fbpx

Chopard: a Palma de Ouro como símbolo de uma parceria e de uma atitude eticamente responsável

A edição de 2018 do Festival de Cannes decorre entre 8 e 19 de maio e vai contar mais uma vez com a Chopard enquanto parceira oficial e enquanto autora da Palma de Ouro. No entanto, se os 20 anos que unem a marca ao grande evento são motivo para celebrar, o mais almejado galardão reveste-se ainda de maior importância como símbolo de um percurso ambicioso que a marca suíça tem vindo a percorrer há uns anos e que agora assume um patamar superior: a partir de julho de 2018, todas as criações da Chopard serão feitas à base de ouro 100% ético.

A edição de 2018 do Festival de Cannes decorre entre 8 e 19 de maio e vai contar mais uma vez com a Chopard enquanto parceira oficial. Esta associação começou em 1998 e é por ela que a marca lança todos os anos novas joias para uma coleção denominada Red Carpet que não tem parado de crescer. Quando Caroline Scheufele – co-presidente e diretora criativa de joalharia da marca – lançou a coleção o objetivo foi responder ao desafio de apresentar em cada edição do festival o mesmo número de peças equivalente ao número de edições do grande evento. No entanto, a marca não se fica pelas criações de alta-joalharia.

A Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes, como habitualmente, concebida pela Chopard.
A Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes, como habitualmente, concebida pela Chopard em ouro Fairmined 100% ético. © Chopard

Enquanto parceira, a Chopard é, desde 1998, responsável pela criação e conceção da Palma de Ouro que é oferecida aos premiados no festival. Mas, para além da Palma de Ouro e das suas duas versões em miniatura que premeiam o Melhor Ator e Melhor Atriz desde 2000, este ano, as oficinas da Chopard irão produzir, pela primeira vez, cinco mini Palmas de Ouro destinadas aos vencedores nas categorias Grand Prix, Melhor Realizador, Melhor Guião, Prémio do Júri e Melhor Curta-Metragem, distinguidos pelo júri. Até à edição de 2017, os vencedores destas categorias eram premiados apenas com um diploma. Sendo assim, a Chopard torna-se a autora oficial de todos os prémios oficiais do Festival de Cannes.

Mas se estamos a falar de novidades, implica destacar que, mais do que símbolo de uma associação que dura há 20 anos, mais do que uma evocação de talentos cinematográficos e mais do que um exemplo notável da capacidade criativa da marca, a Palma de Ouro e restantes galardões do Festival de Cannes surgem como símbolo de uma viagem que a Chopard tem vindo a percorrer e que, em 2018, assume o seu ponto alto: a marca suíça anunciou recentemente que, a partir de julho de 2018, passará a usar ouro 100% ético nas suas peças de joalharia e de relojoaria.

Aqui fica o vídeo do anúncio em Baselworld:

Ouro 100% ético

Desde 2010, a Chopard é membro do Responsible Jewellery Council (RJC), entidade que pretende reforçar a confiança na indústria joalheira através da promoção de práticas responsáveis relativamente à ética, aos direitos humanos e sociais e ao ambiente durante toda a cadeia de fornecimento de matérias-primas.

Em linha com este comprometimento, a marca tem vindo a recorrer ao designado ouro Fairmined, oriundo de comunidades mineiras da América Latina, um selo que garante a proveniência ética e sustentável do ouro, numa viagem que parte da extração e rastreamento do ouro enquanto matéria-prima utilizada pela marca e que termina no momento em que o cliente tem a consciência de que está a adquirir joias amigas do ambiente e que respeitam os direitos éticos, sociais e laborais durante toda a cadeia de produção.

Colar da coleção Chopard Green Carpet. © Chopard
Colar da coleção Chopard Green Carpet de 2018. © Chopard

Na altura em que a Chopard se associou à Eco-Age para percorrer este caminho, Caroline Scheufele, copresidente e diretora criativa da Chopard, esclareceu: «como negócio centenário de família, a Chopard está ciente das suas responsabilidades na sua viagem rumo ao luxo sustentável. Não é um caminho fácil, mas é o caminho certo, e o The Journey surge como o início de um entusiasmante programa de diversos anos que garantirá que a Chopard trabalha de modo a cumprir o seu objetivo de produção de joalharia sustentável». E o programa referia-se tanto ao ouro, como aos diamantes utilizados.

 L.U.C XPS Twist QF Fairmined
Chopard L.U.C XPS Twist QF Fairmined (2017): o mostrador apresenta um efeito inspirado na composição bruta do ouro extraído das minas. © Chopard

Entretanto, temos acompanhado o lançamento de relógios e joias concebidos com ouro Fairmined, nomeadamente, na coleção L.U.C. E é aqui que se integra também a Palma de Ouro, um galardão concebido à medida das exigências da marca no domínio da responsabilidade ética e ecológica. Ao mesmo tempo, se falamos de Cannes, falamos da coleção Green Carpet produzida com matérias-primas que espelham os objetivos da marca.

E, em jeito de conclusão, deixamos um vídeo que nos revela claramente de que estamos a falar quando falamos dos compromissos de sustentabilidade associados à Chopard:

Visite o site oficial da Chopard e o site do Festival de Cinema de Cannes para mais informações.

Outras leituras