fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Isotope e o processo criativo

A Hydrium, mais recente linha da Isotope, tem conhecido grande sucesso — alavancado pela surpreendente edição limitada ‘Will Return’. José Mendes Miranda, o português fundador da micromarca baseada em Londres, fala-nos do processo criativo associado aos modelos Hydrium e apresenta-nos a nova versão Blue Night.

O Hydrium não é o primeiro relógio de mergulho da Isotope — a marca fundada pelo português José Mendes Miranda e pela sua mulher em Harpenden, nas imediações de Londres, em 2015. O Goutte d’Eau Compressor Diver foi lançado no final de 2019 e terá mesmo sido o modelo que deu à Isotope projeção no sempre complexo mercado relojoeiro das micromarcas, caraterizado por uma exigente clientela que percebe muito de relógios mas que não está disposta a pagar quatro dígitos por exemplares mecânicos com uma relação preço/qualidade/originalidade bem mais do que satisfatória.

Isotope Hydrium Blue Night num fundo de madeira com folhas castanhas outonais
O novo Hydrium Blue Night com os ponteiros azulados em destaque | © Isotope

Com o Hydrium, a Isotope reinvestiu na tipologia dos tool watches e regressou à sempre popular categoria dos divers — mas o sucesso da nova linha começou por assentar no forte impacto mediático criado pela edição limitada Will Return, cujas simbologia muito especial e pitoresca combinação cromática contribuíram para que a tiragem de 100 exemplares se esgotasse rapidamente. A outra edição limitada de lançamento, o Burnt Tangerine, é uma interpretação dos fabulosos mostradores laranja da Doxa e também foi um sucesso; o tom alaranjado escuro é verdadeiramente único. Entretanto, foi lançado o Blue Night com dois elementos muito apreciados pela comunidade relojoeira: um mostrador em esmalte, 100% preto e brilhante, e ponteiros aquecidos em fogo para atingirem a tonalidade azulada pretendida.

Isotope Hydrium Burnt Tangerine num fundo escuro.
A original tonalidade de mostrador do Burnt Tangerine | © Isotope

Nos três casos, a venda foi feita por antecipação (como muitas vezes acontece no contexto das micromarcas) e já há confirmação de entrega: março para o Will Return e o Burnt Tangerine, abril para o Blue Night. «A produção está a correr dentro do previsto, apesar de alguns problemas com os fornecedores causados pela pandemia», refere José Mendes Miranda. Há colaborações que ainda não são do domínio público e cujas versões do Hydrium serão lançadas ao longo do ano. Antes disso, o fundador da Isotope falou-nos do processo criativo que esteve por trás do lançamento da sua mais recente linha e dos três primeiros modelos já desvelados.

Desenho 3D da caixa do Hydrium Blue Night
Desenho 3D da caixa do Hydrium Blue Night | © Isotope

A história de um design

«Desde o início da Isotope que temos usado a lacrima, a forma mais streamline criada pela natureza. A inspiração inicial tem como base o famoso Kitchen Clock desenhado por Max Bill. Entretanto, evoluímos e adaptámos a lacrima para ser a base do nosso ADN, com a forma sempre presente nos mostradores ou nos ponteiros. Ou até mesmo no logo», salienta. A linha Hydrium, com ponteiros em forma de ‘i’ de Isotope, e a sua variante HydriumX, com ponteiros em forma de gota como os que foram utilizados na edição Will Return, é a base dos futuros relógios de mergulho da Isotope».

Isotope HydriumX Will Return no pulso masculino
Um relógio cool: o HydriumX Will Return no pulso | © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

A caixa do Hydrium é robusta, com 40mm de circunferência e 48mm de asa a asa. «São as dimensões mais procuradas e, provavelmente, as mais consensuais — pois servem à maioria dos humanos adultos», salienta José Mendes Miranda. «Para a criação da caixa do relógio estudamos os protótipos Mil Spec da Bulova e da Tornek Rayville. Fazer uma caixa igual não faria sentido, uma vez que existem centenas de homenagens a esses modelos históricos. Seria rápido e bastante mais económico… mas optámos, como sempre, por quebrar o que já existia e evoluir. É por isso que as asas têm a lacrima nas pontas, o que transforma a caixa de forma imediata: fica mais fluida, mais confortável e segue a nossa onda de design inspirada na escola Streamline Moderne. As laterais da caixa acompanham a onda que cria a gota das asas, e, do lado da coroa, com um padrão de corte de diamante para melhorar o manuseamento da coroa com ou sem luvas — mas, não se esqueçam, sempre fora de água! O design dos ombros de proteção da coroa demorou cerca de dois meses a ser definido. Há muitas soluções para as proteções da coroa, mas algumas estão patenteadas ou então são demasiado utilizadas em tantos outros designs. Optámos por uma solução adequada ao nosso design, ondulada e cobrindo metade da coroa. Os ombros da coroa do Hydrium ajudam a proteger sem obstruir».

Caixa do Isotope HydriumX "Will Return" vista do lado da coroa.
Inspiração Streamline Moderne bem patente no design de caixa da linha Hydrium | © Isotope

Obviamente, o fundo da caixa e o grafismo também requereram uma atenção especial. «A tampa da caixa exigiu uma terceira pessoa para, em software 3D, criar o padrão com o escafandro, tubarões e elementos marítimos como homenagem aos pioneiros homens-peixe e à espécie marítima mais enigmática, e também a mais inspiradora. No futuro, este padrão, para já presente apenas nas versões Hydrium, irá potencialmente substituir as tampas transparentes de exibição em safira que utilizamos no HydriumX», refere. «E os buracos para fechar a tampa também têm a forma da lacrima… um detalhe desnecessário, mas que prova que tentamos ir ao limite do permitido, mantendo a sobriedade dos nossos modelos».

Desenho 3D e fundo de caixa dos Isotope Hydrium
Desenho 3D e fundo de caixa com o escafandro, tubarões e elementos marítimos | © Isotope

Por fim, a inserção da luneta. «A moldura tinha de ser integrada na luneta e na caixa de tal modo que, vendo de lado, parece uma peça única. O padrão usado para melhorar a rotação da moldura segue o mesmo design da coroa, mas numa fila única, tal como nos anos 50. À época, as condicionantes técnicas obrigavam a determinadas simplificações, mas, atualmente, quase tudo é possível. E se quisermos manter um design simples e objectivo, a complexa tecnologia de construção, de segurança e estanqueidade é a mesma que se usa em caixas mais elaboradas.  Simples não significa básico! O objectivo inicial era construir a moldura da luneta em baquelite, mas alguns meses de pesquisa provaram não ser suficientes para encontrar um bom fornecedor, pelo que optámos por um design plano, em safira. O contraste do brilho do vidro safira com o aço tratado com jato de areia dá um ar mais refinado ao aspeto pesado do relógio. O contraste da solução plana com a dupla concavidade do vidro safira da face do relógio completa o visual streamline, com a vantagem de ampliar as dimensões do mostrador. Dentro ou fora de água».

Pormenores dos ponteiros em lágrima do Isotope HydriumX Will Return e dos ponteiros em "i" do Hydrium Burnt Tangerine
Pormenores dos ponteiros em lágrima do HydriumX Will Return e dos ponteiros em ‘i’ do Hydrium Burnt Tangerine | © Isotope

Os mostradores e os ponteiros foram desenhados em simultâneo e durante a criação da caixa do relógio. A linha Hydrium regular apresenta a lacrima destacada em relevo no mostrador e ponteiros em forma de ‘i’ (de Isotope); os ponteiros em forma de ‘i’ ajudam a reduzir a dimensão dos indexes, uma vez que a sua posição dominante é suficiente para se ler as horas com precisão. Já a variante HydriumX utiliza ponteiros em forma de gota para evocar estilisticamente a lacrima — e o Will Return teve um mostrador de base completamente luminescente. «O objectivo era uma unidade entre ponteiros e mostrador. Foi então que, ao imaginar um mostrador sem a lacrima, surgiu a hipótese de usar o design do sinal ‘Volto Já’, tão comum em Nova Iorque e na América do Norte. Era uma ideia que estava num canto escondido do meu cérebro há já uns anos, mas faltava a loucura e a coragem de fazer um relógio com aspecto básico, colorido e de estrutura séria e robusta».

Isotope HydriumX "Will Return" com o célebre sinal "Will return" que se encontra nas lojas de Nova Iorque e que serviu de inspiração para o seu design.
HydriumX Will Return e o emblemático letreiro novaiorquino que o inspirou | © Isotope

O Will Return pode mesmo passar à história como um modelo fulcral para estabelecimento da marca no imaginário dos aficionados. «É uma criação bem humorada, para adultos com coração jovem e com interesse em relógios com soluções técnicas acima da média; é uma compra emocional, que apela a boas recordações, ou simplesmente um relógio que pode ir ao fim do mundo com tons alegres e joviais. É mais um ‘Ovo de Colombo’ da Isotope… e já colecionámos três até à data!», regozija-se. «Em conjunto com o António Teixeira, amigo de longa data, professor e designer premiado, encontrei uma solução elegante e fiel ao desenho original da tabuleta. Com receio de usar um design registado, despendi cerca de quatro meses a investigar quem detinha os direitos. Felizmente, o design esta no domínio publico, pelo que a porta estava aberta. A evolução da fonte usada nos números, a simplificação e modernização do grafismo fazem parte da qualidade gráfica que pretendemos implementar em todos os mostradores que desenvolvemos. Na luneta, reduzimos o conteúdo da moldura ao limite e aplicámos apenas o nosso ADN, mantendo a unidade com todos os nossos designs. A oportunidade de criar um mostrador branco abriu a porta para um mostrador preenchido com SuperLuminova — bastante adequado para este design, não só por ser, em ultima análise, um relógio de mergulho ou um tool watch, mas porque adiciona mais uma característica de humor e complexidade ao desenho. É, sem dúvida, o mostrador mais caro que produzimos até à data». Os ponteiros, em forma de gota e com um filete de SuperLuminova, são a cereja em cima do bolo… com um top ainda mais especial: um microponteiro do segundos, apenas útil para se verificar se o relógio, sendo mecânico e por isso com reserva de corda limitada, está a funcionar ou não.

Isotope HydriumX "Will Return" com mostrador luminescente.
Mostrador completamente luminescente do HydriumX Will Return | © Isotope

O espaço entre asas da caixa dos modelos Hydrium (e variante HydriumX) é de 22mm. «É a medida mais elegante e robusta para estas dimensões. E em vez de mantermos a circunferência da caixa no espaço entre asas, colocámos um fim plano de modo a que as braceletes assentem melhor no conjunto. Inicialmente estávamos a explorar ter uma barra com parafusos para a bracelete, mas depois de testar, consideramos que não compensava. Custos acrescidos, complexidade acrescida e ainda a possibilidade de desgaste e mais manutenção no futuro. Por isso, optámos por um sistema tradicional e de rápida mudança, o quick release integrado na própria bracelete».

Bracelete Hydrium no pulso
A bracelete inspira-se na tipologia Tropic tão em voga nos relógios de mergulho dos Anos 60 | © Isotope

A concepção de um tool watch de mergulho traz normalmente consigo a eventualidade de uma válvula de hélio. «Também colocámos no projeto inicial uma válvula de hélio para descompressão. Mas acabámos por considerá-la uma complicação desnecessária, uma vez que a caixa do Hydrium está desenhada para ir a ‘apenas’ 300 metros de profundidade e a válvula de hélio é um recurso adequado a uma pequena minoria de mergulhadores que vão para além dessa marca».

Desenhos 3D da caixa do novo Isotope Hydrium Blue Night
Desenhos 3D da caixa do novo Hydrium Blue Night | © Isotope

Para o preço final acessível (entre os 600 e os 700 euros) era importante uma adequada escolha da motorização. «Inicialmente pensámos em utilizar um fiável movimento automático japonês. Mas o design merecia um upgrade… e um calibre suíço ajuda a manter ou até a inflacionar o valor do relógio. Então optámos pelo movimento Swiss Landeron 24, decorado, com rotor assinado e regulado durante 24 a 48 horas em várias posições. A escolha prende-se também com a vontade de montar e regular os relógios em Inglaterra, de modo a podermos controlar melhor a qualidade do produto; a utilização do Swiss Landeron 24 fez com que a qualidade do conjunto tenha subido alguns pontos sem incremento dos valores de pré-venda», sublinha o fundador da Isotope.

Quanto à estrutura da linha Hydrium, «a vontade era fazer uma versão ilimitada que permanecesse no catálogo», acrescenta José Mendes Miranda. «Mas a vontade de inovar é superior à necessidade de faturar. Assim, após as 100 unidades de cada versão estarem vendidas, partimos para o desafio seguinte». Que, após o Hydrium Burnt Tangerine e o HydriumX Will Return, foi o Hydrium Blue Night. «O Blue Night apresenta um contraste muito forte entre a caixa de aspeto quase brutalista, apesar de inspirada na escola streamline, e a delicadeza de um relógio com mostrador em esmalte e ponteiros de acabamento que geralmente só é encontrado em modelos clássicos», explica.

Isotope Hydrium Blue Night
A aura escurecida do Hydrium Blue Night | © Isotope

«O design do Hydrium foi um longo processo que se estendeu por quase todo o período de confinamento dos últimos dois anos. Nenhum dos nossos designs é simples, e quando optamos por determinados designs, dimensões, acabamentos e cores é porque já experimentámos dezenas ou mesmo centenas de soluções. E acabamos por optar pelas que nos parecem mais equilibradas», revela. «Depois há sempre outros motivos, inspirações ao dobrar da esquina, mas não é fácil escolher as corretas. Tem de ser algo que apele ao nosso subconsciente, a algo que nos recorde um momento da infância, ou alguém, ou outro objeto, outra cor. Uma inspiração de tal complexidade, que parece fácil depois de executada, é sempre um tiro no escuro. Mas se perseguirmos e oferecermos qualidade nas nossas criações, haverá sempre quem entenda quais os objectivos que pretendemos com cada design. E é isso que nos faz criar o próximo».

Desenho 3D com ênfase na luneta do modelo Hydrium
Desenho 3D dos modelos Hydrium com ênfase na luneta e na coroa | © Isotope

Cá estaremos para ver qual será o próximo modelo do universo Hydrium — sabendo-se que entretanto haverá uma edição limitada do GMT 0º que, de certo modo, estará ligada a Portugal e ainda que a nova linha Old Radium será lançada no verão.

Mais informação em www.isotopewatches.com.

Outras leituras