fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Timeless HMS 001: tudo certo

O surgimento de inúmeras micromarcas veio trazer ao mercado uma oferta de relojoaria mecânica a preços agressivos através de produtos honestos, bem desenhados e que exteriorizam abordagens estéticas diferentes. Tal é o caso do Timeless HMS 001 que tive a oportunidade de fotografar.

[As Crónicas Fotográficas resultam da parceria da Espiral do Tempo com a Leica, iniciada em 2021.]

Relógio fotografado:
Timeless Watches
HMS 001
Cedido por: LC Relojoaria

Equipamento fotográfico utilizado:
Leica SL
Macro Elmar R 100mm/f4
Fole de extensão
Cedido por: Leica Store Porto

Vamos por partes. A marca HMS – Timeless Watch foi criada pelo designer Mael Oberkampf. Sendo designer industrial este freelancer tem no seu currículo uma vasta experiência em design automóvel, de iates e, sim, também de relógios. Em 2020, decidiu iniciar a sua própria marca apresentando-se no mercado com dois modelos, o HMS 001 e o HMS 002.

Timeless HMS 001
Timeless HMS 001 | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

A minha relação com qualquer relógio é 99% emocional e 1% racional. Significa isto que, independentemente do aspeto técnico, é a parte estética que me cativa ou desmotiva. Escrevo isto por uma razão muito simples. A maioria das micromarcas que surgem no mercado não tem capacidade de conceber e realizar movimentos próprios. É um processo muito moroso e muito caro tendo como consequência imediata catapultar o PVP da peça para patamares que simplesmente não são os pretendidos pela maioria destas marcas.

Qual é, então, a solução para marcas que têm um bom design e uma noção clara do posicionamento pretendido?

Simples. Fazer aquilo que tantas e tantas marcas fizeram ao longo de décadas e continuam a fazer: recorrer a movimentos de fornecedores externos como é o caso dos modelos HMS da Timeless Watch. Se menciono este ‘pormaior’ em específico é pelo simples facto de que, pessoalmente, prefiro um relógio equipado com um movimento maduro com provas dadas do que um aristocrático movimento ‘in-house’ que ainda não teve tempo de vida suficiente para ser devidamente testado.

Timeless HMS 001: Detalhe das asas e da correia em calfe com pesponto
Detalhe das asas e da correia em calfe com pesponto | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Cada um gosta do que gosta, bem certo, mas para mim saber que os modelos HMS são equipados com o famoso ETA-2824 de segunda geração, é uma garantia de estabilidade e fiabilidade mecânicas.

E pronto, o que devia ser uma crónica fotográfica está a tornar-se numa opinião sobre calibres genéricos ou de manufatura. Vou já mudar a agulha.

Pela nossa lente

Nada para mim faz sentido como ato isolado e a história do HMS 001 nas minhas mãos começou com um telefonema de Luís Carvalho da LC Relojoaria a informar-me que tinha algo novo que eu iria gostar de ver e fotografar. Bem dito, bem feito. Encontro marcado e recebo em mãos uma elegante bolsa em pele com o logótipo da «Timeless». Na altura, ainda em confinamento, e semi-moribundo de tédio, foi com muito prazer que abri o estojo e vi um novo desafio.

Timeless HMS: O guilloché da parte central do mostrador  contrasta com a simplicidade do anel exterior em branco onde brilha o lettering
O guilloché da parte central do mostrador contrasta com a simplicidade do anel exterior em branco onde brilha o lettering | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

O primeiro impacto foi sem dúvida o guilloché da parte central do mostrador que contrasta com a simplicidade do anel exterior em branco onde brilha o lettering que, posso confessar, acho muito bem conseguido. Pela minha experiência, sei que a melhor forma de captar um guilloché com luz contínua é colocá-la às 10h ou às 3h em relação ao mostrador. Com a luz de frente a textura do guilloché perde profundidade e demasiado lateral vai projetar sombras que se podem tornar desagradáveis. Por outro lado, a luneta, se assim se pode designar, tem um acabamento sablé. Ou seja, em 41,5mm, há todo um mundo de texturas e acabamentos. Decidi então começar por fazer uma stack photograph.

close up do mostrador guilloché do Timeless HMS 001
| © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Stack photography é a designação para a realização de uma imagem que visa contornar o inevitável problema ótico da profundidade de campo, sobretudo em macrofotografia. Quando se fotografa a uma distância muito curta do objeto, a profundidade de campo é muito reduzida, mesmo usando a abertura máxima das lentes. O procedimento é focar o relógio em vários pontos. As imagens resultantes são depois alinhadas e fundidas no Photoshop. A aplicação deteta o que está em foco em cada fotografia e elimina o restante resultando, assim, numa imagem em que todos os elementos estão focados.

A minha grande vantagem neste tipo de situação é usar uma lente de foco manual, o que me permite escolher ao milímetro o ponto de foco em cada fotograma. 

Timeless HMS: Data obredimensionada com uma leitura clara
Data sobredimensionada com uma leitura clara | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Avançando na recolha de pormenores reparo na janela da data. Sobredimensionada e com uma leitura clara, tem, no entanto, um acabamento que só consigo descrever usando a palavra «pátina». A parte central é em azul muito profundo e discreto com o disco dourado da data em si levemente texturado, mas de um modo que parece gasto ou usado no bom sentido estético ou, melhor dito, ‘patinado’! Ainda me questionei acerca da palavra «Data» na janela da data. Acho que ninguém precisa que lhe expliquem que ali é a indicação da data. Pensando no assunto por alguns minutos, a reposta surge simples. Com uma janela daquelas dimensões e sem mais nenhum elemento, a data ficaria gigante e demasiado perturbadora. A solução encontrada é elegante e mesmo à designer

Timeless HMS: Ponteiros planos e acoplados a uma roda central que é também o símbolo da marca
Ponteiros planos e acoplados a uma roda central que é também o símbolo da marca | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Os ponteiros são planos e acoplados a uma roda central que é também o símbolo da marca. Esta aparência simplista é, quanto a mim, uma excelente escolha tendo em conta a riqueza texturada do mostrador e da caixa. Os ponteiros funcionam, assim, como um contraponto visual. Cromaticamente o facto de os ponteiros das horas e minutos terem um acabamento banhado a ouro rosa e de os ponteiros dos segundos serem em aço ajuda a que o olhar imediatamente identifique as horas e minutos sem distrações desnecessárias.

timeless HMS: Numa das laterais uma pequena placa aparafusada tem gravada o nome do modelo.
Numa das laterais, uma pequena placa aparafusada tem gravada o nome do modelo | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Numa das laterais, uma pequena placa aparafusada tem gravada o nome do modelo. Pessoalmente gosto até porque já recorri à mesma solução em certas customizações que fiz no passado. Acho que dá ao relógio um ar mais industrial e, repetindo os códigos cromáticos da peça, o negro e o aço contrastam elegantemente com os dois parafusos banhados a ouro que a fixam à lateral.

Timeless HMS: pormenor que mostra o contraste entre o escovado da caixa, o polido do anel de remate em ouro rosa e o acabamento sablé das asas em si
O contraste entre o escovado da caixa, o polido do anel de remate em ouro rosa e o acabamento sablé das asas em si | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Continuo e chego às asas do relógio. Admito que não é uma solução muito vulgar, mas a sua espessura e peso visual no conjunto da peça colabora para o aspeto robusto de um relógio cheio de pormenores e acabamentos delicados. Um perfeito exemplo é o contraste entre o escovado da caixa, o polido do anel de remate em ouro rosa e o acabamento sablé das asas em si. Num pequeno espaço, três texturas e três cromatismos!

Na lateral oposta, temos a coroa de generosas dimensões em negro e aço, decorada com símbolo da marca e com um banho de ouro rosa no anel central.

Timeless HMS: Coroa decorada com símbolo da marca e com um banho de ouro rosa no anel central
Coroa decorada com símbolo da marca e com um banho de ouro rosa no anel central | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

A correia de calfe é de excelente qualidade. A espessura agradou-me muito visto que não sou, de todo, apreciador de correias finas sejam elas NATO ou de qualquer outro material. Gosto de correias com espessura e, sobretudo, como é o caso, que tenham fivela. O pesponto é cuidado e o castanho da correia dá um tom quente ao visual geral deste HMS 001.

É sempre um desafio muito grande, mas também um prazer captar pormenores de uma peça assim com tanta riqueza visual.

Bracelete em calfe com pesponto cuidado. O castanho da correia dá um tom quente ao visual geral do HMS 001
Bracelete em calfe com pesponto cuidado. O castanho da correia dá um tom quente ao visual geral do HMS 001 | © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Veja as características técnicas do HMS 001 (modelo fotografado) e do HMS 002 no nosso site.

Timeless HMS 001 e HMS 002 num fundo escuro
HMS 001 e HMS 002 | © Timeless Watches

Visite o site oficial da Timeless para mais informações.

Outras leituras