fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Yiqing Yin: uma estrela na alta-costura

A Vacheron Constantin apresentou recentemente o novo rosto da sua campanha «One of not many».  A criadora de alta-costura Yiqing Yin surge assim associada à marca de relojoaria e em especial à nova coleção Égérie, apresentada no início deste ano. 

Yiqing Yin é o novo rosto da campanha «One of not many» da Vacheron Constantin. A designer de alta-costura de origem chinesa passa assim a representar a coleção Égérie, lançada pela manufatura no passado mês de fevereiro, embora não tenha estado propriamente ligada à criação de qualquer um destes novos relógios femininos da marca suíça.

Formada pela École Nationale Supérieure des Arts Décoratifs de Paris, e dotada de uma visão inovadora e pessoal da designada Couture, Yiqing Yin nasceu em Pequim em 1985, e viajou desde cedo um pouco por todo mundo. Esta possibilidade permitiu à designer desenvolver ao longo dos tempos um sentido estético muito especial e um estilo muito próprio – um mundo onírico, fantasioso e com linhas dinâmicas, fascinantes, que se transformam.

A criadora de alta-costura Yiqing Yin que surge associada à Vacheron Constantin e em especial à nova coleção Égérie. © Vacheron Constantin
A criadora de alta-costura Yiqing Yin que surge associada à Vacheron Constantin e em especial à nova coleção Égérie. © Vacheron Constantin

Vencedora do Grand Prix de la Création de la Ville de Paris, em 2009, Yiqing Yin viu as suas criações serem expostas nas janelas do Ministério da Cultura no Chaillot National Theatre e depois na Joyce Gallery, durante o Festival Internacional da Moda de Hyères de 2010. E em junho de 2011 acabaria por ser galardoada com o ANDAM First Collections, organizando, no mesmo ano, o seu primeiro desfile durante a Semana da Moda de Paris. Ainda em 2011, Yiqing Yin foi eleita uma das oito jovens «estilistas que devem ser seguidas» de acordo com a edição francesa da Vogue. Já em 2013,  a Maison Leonard contactou-a para que dirigisse as suas coleções de prêt-à-porter. A designer trabalha também com marcas como a Cartier, a Guerlain, a Hermés, a Swarovski e a Lancôme.

A designer Yiqing Yin encontra diversos pontos de ligação entre alta-relojoaria e alta-costura. © Vacheron Constantin
A designer Yiqing Yin encontra diversos pontos de ligação entre alta-relojoaria e alta-costura. © Vacheron Constantin

Desde o seu início, a Maison Yiqing Yin, sediada em Paris, foi integrada no calendário oficial da Fédération Française de la Couture como membro convidado.  E, em dezembro de 2015, a Fédération Française de la Mode atribuiu-lhe a denominação «Haute Couture», concedendo-lhe ainda o estatuto de membro permanente.

Mas Yiqing Yin tem explorado outros mundos e criações artísticas, na sua relação com a alta-costura. Em 2013, por exemplo, foi convidada pela Bienal de Veneza para criar os desenhos gráficos da peça In-Between. Para a sua coleção Blooming Ashes,  trabalhou em colaboração com o escultor Bastien Carré, conjugando tecido e luz no vestido Stellar. Curioso também foi o seu trabalho na dança, ao assinar os figurinos de Dorothée Gilbert e Mathieu Ganio, para o ballet Tristão e Isolda, dirigido por Giorgio Mancini.

A Vacheron Constantin descobriu então em Yiqing Yin o rosto certo para dar continuidade à campanha «One of not many». © Vacheron Constantin
A Vacheron Constantin descobriu em Yiqing Yin o rosto certo para dar continuidade à campanha «One of not many». © Vacheron Constantin

Perante este percurso, a Vacheron Constantin descobriu então em Yiqing Yin o rosto certo para dar continuidade à campanha «One of not many» – tendo em conta que nela se procura destacar talentos singulares, visionários, apaixonados e reconhecidos nos seus domínios, que se destacam também pela  personalidade e obras que, graças à busca pela excelência, abertura ao mundo, espírito de inovação e criatividade, vão ao encontro da Vacheron Constantin, como refere a própria marca.

«dois mundos em que a perícia artesanal, a experiência e a singularidade não seriam nada sem a paixão e a criatividade, uma vocação que é constantemente desafiada e reinventada em cada uma das sucessivas criações», refere Yiqing-Yin. © Vacheron Constantin
«dois mundos em que a perícia artesanal, a experiência e a singularidade não seriam nada sem a paixão e a criatividade, uma vocação que é constantemente desafiada e reinventada em cada uma das sucessivas criações», refere Yiqing-Yin. © Vacheron Constantin

Uma segunda pele

Yiqing Yin encara o vestuário como uma «segunda pele», assumindo a sua flexibilidade e transparência e explorando o potencial dinâmico dos tecidos. Através dos plissados, por exemplo, imagina estruturas vibrantes em constante movimento a assume uma postura de experiências com drapeados em cada peça, de modo a encontrar linhas fluídas, suaves e soltas. No seu processo criativo, Yiqing admite a sua atração por «métodos de criação intuitivos, pelas divagações sensoriais e pela procura de acidentes deliberados». Algo que não tende a acontecer propriamente no mundo da relojoaria a que agora está ligada.

VAC_Egerie_Lifestyle_8005F_120A_B497_2
Égérie Moonphase, uma nova coleção feminina apresentada este ano © Vacheron Constantin

Ainda assim, a designer encontra diversos pontos de ligação entre alta-relojoaria e alta-costura, como nos explicou: «A paixão que estas duas profissões invocam na encruzilhada entre a inovação e a herança, a obsessão pelos detalhes e pela raridade e o encontro de conhecimentos de exceção são verdadeiramente notáveis. A semelhança mais gritante é a intransigência e o tempo que é preciso aceitar para alcançar peças de extraordinária beleza, pensadas ​​pela sua poesia e durabilidade. Os laços residem, primeiro do que tudo, no imperativo do trabalho imaculado e na precisão do gesto, e depois também nas disciplinas artísticas. Em termos de alta-relojoaria, os requisitos são infinitamente mais detalhados e precisos. Para mim, há algo de mágico nesta busca da perfeição. Um relógio Vacheron Constantin esconde tanta complexidade e sofisticação por trás da sua discrição. Tal como a estrutura de uma peça de vestuário bem construída, com acabamentos impecáveis, a verdadeira proeza nunca é visível a olho nu. Se bem que, onde há espaço para falhas e imprecisões na alta-costura, nos relógios o espaço para negociar qualquer erro é inexistente.»

Yiqing Yin encara o vestuário como uma «segunda pele», assumindo a sua flexibilidade e transparência e explorando o potencial dinâmico dos tecidos. © Vacheron Constantin
Yiqing Yin encara o vestuário como uma «segunda pele», assumindo a sua flexibilidade e transparência e explorando o potencial dinâmico dos tecidos. © Vacheron Constantin

Além do respeito e reconhecimento granjeado no mundo da alta-costura por Yiqing Yin, foi, assim, esta relação possível entre alta-costura e alta-relojoaria que esteve na base da parceria com a Vacheron Constantin: «dois mundos em que a perícia artesanal, a experiência e a singularidade não seriam nada sem a paixão e a criatividade, uma vocação que é constantemente desafiada e reinventada em cada uma das sucessivas criações», refere, por sua vez, a marca. De facto, a coleção Égérie parece enquadrar-se na perfeição no meio de tudo isto.

Para Yiqing, um relógio é «um objeto íntimo que testemunha a identidade e percurso de cada um». © Vacheron Constantin
Para Yiqing, um relógio é «um objeto íntimo que testemunha a identidade e percurso de cada um». © Vacheron Constantin

Vacheron Constantin Égérie

Os novos Égérie da Vacheron Constantin estão repletos de pormenores e refletem um diálogo vibrante com o mundo da alta-costura no que diz respeito aos materiais, acabamentos e trabalho artesanal. O mostrador distingue-se pela textura plissada evocativa das texturas encontradas nos tecidos do mundo da alta-costura, os diamantes lembram bordados preciosos e a estética descentrada é inspirada no acervo histórico da própria Vacheron Constantin. Desde o início do século XIX, a Vacheron Constantin oferece no seu portefólio modelos com mostradores descentrados e é este elemento que caracteriza em especial os novos relógios femininos da marca. A deliberada assimetria sublinha o protagonismo das indicações e coroa, dá relevância às complicações e é complementada por um trabalho decorativo de exceção à boa maneira da marca suíça. Concebidos especificamente para a coleção, os numerais caligráficos apresentam um remate inspirado em delicadas rendas, já os ponteiros distinguem-se pelo seu formato feuille, num abordagem clássica, mas que resulta com o perfil dos numerais.

© Vacheron Constantin
Pormenor da fivela dos novos Égérie © Vacheron Constantin

Para Yiqing, um relógio é «um objeto íntimo que testemunha a identidade e percurso de cada um» e considera mesmo que «se pode dizer muito sobre uma pessoa simplesmente por se olhar para o seu relógio». No caso da coleção Égérie, o seu modelo favorito é a versão com indicação das fases da Lua: « pela poesia e pela emoção que invoca. É um convite para sonhar e viajar na imaginação. Sempre fui fascinada pela Lua, sedutora e misteriosa. Para mim, incorpora o poder de transformação e da criatividade por excelência. As fases da Lua não influenciam apenas as marés, os ciclos da fauna e da flora, mas também as nossas emoções. Esta complicação relojoeira permite-nos adotar outra consciência do tempo, mais intuitiva e mais próxima da natureza. Outra medida, outro espaço, uma sensação de tempo diferente daquela ditada pelo nosso smartphone. Além de sua função principal, adoro a particularidade da indicação das fases da Lua pelo que ela representa: uma porta simbólica aberta para as estrelas e a origem do tempo que tanto me cativam.»

© Vacheron Constantin
Égérie Moon Phase © Vacheron Constantin

A designer refere ainda que usa o seu Égérie Moon Phase todos os dias. «Gosto muito porque é perfeitamente trabalhado e conscientemente feminino. O meu tipo de relógio é aquele que reflete o meu gosto pela singularidade e também aquele que me pode acompanhar em todas as circunstâncias, portanto, tem de ser discreto na sua elegância. Como este.»

Yiqing Yin com o seu Égérie Moon Phase © Vacheron Constantin
Yiqing Yin com o seu Égérie Moon Phase © Vacheron Constantin

O futuro

Convidada a participar, de tempos a tempos, em exposições artísticas por todo o mundo, a designer Yiqing Yin tem ainda no seu portefólio a presença no recente Simpósio da Fundação das Artes da Moda,  que decorreu no Museu de Arte Asiática de São Francisco, enquanto convidada de honra, expositora, oradora e membro do júri. Atualmente, dedica-se a um projeto cinematográfico com estreia prevista ainda para este ano. Resta saber, se, no futuro, a relação com a Vacheron Constantin trará mais novidades. Seria interessante ver o modo como esta dedicação, versatilidade e singularidade criativas se poderiam aplicar ao universo específico da marca suíça de relojoaria.

Outras leituras