fbpx

Divisão relojoeira do Grupo LVMH e Bvlgari abandonam Baselworld

A divisão relojoeira do Grupo LVMH e a Bvlgari anunciaram que abandonam  Baselworld, a maior feira de apresentação de novidades de relojoaria, para se juntarem a outras marcas  da indústria suíça de relojoaria em Genebra, a partir de 2021. 

Depois de ter sido anunciada a saída de Baselworld por parte da Rolex, da Patek Philippe, da Chanel, da Chopard e da Tudor, agora é a vez de as manufaturas de relojoaria suíça do Grupo LVMH, incluindo a Divisão Relojoeira (que compreende a TAG Heuer, a Hublot e a Zenith) e a Bvlgari, anunciarem também que abandonam a centenária feira de apresentação de novidades de Basileia.

Em comunicado, refere-se que o enfraquecimento da representação da indústria suíça de relojoaria no evento marcado para 2021, que resulta inevitavelmente numa menor participação, tornou claro para as marcas relojoeiras do Grupo LVMH que a saída seria a melhor opção no sentido de «preservar a sua imagem e relações com os seus clientes e imprensa». Por isso, a TAG Heuer, a Hublot, a Zenith e a Bvlgari não irão participar na edição de 2021 de Baselworld, marcada para janeiro.

Zenith Defy Inventor em Baselworld 2019  © Miguel Seabra / Espiral do Tempo
Zenith Defy Inventor em Baselworld 2019 © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

Em alternativa, as quatro casas estão agora a decidir quais serão os próximos passos, avaliando diferentes formatos de eventos que poderão responder às necessidades estratégicas e de apresentação de novidades durante o próximo ano. Em breve, poderemos contar com uma decisão mais clara em termos de planos futuros, de acordo com os objetivos das marcas.

Lembramos que, no início desta semana, a Rolex, a Patek Philippe, a Chanel, a Chopard e a Tudor anunciaram que iriam deixar de estar presentes na Baselworld, o maior evento de apresentação de novidades da indústria relojoeira. Paralelamente, as cinco marcas unem-se no lançamento de um novo salão, agora em Genebra, em colaboração com a Fondation de la Haute Horlogerie (FHH), entidade organizativa do Watches & Wonders — anterior Salon International de la Haute Horlogerie (SIHH). Anunciados foram também a data e local:  21 de abril no Palexpo, coincidindo precisamente com o Watches & Wonders. É por esta razão que as marcas relojoeiras do Grupo LVMH anunciam a sua presença em Genebra no próximo ano, abdicando por completo da presença em Basileia. Isto apesar de ser recorrente, de há uns anos para cá, a sua presença em eventos próprios de menores dimensões em diferentes partes da cidade de Genebra durante o próprio SIHH.

Hublot Classic Fusion Ferrari GT King Gold © Hublot
Hublot Classic Fusion Ferrari GT King Gold © Hublot

Stéphane Bianchi, CEO da Divisão de Relojoaria LVMH pronunciou-se relativamente à decisão hoje anunciada: «Lamentamos ter de deixar este evento centenário, ao qual as nossas Casas têm sido consistentemente leais. No entanto, está claro que devemos responder rapidamente e tomar outras providências. Estamos diante de uma oportunidade única de reinventar o formato e o conteúdo de um dos principais momentos da relojoaria, o que representa um grande desafio comercial e uma alavanca de influência para as nossas marcas. Com isso em mente, faremos os possíveis para estarmos presentes ao lado de outras Casas prestigiadas que se reunirão em Genebra em abril de 2021 e, assim, atender os requisitos dos nossos parceiros e clientes, oferecendo-lhes uma experiência incomparável.»

© Paulo Pires / Espiral do Tempo
TAG Heuer Carrera Heuer -02T Tourbillon Nanograph © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Já Jean-Christophe Babin, CEO do Grupo Bvlgari considera que «agrupar toda a indústria suíça de relojoaria num único local, Genebra – a capital da história da relojoaria – e em torno de uma única data, é uma grande oportunidade para finalmente reavivar um setor que divisões e interesses divergentes enfraqueceram em comparação com o restante setor de luxo onde a Bvlgari atua, e que está a progredir muito mais rapidamente. Estamos ansiosos por estar em Genebra em abril de 2021, mesmo que ainda seja preciso definir os termos da nossa participação, que serão especificados nas próximas semanas. Estamos também satisfeitos por não precisarmos de compensar a falta de feiras institucionais que, em 2020, nos forçaram a tomar iniciativas tácticas necessárias a curto prazo, mas indesejáveis a médio prazo».

Bulgari Spiga © Cesarina Sousa / Espiral do Tempo
Bulgari Spiga © Cesarina Sousa / Espiral do Tempo

Outras leituras