fbpx

Atelier Wen: Made in China

Atelier Wen é uma quase improvável aliança relojoeira entre o Ocidente e o Oriente. Ou melhor, entre a França e a China, através da Grã-Bretanha, onde está registada a nova empresa. A identidade da Atelier Wen combina a palavra francesa para oficina (Atelier) com a palavra chinesa para cultura (Wen) e isso diz quase tudo sobre o seu ADN.

'Ji' e 'Hao' © Atelier Wen
‘Ji’ e ‘Hao’ © Atelier Wen

Atelier Wen é uma quase improvável aliança relojoeira entre o Ocidente e o Oriente. Ou melhor, entre a França e a China, através da Grã-Bretanha, onde está registada a nova empresa. A identidade da Atelier Wen combina a palavra francesa para oficina (Atelier) com a palavra chinesa para cultura (Wen) e isso diz quase tudo sobre o seu ADN.

Primeiros esboços da marca © Atelier Wen
Primeiros esboços da marca © Atelier Wen

Este fruto da colaboração de ‘designers’ franceses e chineses começará a ser visível a partir de 12 de outubro através da plataforma Kickstarter, onde estará disponível o primeiro relógio da empresa, com um preço inferior a 500 euros, totalmente feito na China. A Atelier Wen promete usar os mesmos materiais, maquinaria e conhecimentos dos relojoeiros suíços nos seus produtos. Terão os seus relógios a qualidade suficiente para desafiar a hegemonia suíça?

Os componentes de um relógio Atelier Wen © Atelier Wen
Os componentes de um relógio Atelier Wen © Atelier Wen

Este encontro entre a Europa e a China nasce da ação de dois franceses, Robin Tallendier e Wilfried Buiron que, fascinados pela tradição relojoeira chinesa, decidiram criar um relógio 100% chinês, sem complexos. A ideia é atrair os jovens ‘milenaristas’. Tallendier defende que os consumidores sabem o que compram, e que por isso, assim, não serão enganados.

Mas: considera que as leis que determinam o selo Swiss Made que aparecem nos rélogios das marcas suíças permitem a estas adquirir alguns componentes noutras partes do mundo. Assim, acreditam que a transparência total é uma virtude: os relógios do Atelier Wen são Made in China. A 100%. Tallendier e Buiron têm ligações fortes à China. Os dois conheceram-se quando estudavam na Universidade de Warwick na Grã-Bretanha e depois foram, ambos, para a Renmin International Summer School de Pequim. Aí, Tallendier conheceu membros da estatal China Horologe Association, uma entidade que supervisiona e promove a indústria relojoeira chinesa. Foi assim que acabou por conhecer Sea-Gull, a mais conhecida marca chinesa de relógios mecânicos, produzida em Tianjin, que utiliza, segundo a empresa, a mesma maquinaria que as suas congéneres suíças. Tallendier percebeu que havia mercado para a futura Atelier Wen se abastecer, com custos baixos, utilizando os melhores materiais disponíveis, fossem tradicionais ou modernos, no antigo Império do Meio. E os dois avançaram para a nova empresa.

"Ji"/ "霁", muitas vezes traduzido como 'o mais belo azul' © Atelier Wen
“Ji”/ “霁”, muitas vezes traduzido como ‘o mais belo azul’ © Atelier Wen
"Hao"/"皓" que significa branco muito puro e luminoso © Atelier Wen
“Hao”/”皓” que significa branco muito puro e luminoso © Atelier Wen

No próximo ano a Atelier Wen pretende produzir 1500 relógios, que já serão vendidos através do seu site, que deverá estar disponível brevemente. Segundo os seus criadores os primeiros relógios que estarão agora disponíveis contam a história da tradição da arte e tradição chinesa através de mostradores de porcelana requintadamente decorados. A sua estrutura foi inspirada nos relógios franceses da década de 1950. Com base nisso a ideia do Atelier Wen é contribuir para um novo olhar ocidental sobre a produção chinesa de qualidade. Os primeiros modelos da marca, o Hao e o Ji, surgem em azul e branco, onde são visíveis o uso de porcelana e simbologia chinesa. As caixas são de aço, com diâmetro de 39 milímetros. O movimento Peacock SL 3000 é feito pela Dandong Watch Factory, e é um “clone” do ETA 2824-2. A pulseira é de couro. Os versos dos relógios têm gravado um Kun peng, uma mítica criatura chinesa ligada ao taoísmo, que é ao mesmo tempo um peixe e um pássaro.

Os versos dos relógios têm gravado um Kun peng, uma mítica criatura chinesa ligada ao taoísmo, que é ao mesmo tempo um peixe e um pássaro. © Atelier Wen
Os versos dos relógios têm gravado um Kun peng, uma mítica criatura chinesa ligada ao taoísmo, que é ao mesmo tempo um peixe e um pássaro. © Atelier Wen

Uma nova longa marcha começou. Do Oriente, rumo ao Ocidente.

Atualização a 19 de outubro de 2018: o projeto foi lançado na Kickstarter no dia 19 de outubro de 2018 e angariou de imediato financiamento suficiente para seguir em frente. Esperam-se assim mais novidades em breve.

Outras leituras