fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

TAG Heuer Monaco red hot racing!

A TAG Heuer escolheu as 24 Horas de Le Mans para desvelar o segundo dos cinco modelos comemorativos do 50º aniversário do seu lendário cronógrafo quadrilátero. O Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ apresenta um inédito mostrador vermelho-sangue evocativo de várias tendências desportivas, televisivas e musicais da década de 80.

Foram o filme ‘Le Mans’ e o pulso de Steve McQueen que muito contribuíram para a lenda daquele que é o mais emblemático relógio da história da TAG Heuer – o Monaco. Por isso, foi adequadamente no enquadramento das 24 Horas de Le Mans e com a presença de Chad McQueen, filho do ‘King of Cool’, que a TAG Heuer apresentou o segundo modelo de tributo às Bodas de Ouro do seu famoso cronógrafo, depois de o primeiro também ter sido desvelado no contexto perfeito do Grande Prémio do Mónaco.

Chad McQueen e o novo Monaco © TAG Heuer
Chad McQueen com Patrick Dempsey e o novo Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ © TAG Heuer

O Monaco ‘1969-1979 Limited Edition’ lançado no Principado monegasco tinha um mostrador com nuances verdes em padrão Côtes de Genève e apontamentos num amarelo alaranjado, sendo evocativo das tendências cromáticas, cinematográficas e discográficas da revolucionária década de 70. Sensivelmente três semanas depois, o Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ também teve uma apresentação com pompa e circunstância no âmbito de outra mítica corrida e surpreendeu tudo e todos com um mostrador em tom vermelho galvanizado nunca antes utilizado como cor principal na história do lendário modelo quadrilátero. Mas que representa inúmeras referências do automobilismo e do desporto motorizado, do cinema e da televisão ou até mesmo da música dos anos 80. E que, coincidentemente, parece ser a cor do momento na relojoaria – como já fizemos questão de referir numa crónica publicada há não muito tempo.

Monaco '1979-1989 Limited Edition'. © TAG Heuer
Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’. © TAG Heuer

Se a década de 70 já tinha sido marcante pelo excesso, a década seguinte beneficiou muito da explosão dos meios audiovisuais. As referências encarnadas são múltiplas e icónicas, desde os blusões de Bjorn Borg e John McEnroe nas suas famosas finais de Wimbledon em 1980 e 1981 até aos fatos de banho (especialmente o de Pamela Anderson!) dos salva-vidas da série Marés Vivas estreada em 1989. Mas há mais, muito mais. Michael Jordan a voar com o equipamento dos Chicago Bulls. O filme Lady in Red, com a correspondente canção de Chris de Burgh. O blusão de Michael Jackson no teledisco Thriller. O Liverpool de Kenny Dalglish e Graeme Souness a vencer a Taça dos Campeões Europeus. Os red shoes celebrados por David Bowie em Let’s Dance. A capa vermelha do Super-Homem interpretado pelo malogrado Christopher Reeves. A eclosão dos Simply Red. E, já agora, a camisola vermelha da seleção portuguesa de Chalana e Jordão que foi semifinalista no Europeu de 1984. E já foi mencionada Pamela Anderson? Já. Na verdade, ela só entrou para o elenco de Marés Vivas em 1992, mas a série começou em 1989 e preferimos escolher a imagem dela à de David Hasselhoff…

Mosaico-1

Mas não só, evidentemente. Os anos 80 foram muito importantes na história da TAG Heuer: primeiro porque passou precisamente de Heuer para TAG Heuer na sequência da aquisição por parte da TAG (Techniques d’Avant Garde), depois porque passou do encarnado da Ferrari (e o Ferrari Testa Rossa de 1984 também marcou a década) para o vermelho e branco da McLaren enquanto cronometrista oficial – com Ayrton Senna, e mais o seu fato de piloto vermelho, a tornar-se num embaixador incontornável na história da marca. Ou seja, as alusões encarnadas são múltiplas e frequentes ao longo de uma década especialmente marcante.

Mosaico-2

E foi com um belo mostrador vermelho com totalizadores prateados contrastantes que o Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ foi desvelado neste passado semana em Le Mans. Entre os convidados da cerimónia de apresentação estavam o filho de Steve McQueen, Chad McQueen, o pentacampeão de Le Mans e participante no filme, Derek Bell; o ator, piloto e embaixador da marca, Patrick Dempsey; e o piloto, vencedor da Formula E em 2017- 18 e também embaixador da marca, Jean-Éric Vergne. O cenário da exclusiva apresentação não poderia ter sido mais apropriado – no filme de 1971, ‘Le Mans’ (em português, As 24 Horas de Le Mans), o ator Steve McQueen aparece com a inconfundível silhueta quadrada no pulso, ajudando o Monaco a afirmar-se na história da relojoaria. Como homenagem à associação cinematográfica do famoso cronógrafo, os convidados participaram numa exibição especial do filme.

Steve McQueen e o Monaco no filme 'Le Mans', de 1971 © TAG Heuer
Steve McQueen e o Monaco no filme ‘Le Mans’, de 1971 © TAG Heuer

Mas o Monaco foi mais do que um adereço cinematográfico. Foi o primeiro cronógrafo quadrado a ser resistente à água e o primeiro a apresentar um movimento cronográfico de corda automática.

A vertigem dos anos 80

Na senda do primeiro dos cinco relógios comemorativos do meio século de vida do Monaco, o segundo modelo associa a inconfundível arquitetura de caixa a um fogoso mostrador vermelho que acentua o design vanguardista do relógio e evoca a vertigem das corridas. Apresentado com uma correia preta de couro perfurada com orifícios simétricos em vermelho, é uma edição especial traduz perfeitamente a velocidade e o estilo da segunda década do Monaco.

O Monaco '1979-1989 Limited Edition' e o Monaco Calibre 11 de produção regular que reedita o original de 1969. © TAG Heuer
O Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ e o Monaco Calibre 11 de produção regular que reedita o original de 1969. © TAG Heuer

As formas emblemática caixa quadrada são ainda mais vincadas por um mostrador vermelho com efeitos raiados e dois submostradores banhados em ródio com bordas encurvadas, pormenor visual especialmente marcante e inédito… que talvez só encontrem paralelo nos totalizadores do Heuer temporada. Quanto à cor do mostrador, a referência histórica mais óbvia é a versão vermelha mate do Silverstone de 1972 – reeditado como peça única com o autógrafo de Jack Heuer no mostrador para o leilão da Coleção Haslinger em 2010.

Close-up do Monaco '1979-1989 Limited Edition'. © TAG Heuer
Close-up do Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’. © TAG Heuer

No novo Monaco, detalhes em preto e branco acentuam o mostrador e combinam com a ponta preta dos ponteiros das horas e dos minutos, revestidos – tal como os índices aplicados – de matéria luminescente Super-LumiNova para uma legibilidade melhorada. à imagem do original de 1969, os botões do cronógrafo estão no lado direito da caixa enquanto a coroa está na esquerda – uma característica única associada ao inovador movimento Chronomatic/Calibre 11 que equipou o Monaco nos primeiros anos e que foi reavivada em muitas das reedições e reinterpretações a partir dos anos 2000, depois de a primeira reinterpretação no lançamento da segunda vida do Monaco, em 1998, apresentar a coroa à direita.

Fundo da caixa do Monaco '1979-1989 Limited Edition'. © TAG Heuer
Fundo da caixa do Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’. © TAG Heuer

O fundo da caixa tem o logo ‘Monaco Heuer’ gravado, juntamente com as frases ‘1979-1989 Special Edition’ e ‘One of 169’. Porque, tal como sucedeu com o primeiro modelo comemorativo das Bodas de Ouro, só 169 exemplares serão comercializados. Enaltecendo o design do modelo original, o fundo da caixa de aço escovado segue um padrão vertical e circular. No interior, está o Calibre 11 – a versão moderna movimento cronográfico modular que equipou o Monaco original de 1969.

O Monaco '1979-1989 Limited Edition' rodeado de Iconografia dos anos 80: headphones do walkman e cassete. © TAG Heuer
O Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’ rodeado de Iconografia dos anos 80: headphones do walkman e cassete. © TAG Heuer

E agora coloca-se uma questão relativamente à próxima edição do 50º aniversário do Monaco. Depois da perfeita localização do lançamento dos dois primeiros modelos, no Monaco e em Le Mans, será difícil conseguir um sítio melhor. Onde será desvelado o terceiro – em casa de Jack Heuer ou na casa da família McQueen? E, já agora, aceitam-se vaticínios sobre a próxima cor de mostrador…

CAW211W.FC6467 SPECIAL ED. THROUGH TIME 80'S 2019 HD

Características Técnicas

TAG Heuer
Monaco ‘1979-1989 Limited Edition’
Edição limitada a 169 exemplares.

Referência/  CAW211W.FC6467
Movimento/ Mecânico de corda automática, Calibre 11, 28.800 alt/h, 40 horas de reserva de corda.
Funções/ Horas, minutos, pequenos segundos às 3h, data e cronógrafo com minutos e segundos.
Caixa Ø 39 mm/ Aço, luneta fixa em aço inoxidável, vidro de safira, coroa de aço polido às 9 horas e botões nas 2 e nas 4 horas, estanque até 100 metros, fundo da caixa de aço com as inscrições ‘1979-1989 Special Edition’ e ‘One of 169’.
Mostrador/ Vermelho com acabamentos raiadoscontadores raiados banhados a ródio, índices facetados e polidos, toques em branco e preto nos ponteiros e indexes.
Bracelete/ Pele de calfe preta com fecho de báscula em aço inoxidável.
Preço/ € 5.950

Visite o site oficial da TAG Heuer para mais informações.

Outras leituras