Uma peça e cinco atos

Era uma vez um relógio… e qual a narrativa por trás da sua génese? Cada peça relojoeira pode equivaler a uma peça teatral em cinco atos — que excecionalmente resulta numa obra-prima, mas que também pode redundar em comédia ou mesmo tragédia. Eis os passos necessários para dar palco a um relógio, recorrendo a dois exemplos específicos (uma marca e um relógio) de 2022.

Imagem de abertura: Jacob & Co Opera Godfather 50th Anniversary. © Jacob & Co 

Exclusivo na edição impressa | Estima-se que o número de relógios mecânicos anualmente colocados no mercado seja de 80 milhões, mas nem todos nascem da mesma maneira — a diferença entre exemplares de produção em massa que custam um punhado de euros e as multimilionárias obras-primas de tiragem restrita é abissal, tanto no preço como na essência. As motivações podem ser da mais diversa índole, indo desde o puro negócio à preservação cultural, da básica função ao status symbol, passando pela realização pessoal. A história associada ao nascimento de cada relógio é uma aventura que merece ser contada.

Jacob & Co Opera Godfather 50th Anniversary. © Jacob & Co
Jacob & Co Opera Godfather 50th Anniversary | © Jacob & Co

O mais lírico exemplo dos últimos tempos prende-se com a iniciativa da Fundação Time Aeon. Há cerca de uma década, os insignes membros Robert Greubel, Stephen Forsey e Philippe Dufour lançaram um projeto denominado «Naissance d’une Montre» — que, perante a crescente industrialização e o recurso à automação, consagrava a transmissão de conhecimento para garantir que as novas gerações fossem capazes de produzir um relógio de A a Z, como os relojoeiros ancestrais. O projeto foi apresentado em 2012, tendo Michel Boulanger como protagonista; o relógio (a Montre École) foi vendido em leilão por 1.461.507 dólares, com a verba a reverter para a fundação.

Lang 1943 Field Watch One no pulso
Lang 1943 Field Watch One | © Lang 1943

Para qualquer relojoeiro, o desafio supremo é mesmo confecionar um relógio do princípio ao fim com ferramentas de fabrico próprio; são casos raros e o mais normal é que o espectro vá da semi-manufatura até à produção em massa — e pode dizer-se que, como nas peças clássicas de teatro, a vida de cada peça relojoeira é formada por cinco atos: a marca, a ideia, o design, a execução e o epílogo.

Leia o artigo completo no número 81 da Espiral do Tempo (inverno 2022).

Outras leituras