fbpx

Chaplin’s World inaugura com Jaeger-LeCoultre como parceira

A Jaeger-LeCoultre volta a prestar tributo a Charlie Chaplin, enquanto parceira do museu Chaplin’s World  By Grévin, um novo espaço dedicado à vida e à carreira de Charlie Chaplin. O museu abrirá as suas portas no próximo dia 16 de abril, em celebração do 127.º aniversário de Charlie Chaplin e estará disponível para ser visitado pelo público em geral a partir do dia 17 de abril, às 10.00 horas.

Manoir de Ban, Chaplin's home in Corsier-sur-Vevey, Switzerland
Manoir de Ban, casa de Chaplin em Corsier-sur-Vevey, Suíça. © Tahdrummond

Localizado em Corsier-sur-Vevey, no Cantão de Vaud, Suíça, local de residência de Charlie Chaplin e da sua família durante os últimos 25 anos da vida do artista, o museu Chaplin’s World foi concebido de modo a possibilitar uma imersão na vida íntima e na vida cinematográfica de Charlie Chaplin, permitindo conhecer melhor o homem e o artista/personagem: Charlie e Charlot.

Com 3000 m² de exibições temáticas, o Manoir de Ban — nome do edifício que alberga o museu — ilustra o humor e a emoção tão caros a Charlie Chaplin e que cativaram o mundo inteiro.

Enquanto parceira do museu Chaplin’s World, a Jaeger-LeCoultre volta a evocar a relação entre a própria manufatura e o cineasta: quando Charlie Chaplin chegou à Suíça, o Cantão de Vaud ofereceu-lhe precisamente um relógio Memovox. Esta peça tem permanecido ao longo dos tempos junto da família de Chaplin, como símbolo de memórias de um período muito especial na vida do artista.

Lembramos que a ligação da Jaeger-LeCoultre a Charlie Chaplin foi recentemente recuperada, através da associação da marca a Carmen Chaplin, neta de Charlie Chaplin, que é hoje uma das embaixadoras da Grande Maison.


O Memovox de Charlie Chaplin

A ligação da Jaeger-LeCoultre ao mundo do cinema esteve, em 2013, na base da parceria com Carmen Chaplin, numa homenagem a Charlie Chaplin levada a cabo no âmbito da celebração dos 180 anos da manufatura suíça e que evocava um relógio de pulso que, curiosamente, pertenceu ao criador de Charlot. Na verdade, quando Chaplin se instalou na Suíça com a sua família em 1953, recebeu do governo helvético, como presente de boas-vindas, um Memovox personalizado com a seguinte gravação: «Hommage du gouvernement vaudois à Charlie Chaplin — 6 octobre 1953». Este relógio ainda hoje acompanha a família Chaplin.

«O relógio do meu avô comove-me particularmente, já que foi depois oferecido ao meu pai, Michael Chaplin, seu filho, pelos seus 14 anos. Depois, o meu pai ofereceu-o à minha mãe como prova do seu amor no dia do respetivo casamento. Um verdadeiro amuleto, já que eles se amam há mais de 45 anos» referiu Carmen Chaplin a propósito do Memovox do seu avô.

Este curioso epiosódio levou a Jaeger-LeCoultre a selecionar o Memovox como um dos símbolos do seu património relojoeiro e a convidar Carmen Chaplin para a realização de uma curta-metragem centrada na temática do tempo, numa justa homenagem a Charlie Chaplin a ao seu relógio Memovox.

Carmen Chaplin, neta de Charlie Chaplin, foi a argumentista e a realizadora da curta-metragem 'A Time For Everything', mas também ela própria surge como personagem central. © Jaeger-LeCoultre
Carmen Chaplin, neta de Charlie Chaplin, foi a argumentista e a realizadora da curta-metragem ‘A Time For Everything’, mas também ela própria surge como personagem central. © Jaeger-LeCoultre

«Dispus de uma grande liberdade artística para realizar este projeto de curta-metragem em homenagem ao tempo, ao tempo que passa e que leva inevitavelmente consigo algo de cada um de nós. Gosto da ideia de que deixamos uma parte de nós mesmos nos objetos que amamos», explica Carmen Chaplin, «que melhor presente poderá haver do que um relógio ou uma joia que nos são queridos? Gostei verdadeiramente de visitar a manufatura no âmbito do restauro do relógio do meu avô. Fiquei fascinada pelo savoir-faire das equipas.», concluiu.

O Memovox tem direito a um ‘papel’ especial na curta-metragem realizada por Carmen Chaplin e apresentada em 2013. © Jaeger-LeCoultre
O Memovox tem direito a um ‘papel’ especial na curta-metragem realizada por Carmen Chaplin e apresentada em 2013. © Jaeger-LeCoultre

Nasceu assim a curta-metragem A Time For Everything, que com argumento e realização de Carmen Chaplin, veio explorar a ideia de transmissão, de passagem do tempo e de legado com a apresentação de três gerações de mulheres da mesma família: Carmen Chaplin, Patricia Chaplin e Uma Chaplin Bhalla. No final, o Memovox de Charlie Chaplin surge em grande plano como alusão ao tempo que passa. O filme foi apresentado pela primeira vez em janeiro de 2013 no Salon International de la Haute Horlogerie (SIHH), integrou a lista de obras da New Directors Search (EUA) da SHOOT no primeiro trimestre de 2013 e foi depois selecionado para o 11.º Annual New Directors Showcase Reel, mostra anual promovida em maio pela mesma publicação.

ETO_JLC_CampanhaPUB_08
Carmen Chaplin, uma das protagonistas das mais recente campanha da Jaeger-LeCoultre. © Jaeger-LeCoultre

Já em 2014, por ocasião da celebração dos 100 anos de Little Tramp, a Jaeger-LeCoultre convidou o Musée de l’Elysée, de Lausanne, Suíça, a prestar homenagem a Charlie Chaplin, com uma exposição evocativa dos mais famosos momentos da carreira do ator e produtor. Com curadoria do próprio Musée de l’Elysée, esta exibição teve lugar em Nova Iorque no Film Society of Lincoln Center e foi inaugurada com uma gala especial na qual a própria Carmen Chaplin marcou presença.

Exposicao
Exposição de homenagem a Charlie Chaplin, em Nova Iorque. © Getty Images

Mais recentemente, Carmen Chaplin descobre-se na campanha da Jaeger-LeCoultre, enquanto embaixadora da marca e uma das protagonistas da mais recente campanha: ‘Open a whole new world‘.

Perante esta história, a associação da Grande Maison ao novo museu Chaplin’s World torna-se assim ainda mais natural. ET_simb

Consulte o site oficial da Jaeger-LeCoultre ou o site oficial do museu Chaplin’s World para mais informações.

Outras leituras