fbpx

Chopard: Bodas de Prata em cinco capítulos L.U.C

As primeiras novidades desveladas pela Chopard em 2021 inserem-se no âmbito das comemorações do 25º aniversário da sua manufatura de movimentos mecânicos — erguida na localidade de Fleurier e fundamental para a reafirmação da marca genebrina no universo da alta-relojoaria. Aqui estão cinco novos modelos na linhagem L.U.C.

Fundada em 1860 por Louis-Ulysse Chopard, a Chopard arrancou inicialmente como manufatura relojoeira e evoluiu ao longo da segunda metade do século passado para uma marca global especialmente admirada pela sua auréola de prestígio e caráter glamoroso. A tal sucesso não está seguramente alheia a intervenção da dinastia Scheufele — que sucedeu aos herdeiros de Chopard na direção dos destinos da companhia e lhe deu uma nova dimensão nas vertentes relojoeira e joalheira, sem que a marca nunca perdesse os encantos de uma empresa familiar plena de tradição.

L.U.C Time Traveler One Black
L.U.C Time Traveler One Black | © Chopard

O investimento numa manufatura de exceção inaugurada em 1996 na localidade de Fleurier representou o regresso às origens puramente relojoeiras da Chopard; este ano, o 25º aniversário da Manufatura Chopard está intimamente ligado a (quase) todas as novidades da marca. A pacata comunidade montanhesa de Fleurier fica situada em pleno Val de Travers e está muito longe do luxo cosmopolita de Genebra, do feérico festival de Cannes ou do refinado ambiente do rali Mille Miglia — habituais palcos de expressão da Chopard.

Detalhe do mostrador do L.U.C Quattro Spirit 25
L.U.C Quattro Spirit 25 | © Chopard

Mas Fleurier até simboliza a génese desse mundo de sonho, uma vez que o estabelecimento de uma manufatura naquela vila do Jura suíço significou um regresso às origens e presta homenagem ao mestre relojoeiro que fundou a marca: foi lá perto, em Sonvilier, que Louis-Ulysse Chopard abriu o seu atelier para a manufatura de instrumentos de precisão (relógios de bolso e cronómetros). A família Scheufele, dinastia alemã com gerações de experiência nos ramos joalheiro e relojoeiro, tomou conta da Chopard em 1963 e devolveu-lhe lustro nas mais diversas vertentes, sobretudo a partir do momento em que os filhos assumiram preponderância estratégica na direção da marca: Caroline Gruosi-Scheufele no setor da joalharia e o irmão Karl-Friedrich Scheufele na vertente da relojoaria.

Chopard - L.U.C QF Jubilee, sobre fundo de carta e madeira, ladeado por oculos de massa, laptop, e caneca © Chopard
L.U.C QF Jubilee | © Chopard

Enquanto Caroline apadrinhava soluções criativas inéditas que transformaram os produtos joalheiros da marca em objetos de culto do jet-set, Karl-Friedrich Scheufele não descansou enquanto não concretizou o seu desiderato: estabelecer um atelier de alta-relojoaria que concebesse mecanismos excecionais, exclusivamente identificados com a Chopard (e, mais recentemente, também com a Chronomètrie Ferdinand Berthoud). Os vários galardões conquistados no Grand Prix d’Horlogerie de Genève atestam o sucesso de uma empreitada que remonta a 1993, quando ficaram finalmente criadas as condições para a conceção do calibre inaugural; a prossecução do plano implicou a abertura da ambicionada manufatura de Fleurier em 1996, fazendo ressuscitar a grande tradição relojoeira da zona — que tinha mergulhado na letargia após a crise que assolou a indústria na década de 70. Um quarto de século depois, aqui ficam cinco das primeiras novidades de 2021 desveladas no âmbito da feira digital Watches & Wonders, que decorreu no passado mês de abril:

L.U.C Quattro Spirit 25

Talvez a peça mais emblemática de todas as novidades devido ao seu ineditismo e visual inesperado: é o primeiro relógio da Chopard com hora saltante, alimentado pelo já lendário Calibre Quattro de corda manual com oito dias de reserva de corda e complementado com um módulo para a apresentação digital. Geralmente as horas saltantes surgem às 12 horas, mas a Chopard inverteu essa tendência para a colocação original na parte inferior do mostrador.

L.U.C Quattro Spirit 25 em fundo branco
L.U.C Quattro Spirit 25 | © Chopard

Obviamente que, sendo uma tão importante edição comemorativa (limitada a 100 exemplares), todos os pormenores são superlativos: o mostrador é em ouro maciço e coberto por esmalte branco Grand Feu com grafismo em esmalte preto de teor contemporâneo; a caixa de 40mm em ouro rosa de origem ética é inspirada pelas caixas com tampa dos clássicos relógios de bolso desenhados pelo fundador Louis-Ulysse Chopard. O ponteiro dos minutos central acompanha o disco das horas saltantes com leitura através da janela às 6 horas.

Esboço do Quattro Spirit 25
Esboço do L.U.C Quattro Spirit 25 | © Chopard

Com apenas 4,85mm de espessura, o Calibre L.U.C 98.06-L está dotado de quatro tambores e baseia-se na tecnologia Quattro desenvolvida na Manufatura Chopard; os quatro tambores, montados dois a dois, proporcionam oito dias de reserva de corda num total habitual de 216 horas de autonomia — mas no caso do L.U.C Quattro Spirit 25 ostenta cerca de 190 horas tendo em conta o gasto suplementar de energia inerente às horas saltantes.

L.U.C QF Jubilee

É o primeiro relógio em aço lançado sob a chancela L.U.C, até agora exclusivamente assente em modelos com caixa elaborada em metais preciosos. O que faz com que o aço se torne igualmente um metal precioso no contexto da coleção, sobretudo tratando-se de um exemplar comemorativo (limitado a 25 unidades numeradas)! Com um elegante diâmetro de 39mm, destaca-se pelo mostrador prateado de tipologia ‘sector dial’ com um anel azulado e submostrador para os pequenos segundos. Está equipado com o Calibre L.U.C 96.09-L de corda automática e microrrotor em ouro de 22 quilates, tendo o movimento tanto a certificação COSC como o selo Qualité de Fleurier.

Chopard - L.U.C QF Jubilee, soldad e vista do verso © Chopard
L.U.C QF Jubilee | © Chopard

O QF da nomenclatura L.U.C QF Jubilee alude precisamente ao certificado Qualité Fleurier — uma fundação independente estabelecida em 2004 para providenciar uma certificação que assegura que o relógio é 100 por cento Swiss Made, que apresenta acabamentos superlativos, que também inclui um certificado de precisão do movimento atribuído pelo COSC, que ultrapassou o teste Chronofiable, e que completamente montado ultrapassou o simulador Fleuritest. As informações sobre a fundação podem ser encontradas em fleurier-quality.com.

Chopard QF Jubilee, vista soldad em desenho esquisso e apontamentos © Chopard
L.U.C QF Jubilee | © Chopard

L.U.C Perpetual Chrono

O L.U.C Perpetual Chrono desvelado este ano não é uma completa novidade, mas é uma estreia absoluta no sentido em que surge apresentado numa caixa em titânio de grau 5 que reforça a temática contemporânea das edições comemorativas do 25.º aniversário — ao passo que as versões existentes assentam em caixas de metal precioso, como o ouro ou a platina.

Pormenor movimento e mostrador Chopard Perpetual Chrono | © Chopard
L.U.C Perpetual Chrono | © Chopard

A estética do mostrador em guilloché também é diferente, com indicadores estilizados para as horas em vez dos habituais algarismos romanos.
Juntando a função de cronógrafo às múltiplas indicações temporais do calendário perpétuo, o peso do rico universo mecânico do L.U.C Perpetual Chrono é aligeirado pela leveza da caixa em titânio. A edição especial é limitada a 20 exemplares.

Chopard L.U.C Perpetual Chrono | © Chopard
L.U.C Perpetual Chrono | © Chopard

L.U.C GMT One Black e Time Traveler One Black

Para reforçar ainda mais o espírito contemporâneo inerente às Bodas de Prata da Manufatura Chopard em Fleurier, dois modelos de sofisticado visual escurecido: o L.U.C GMT One Black e o Time Traveler One Black, versões especiais em titânio de grau 5 ceramizado de conhecidos modelos existentes na coleção regular da marca — um com ponteiro suplementar GMT, outro com função worldtimer.

Detalhe do mostrador do GMT One Black
L.U.C GMT One Black | © Chopard

O look dos dois L.U.C comemorativos destinados aos viajantes assenta no tratamento da superfície do titânio de grau 5 através de uma oxidação alcançada a extremas temperaturas mediante tecnologia de eletroplasma. O processo aumenta a dureza já de si extrema do titânio para um nível superlativo de 700 Vickers, para além de proporcionar uma resistência absoluta à corrosão. A aura escurecida dos dois modelos é ampliada pelos mostradores em tom antracite e a sua modernidade complementada por braceletes em cauchu. Cada versão é limitada a 250 exemplares.

Detalhe do mostrador do L.U.C Time Traveler One Black
L.U.C Time Traveler One Black | © Chopard

Visite o site oficial da Chopard para mais informações.

Outras leituras