Casio G-Shock: o ponto G

Em 1983, o genial engenheiro da Casio Kikuo Ibe concebeu aquele que viria a ser um dos mais famosos modelos da relojoaria. Lançado em abril desse mesmo ano, o modelo DW5000C iria inaugurar mais do que uma nova coleção de relógios, iria inaugurar um verdadeiro ícone da cultura urbana moderna, a linha G-Shock.

São poucos os objetos que se libertam da sua função inicial e ascendem ao patamar de ícones da cultura popular. Os Casio G-Shock pertencem a essa classe. Usa-se um G-Shock porque é um G-Shock. É cool, é moderno e é adequado a qualquer uso. Colecionam-se, compram-se vários de várias cores e usam-se como uma lufada e ar fresco descontraído que nos faz sorrir sempre que olhamos para o pulso. Nada num G-Shock é formal ou aborrecido e é isso que o distingue.

A versão black, referência GMWB5000GD-1.
Casio G-Shock Full Metal. A versão black, referência GMWB5000GD-1.

A história da G-Shock é conhecida: conta-se que um engenheiro da Casio resolveu tentar desenvolver um relógio praticamente inquebrável, rejeitando a ideia de que os relógios de pulso eram sempre frágeis e fáceis de partir. Na verdade, estava a responder ao facto de ter visto o relógio de pulso do seu pai ter ficado em pedaços depois de uma queda. Perante esta situação, o engenheiro levou o seu desafio a peito e avançou com o seu projeto. Estávamos em 1981.

Após mais de 200 protótipos e um processo de desenvolvimento que durou dois anos, nasceu o primeiro relógio G-Shock com uma estrutura em camadas que veio permitir uma resistência superior em situação de impactos. Desde então, a marca continuou a evoluir com base no conceito «Absolute Toughness». Resistência e robustez absoluta.

Casio G-Shock Titanium Camouflage © Paulo Pires /Espiral do Tempo
Casio G-Shock Titanium Camouflage © Paulo Pires /Espiral do Tempo
Casio_Full_Metal_GMWB5000GD-9
Casio Full Metal GMWB5000GD-9. © Paulo Pires/ Espiral do Tempo

Se são sobejamente conhecidas as características técnicas dos Casio G-Shock é fascinante olhar para ele também sob o ponto de vista do design. A sua forma é um retângulo de orientação horizontal o que o torna imediatamente único. As funções são harmoniosamente dispostas no mostrador sendo que o mesmo cumpre uma dupla função visto que em volta do ecrã de leds estão colocadas as células fotossensíveis que são uma das fontes de energia do relógio. Entre os apreciadores da coleção, existem sempre quem prefira os mostradores `positivos ´ e outros os `negativos´, ou seja números escuros num fundo claro ou números claros sobre um fundo escuro. O seu design integrado ajuda a uma sensação de robustez visual e as novas aventuras da marca declinando vários modelos em metal vieram dar aos G-Shock um impulso extra com novas possibilidades estéticas de decoração e acabamentos.

Casio G-Shock Titanium Camouflage © Paulo Pires /Espiral do Tempo
Casio G-Shock Titanium Camouflage © Paulo Pires /Espiral do Tempo

Tivemos em mãos uma edição limitada a 1000 peças apenas lançada no Japão que nos maravilhou pela estética e pelo toque. Todo o design é harmonioso, bebe claramente da sua digna linhagem e contemplar os pormenores deste modelo é descobrir que o universo G-Shock continua no seu caminho de evolução e modernização.

Para mais informações, consulte o site oficial da Casio na Europa.

Outras leituras