fbpx

Novidades 2020: Tudor Royal

É mais um modelo bem revelador de como o design integrado está de regresso enquanto grande tendência da relojoaria atual. O novo Royal surge como a segunda novidade da Tudor este ano e é uma coleção completamente nova que se distingue pela versatilidade. Além da bracelete metálica integrada, destaque para a luneta com ranhuras e a grande diversidade de mostradores e tamanhos.

Tudor Royal © Tudor
Royal de 41mm com janelas para a data e o dia da semana; os algarismos romanos são aplicados © Tudor

A Tudor apresentou neste outono o Royal, uma linha cujo nome evoca a expressão usada, nos anos de 1950, pela marca para então salientar a qualidade real dos seus relógios. Neste sentido, segundo a Tudor, os novos Royal bebem dessa herança graças às suas características específicas — muito inspiradas no design integrado tão em voga na década de 70 e que catapultou para a ribalta alguns dos mais conhecidos ícones da relojoaria desportiva de luxo. Com bracelete metálica, luneta com ranhuras e movimento automático, a completamente nova coleção da Tudor distingue-se pelo perfil desportivo/elegante e variedade — modelos de diferentes tamanhos complementados por materiais e mostradores variados, numa interessante relação qualidade/preço.

© Tudor

Uma aposta Royal

O design integrado surge como uma opção diferenciada no seio do portefólio da Tudor; depois do North Flag apresentar de certo modo essa arquitetura, a nova linha Royal celebra-a de tal modo que assume automaticamente uma personalidade imediatamente reconhecível na história contemporânea da marca, contrastando com a de outros modelos de caixa redonda, nomeadamente a linhagem Black Bay inspirada nos relógios de mergulho dos anos 50 e 60. A própria luneta com ranhuras e diferentes tipos de tratamento de superfície — entre o polido e o escovado — do Royal é crucial para oferecer uma identidade muito específica à coleção.

Tudor Royal © Tudor
Tudor Royal © Tudor

Os novos Royal surpreendem também pela alargada oferta, compreendendo uma grande variedade de versões que se distinguem entre elas pela diferença de materiais das caixas, pelos mostradores e pelas funções de calendário. Ao todo, a coleção contempla quatro tamanhos com nove mostradores à escolha. As caixas são declinadas em aço ou aço/ouro amarelo em tamanhos de 28mm, 34mm, 38mm e 41mm. Os mostradores estão disponíveis com acabamento acetinado raiado e indicadores em numeração romana ou diamantes. Os ponteiros são reforçados com revestimento luminescente Super-LumiNova, para uma melhor legibilidade em circunstâncias de luz mais precárias.

Tudor Royal M28603-0003 e M28600-0005 © Tudor
Royal de 41mm com dia e data: referências M28603-0003 em aço/ouro e M28600-0005 em aço © Tudor

Relativamente às funções de calendário, há duas possibilidades: modelos com três ponteiros e data ou modelos com três ponteiros, data e dia da semana por extenso numa janela às 12 horas. Esta última opção é válida apenas para os modelos com caixa de 41mm. Os Tudor Royal são estanques até 100 metros e estão equipados com movimentos automáticos.

Tudor Royal M28503-0005 e M28500-0003 © Tudor
Royal: referências M28503-0005 em aço/ouro com diamantes e M28500-0003 em aço © Tudor

Quanto a preços, os novos modelos Royal partem praticamente ao nível do primeiro preço da marca e acabam por ser muito competitivos no contexto do mercado atual: começam nos 2070 euros para as versões de 28mm em aço com indexes romanos e sobem até aos 3790 euros para a versão bicolor de 28mm, com mostrador dourado e diamantes a abrilhantar os marcadores das horas. Pelo meio encontram-se os modelos com apresentação do dia da semana às 12 horas, que variam entre os 2220 e os 2830 euros.

Tudor Royal M28403-0005 e M28400-0001 © Tudor
Royal: M28403-0005 em aço/ouro com brilhantes e M28400-0001 em aço © Tudor

A bracelete em aço, de cinco elos, apresenta um acabamento escovado e polido, combinando na perfeição com a luneta e oferecendo um efeito de continuidade a partir da caixa. Os mostradores estão disponíveis em preto, prateado, cor de champanhe ou azul, mas também existe uma versão em madrepérola com diamantes no lugar dos indexes.

Tudor Royal © Tudor
No pulso: o Royal de 41mm com dia e data na versão em aço e mostrador azul © Tudor

Os movimentos utilizados são os robustos calibres T603, T601 (Sellita)  e T201 (ETA) — movimentos de corda automática de grande fiabilidade testados ao longo dos anos e facilmente reparáveis em caso de qualquer problema. A opção da Tudor por esses calibres automáticos permite-lhe conter ainda mais o preço dos modelos Royal comparativamente com os exemplares dotados do calibre de manufatura que equipa a maior parte dos modelos Black Bay.

A coleção Tudor Royal e os diferentes tamanhos de caixa. © Tudor

As nossas impressões

Inicialmente apresentado em alguns mercados asiáticos, os novos Royal são agora lançados a nível global como a segunda novidade da Tudor deste ano de 2020. Como relógio de perfil desportivo reminiscente dos grandes clássicos do moderno design integrado dos anos 70 (inclusivamente os Oysterquartz da sister company Rolex!), é um complemento interessante para um portefólio que tende a ser mais conhecido pela vertente neo-vintage Black Bay. De facto, o lançamento de alguns modelos Black Bay sem a luneta graduada ofereciam já, de certa forma, essa possibilidade, mas não deixam de ser modelos mais assumidamente desportivos na senda dos históricos modelos de mergulho tão em voga na última década. Já os novos Royal apresentam uma aura casual elegante e, com o seu visual cem por cento metálico devido ao design integrado e uso exclusivo de braceletes em aço ou aço/ouro (não existe qualquer versão com correias de pele ou cauchu), têm diversos elementos que podem agradar a quem quer variar de estilo ou apelar a diferentes tipos de gosto — especialmente se tivermos em conta a variedade de mostradores. O preço é extremamente competitivo dentro da tipologia e relativamente baixo face a produtos do género de marcas do mesmo segmento, o que faz do Royal um modelo relevante na estratégia da marca para os próximos anos.

Tudor Royal © Tudor
Tudor Royal © Tudor

Características técnicas

Tudor
Royal
Ano de lançamento | 2020

Referências | 28600/3, 28500/3, 28400/3, 28300/3
Movimento | Movimento mecânico de corda automática, Calibre T603 (nos modelos de 41mm), T601 (nos modelos de 38 e 34mm) ou T201 (nos modelos de 28 mm)
Funções | Horas, minutos, segundos e data.  Dia da semana nos modelos de 41mm de diâmetro.
Caixa Ø 41, 38, 34 ou 28 mm | Aço. Vidro de safira com tratamento antirreflexo em ambos os lados. Estanque até 100 metros. Luneta em aço com ranhuras ou ouro amarelo de 18kt, alternando estrias gravadas com o acabamento polido Coroa de rosca em aço ou ouro amarelo de 18 kt, adornada com o logotipo da Tudor em relevo.
Mostrador | Preto, prateado, cor de champanhe ou azul, acabamento raiado, com ou sem diamantes. Madrepérola com diamantes (apenas nos modelos de 34 e 28mm). Apliques em numeração romana. Dia da semana às 12 horas (apenas no modelo de 41mm). Data às 3 horas.
Bracelete | Bracelete integrada em aço ou aço e ouro amarelo de 18 kt, elos centrais e externos acetinados e escovados, elos intermédios polidos, com fecho de báscula e fecho de segurança.
Preço | A partir dos 2070 €

Visite o site da Tudor para mais informações.

Outras leituras