Hublot Classic Fusion Ferrari GT: fusão ‘Ferrarista’

Desvelado este ano na Baselworld, o novo Classic Fusion Ferrari GT quebra o tradicional molde geométrico da estética Hublot e apresenta um visual bem mais orgânico e, sobretudo, aerodinâmico. Não é de admirar – o design tem a autoria do mesmo Centro Stile da marca transalpina, liderado por Flavio Manzoni, que é responsável por alguns dos mais espetaculares bólides da escuderia, na era contemporânea.

A passagem da Hublot a cronometrista oficial da Fórmula 1, no início da presente década, foi rápida, mas permitiu estreitar laços com a Ferrari – e, em 2012, arrancou a parceria com a mítica escuderia de Maranello. O Big Bang Ferrari Magic Gold e o Big Bang Ferrari Titanium foram os primeiros dois modelos em edição limitada de uma linhagem que foi paulatinamente crescendo com múltiplas edições caraterizadas pelo arrojo na utilização de materiais – mas sempre baseadas no visual caraterístico da linha Big Bang. A consolidação do sucesso da parceria implicou a necessidade de uma ousadia técnica e estética ainda maior: a MP-05 LaFerrari — série muito exclusiva e inteiramente desenvolvida em tributo ao bólide de exceção designado «LaFerrari» — marcou esse ponto de rotura e abriu caminho para o Techframe e para o novo Classic Fusion Ferrari GT. As linhas destes modelos têm a assinatura do Centro Stile, o departamento de design da escuderia, liderado por Flavio Manzoni, que projetou alguns dos mais famosos carros de Gran Turismo do presente milénio.

© Hublot
© Hublot

No vertiginoso mundo do desporto motorizado, praticamente todas as escuderias têm estabelecido prestigiadas associações a marcas relojoeiras. E, de todas as escuderias, a mais lendária é seguramente a Ferrari – que já teve como parceiras a Heuer, a Longines, a Cartier, a Omega, a Girard-Perregaux, a Panerai e a Cabestan, ao longo das últimas cinco décadas. A Hublot tem levado essa parceria para um novo nível, no plano técnico e estético (e também comercial), graças a modelos concebidos de raiz para comemorar a associação. E o Classic Fusion Ferrari GT é um bom exemplo disso, já que está disponível em três variantes de tiragem exclusiva, que se adaptam perfeitamente ao pulso: titânio (limitada a 1.000 peças), fibra de carbono 3D (500 peças) e King Gold (500 peças).

Suporte híbrido

A Hublot tem dado particular atenção ao estilo e aos materiais utilizados nas suas braceletes. E, num modelo de prestígio de inspiração desportiva, optou por traduzir essa dicotomia numa bracelete híbrida: com uma base de borracha (que lhe dá robustez e conforto de utilização em qualquer circunstância) e uma inserção em pele Schedoni (que lhe proporciona um visual mais sofisticado e remete para os assentos dos carros de competição da Ferrari). O fecho de báscula oferece um nível de segurança suplementar.

© Hublot
© Hublot

Cavalinho rampante

A utilização do logótipo é sempre criteriosa e nunca ostensiva, nos modelos Ferrari da Hublot: no caso particular do Classic Fusion Ferrari GT, o Cavalinho Rampante surge numa escultura discretamente posicionada às 12 h. A alusão à escuderia aparece também num dos botões do cronógrafo (com o logótipo equídeo) e no fundo da caixa, através da menção «Ferrari GT» e do incontornável cavalo no centro do rotor estilizado.

© Hublot
© Hublot

Por trás de um nome

A inscrição do logótipo da marca Hublot, feita diretamente no vidro de safira, acentua a tecnicidade do conjunto, ao mesmo tempo que deixa ‘limpo’ o mostrador transparente, em safira — que deixa ver a parte superior do movimento, especialmente a roda de colunas. Os tons acinzentados oferecem um excelente contraste modernista com os tons mais quentes da caixa da versão em ouro avermelhado (o King Gold, de símbolo au750).

© Hublot
© Hublot

Arte da fusão

O salto qualitativo da Hublot neste novo milénio está diretamente ligado ao conceito de fusão e à utilização de novos materiais de ponta para a consolidação de um visual técnico vanguardista — dois vetores muito caros ao desporto motorizado. O Classic Fusion Ferrari GT King Gold associa um ouro especialmente avermelhado ao titânio, presente na luneta inferior. O original chassis, com 45 mm de diâmetro por 13,15 mm de espessura, é aerodinâmico e ergonómico, abraçando perfeitamente pulsos de vários tamanhos.

© Hublot
© Hublot

Segundo único

A motorização do Classic Fusion Ferrari GT é assegurada pelo calibre de manufatura HUB 1280 Unico, o segundo movimento cronográfico propriedade da Hublot – um calibre integrado de carga automática, protegido por quatro patentes com transmissão via roda de colunas e função de retorno instantâneo (flyback), para que o reinício da cronometragem seja feito através de uma única pressão do respetivo botão. 72 horas de reserva de marcha.

© Hublot
© Hublot

Formas orgânicas

As formas convexas da complexa carrosseria dão uma agradável sensação orgânica ao tato e prolongam-se até ao módulo lateral, que inclui a coroa e os botões da função cronográfica. O botão vermelho reforça a associação à Ferrari e estabelece a diferença entre o botão flyback e o botão ‘normal’. A função flyback (retorno instantâneo) permite que o ponteiro cronográfico dos segundos volte ao zero e reinicie instantaneamente a contagem através de uma única pressão.

© Hublot
© Hublot

Características Técnicas

Hublot
Classic Fusion Ferrari GT
Edição limitada a 500 peças.

Referência/ 526.OX.0124.VR
Movimento/ Mecânico de corda automática, Calibre HUB1240 (Movimento de Manufatura UNICO), 4Hz (28.800 alt/h), 43 rubis, 72 horas de reserva de corda.
Funções/ Horas, minutos, segundos, data e cronógrafo com flyback.
Caixa Ø 45 mm/ King Gold 18kt microjateado, vidro e fundo em cristal de safira, estanque até 100 metros.
Bracelete/ Pele Schedoni e cauchu preto com fecho de báscula em King Gold 18K e titânio banhado preto.
Preço/ € 40.350

Hublot Classic Fusion Ferrari GT King Gold © Hublot
Hublot Classic Fusion Ferrari GT King Gold © Hublot

Visite o site oficial da Hublot para mais informações.

Outras leituras