Marc Newson: o orgânico

Esta semana, destacamos Marc Newson, o designer que, não tendo um percurso dedicado em exclusivo à relojoaria, se tem destacado na criação de alguns interessantes instrumentos do tempo, nomeadamente, através da marca que cofundou em 1994 – a Ikepod – e da criação daquelas que são consideradas das mais bonitas versões do Atmos da Jaeger-LeCoultre.

Não é propriamente um designer de relógios. Marc Newson, atualmente com 56 anos, é sobretudo um designer industrial que granjeou fama em muitas outras áreas.

De facto, parece que o designer australiano nascido em 1963 tem um certo poder de omnipresença, tendo em conta o seu abrangente campo de ação. Considerado como um dos designers mais influentes da sua geração e conhecido por criar peças segundo um estilo denominado biomorfismo — assente em linhas curvas, suaves e flutuantes, na transparência e na ausência de arestas para obtenção de um produto ergonómico e elegante —, Marc Newson tem o seu nome associado principalmente ao design de mobiliário e equipamento, mas a sua carreira  faz-se ver nas mais diversas valências, bem como em parcerias com as mais diversas marcas. Há mesmo quem pergunte «o que é que Marc Newson ainda não desenhou?».

Esquerda: Marc Newson junto ao primeiro Atmos que desenhou para a Jaeger-LeCoultre: o Atmos 561 by Marc Newson (2008) © DR; Direita: Jaeger-LeCoultre Atmos 568 by Marc Newson © Paulo Pires / Espiral do Tempo
Esquerda: Marc Newson junto ao primeiro Atmos que desenhou para a Jaeger-LeCoultre: o Atmos 561 by Marc Newson (2008) © DR;
Direita: Jaeger-LeCoultre Atmos 568 by Marc Newson © Paulo Pires / Espiral do Tempo

Mas não há dúvida de que a sua passagem pela relojoaria deixou marcas e o impacto da sua filosofia estética pode mesmo ser encontrado no Apple Watch — que tem a assinatura de Jony Ive, embora registe a reconhecida participação do australiano e apresente códigos já utilizados por ele aquando do lançamento da marca Ikepod, que cofundou em 1994 e que revolucionou a estética relojoeira no final da década de 90.

Large Pod Watch © Marc Newson
Large Pod Watch © Marc Newson

Marc Newson começou a desenhar relógios na década de 80 do século XX, e avançou com a Ikepod, juntamente com Oliver Ike, um investidor suíço. À revista Montres Passion (edição de inverno de 2016), o designer referiu: «trabalhar para a minha própria sociedade deu-me toda a latitude para criar o que quisesse, porque, quando somos jovens designers, é muito complicado ter uma independência completa sobre o produto». Foi isso, então, que Marc Newson fez durante algum tempo na Ikepod. Desenhou relógios à sua medida — de linhas vanguardistas, fluidas e curvas, com soluções estéticas e ergonómicas originais. Curiosamente, o nome Ikepod advém da contração do último nome do parceiro de Newson com o nome do primeiro relógio que o designer desenhou, ainda nos anos 80 — o Large Pod Watch, um relógio de pulso em alumínio, de 60 mm, criado para ser usado por cima da roupa e que acabou por antecipar, em certa medida, a tendência de relógios sobredimensionados que viria a surgir no mundo da relojoaria de pulso na primeira década deste milénio. Mas a referência «Pod» está também associada ao motivo casulo/ alveolar transversal a muitas das suas criações. Enquanto esteve na Ikepod, Marc Newson desenhou relógios como o Seaslug Watch, um relógio de mergulho, embrulhado em linhas que evocam na perfeição o mundo marinho. Aliás, quando observado pela lateral, vislumbra-se uma dinâmica que faz lembrar o movimento da água e, ao mesmo tempo, tem algo de ser vivo, como diz o próprio nome. E é este caráter de ser vivo que se descobre nas criações de Marc Newson.

Seaslug Watch © Marc Newson
Seaslug Watch © Marc Newson

O designer abandonou a Ikepod em 2012, ingressando, em 2014, na Apple para alinhar no iWatch. O início da colaboração de Marc Newson com a Apple em 2014 redundou no lançamento do Apple Watch, hoje em dia um bestseller à escala mundial que, apesar de ser um smartwatch, tem obrigatoriamente de ser considerado um ícone da relojoaria contemporânea.

Conhecido pelo lançamento da Ikepod no final do século passado e pela influência no design do Apple Watch, Marc Newson colaborou com a Jaeger-LeCoultre em duas celebradas edições do Atmos. © Jaeger-LeCoultre JonathanSaury
Conhecido pelo lançamento da Ikepod no final do século passado e pela influência no design do Apple Watch, Marc Newson colaborou com a Jaeger-LeCoultre em duas celebradas edições do Atmos. © Jaeger-LeCoultre JonathanSaury

O seu estilo caraterístico de linhas geométricas suaves e a ausência de ângulos pronunciados deu assim um novo visual à relojoaria — juntamente com soluções translúcidas e superfícies transparentes. Algo que pode ser visto também na colaboração com a Jaeger-LeCoultre personificada nos Atmos 561, 566 e 568, consideradas por muitos como as mais interessantes ou mesmo belas versões do lendário relógio de mesa da manufatura Jaeger-LeCoultre.

Jaeger-LeCoultre Atmos 566 by Marc Newson (2012). Foram produzidas duas versões ambas em cristal Baccarat. Ref: Q5165102 - 48 peças (versão translúcida). Ref: Q5165103 - 28 peças (versão azul). © Jaeger-LeCoultre
Jaeger-LeCoultre Atmos 566 by Marc Newson (2012). Foram produzidas duas versões ambas em cristal Baccarat.
Ref: Q5165102 – 48 peças (versão translúcida).
Ref: Q5165103 – 28 peças (versão azul). © Jaeger-LeCoultre

«Um Atmos é, para mim, um objeto complexo e mágico, que parece estar em movimento perpétuo, ou o mais próximo disto, e que precisa de um ambiente estável para funcionar. É como se fosse um ser vivo – temos a sensação de que pode sentir a nossa presença –, algo que acho estranhamente reconfortante», refere o designer.

Esquerda: Jaeger- LeCoultre Atmos 561 by Marc Newson (2008); Direita: Jaeger-LeCoultre Atmos 568 by Marc Newson (2016) © Jaeger-LeCoultre
Esquerda: Jaeger-LeCoultre Atmos 561 by Marc Newson (2008);
Direita: Jaeger-LeCoultre Atmos 568 by Marc Newson (2016) © Jaeger-LeCoultre

A influência de Marc Newson no setor nota-se também no relançamento da  própria Ikepod, embora com novos donos e sem a sua participação. A coleção foi redesenhada por Emmanuel Gueit para dar continuidade ao seu estilo único e perpetuar o culto nascido à volta da marca.

Versão completa e adaptada do perfil originalmente publicado no número 69 da Espiral do Tempo (inverno 2019).

Outras leituras