro. As pequenas pirâmides em relevo foram incluídas pela primeira vez na luneta do Calatrava Ref. 3919 ‘Clous de Paris’ em 1985 e ressurgiram recentemente no Calatrava Ref. 6119 ‘Clous de Paris’; no Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001, proporcionam um tal brilho e refl exo especial que as asas surgem ligadas ao fundo para não interromperem a decoração à volta da caixa. Resultado: um excecional acabamento estruturado que faz toda a diferença visual — e, consequentemente, emocional.

Pormenor coroa Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001
Patek Philippe Calatrava Annual Calendar Travel Time Ref. 5326G-001 | © Patek Philippe

Os parâmetros da Lange & Söhne

Uma das principais novidades desveladas pela A. Lange & Söhne foi o Richard Lange Minute Repeater, que marca o regresso da manufatura saxónica às complicações acústicas numa edição de 50 exemplares em platina. Para além de toda a sofisticação técnica que oferece um funcionamento melhorado (eliminação da pausa entre o batimento das horas e dos minutos, sistemas de proteção do mecanismo), é o perfeito exemplo da excelência da casa germânica: mostrador clássico e sóbrio em esmalte com ponteiros azulados, fundo com o novo Calibre L122.1 que revela à primeira vista todas as caraterísticas estéticas da escola de Glashütte… mas que tem tantas outras nuances perceptíveis somente à segunda ou terceira vista, com lupa ou mesmo microscópio.

Soldad A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F
A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F | © A. Lange & Söhne

Há caraterísticas que são partilhadas por todos os relógios da A. Lange & Söhne, como as nervuras de Glashütte, os châtons de ouro, parafusos termicamente azulados, platina de três quartos em alpaca. E o acabamento personalizado de componentes individuais, como a gravação à mão do galo do balanço. O padrão permanece idêntico ao dos relógios de bolso da marca: uma flor à volta do parafuso no meio do galo, rodeada por motivos florais que se estendem até aos cantos e que são depois emoldurados por uma fina linha que acompanha os contornos do galo do balanço. Esse padrão pré-definido é reproduzido individualmente por cada mestre gravador, que pode decidir quantas pétalas a flor pode ostentar.

A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater no pulso
A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater | © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

Consequentemente, cada galo do balanço apresenta uma inimitável aura própria, profundidade do corte e ângulo das linhas. O ângulo determina quanta luz incidente é refletida; por sua vez, isso depende da força com que o gravador usa o buril. Também faz diferença se a gravação é feita com a mão direita ou a esquerda.
Alguns gravadores dominam a técnica da incisão com ambas as mãos porque uma curva para a direita pode ser cortada com mais perfeição através da mão esquerda e vice-versa.

Pormenor A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F
A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F | © A. Lange & Söhne

A própria ferramenta influencia o visual da obra de arte em curso. É por essa razão que todos os gravadores fabricam os seus próprios buris. E utilizam um microscópio para verificar o brilho das linhas de corte e a ponta do buril. O
conjunto de ferramentas inclui uma panóplia de diferentes buris: gravadores de borda redonda, gravadores de buris de chanfrar, buris redondos e buris planos. E mais algumas variantes personalizadas. A aprendizagem de tão específica profissão artesanal demora três anos e meio; quase todas as etapas de trabalho de um gravador da Lange são feitas sob um microscópio com um aumento de 10x a 12x. O que torna particularmente difícil esculpir formas curvas porque a profundidade de campo de um microscópio abrange somente escassos milímetros.

Pormenor mostrador A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F | © A. Lange & Söhne
A. Lange & Söhne Richard Lange Minute Repeater Ref. 606.079F | © A. Lange & Söhne

À mesa da Roger Dubuis

A chamada hiperrelojoaria da Roger Dubuis implica uma interpretação distinta e mais contemporânea dos elementos decorativos do que aquilo que se vê normalmente na Patek Philippe ou na A. Lange & Söhne. Sobretudo no caso do Excalibur Knights of the Round Table Monotourbillon/X, uma nova abordagem de uma épica temática medieval já anteriormente abordada no contexto da linha Excalibur.

Soldad Roger Dubuis Knights of the Round Table Ref. DBEX1025 em fundo branco
Roger Dubuis Knights of the Round Table Ref. DBEX1025 | © Roger Dubuis

Os Cavaleiros da Távola Redonda da lenda do Rei Artur lidam com a invisível força da gravidade — sentados à volta de um monoturbilhão central, com a mesa concebida em cristal de safira dotado de blocos violeta de vidro de Murano. Também o perímetro é feito em vidro típico dessa localidade vizinha de Veneza. Para além da exorbitância técnica, o relógio é marcado fundamentalmente pelas 12 diferentes microesculturas em ouro rosa que povoam o mostrador e representam não só os 12 cavaleiros da lenda, mas também as horas do meio ciclo diário. Cada herói tem 6mm de altura e cada qual apresenta uma parafernália bélica própria. As horas e os minutos são revelados através de discos rotativos. O conjunto é certificado pelo Punção de Genebra.

Pormenor mostrador Roger Dubuis Knights of the Round Table Ref. DBEX1025, em fundo preto
Roger Dubuis Knights of the Round Table Ref. DBEX1025 | © Roger Dubuis

Outras leituras