Roger Dubuis e o cronógrafo da híper-relojoaria

Em fim-de-semana das 24 Horas de Le Mans, apresentamos um cronógrafo verdadeiramente especial de corrida: o novo Excalibur Spider Flyback Chronograph da Roger Dubuis é um perfeito exemplar de híper-relojoaria.

Foi no início dos anos 70 que ganhou fama aquele que foi considerado o primeiro supercarro, o Lamborghini Miura. Cinco décadas depois, há uma categoria acima — e o termo hypercar refere-se a supercarros de topo com uma produção ainda mais limitada e preço superior a um milhão de dólares. É uma categoria de definição lata, que tem sobretudo a ver com tecnologia de ponta embrulhada numa estética de vanguarda e que até já integra uma classe homónima no Campeonato Mundial de Endurance da FIA. A relojoaria tem uma classe equivalente, ou não tivessem as duas áreas uma evidente cumplicidade mecânica e até histórica, mas é exclusiva de uma única marca: a Roger Dubuis.

Hypercars e híper-relojoaria, o domínio da Roger Dubuis | Foto: Roger Dubuis

Fundada pelo mestre suíço Roger Dubuis e pelo empresário português Carlos Dias, começou por fazer alta-relojoaria neoclássica — mas transfigurou-se para se fixar precisamente na híper-relojoaria: associou-se à Lamborghini e patenteou a designação hyper watches para se focar no nicho do extremo, uma categoria que apela a uma nova geração abastada que procura algo mais do que um relógio igual a todos os outros que se fizeram e que quer usar no pulso algo que esteja mais de acordo com o que está a conduzir. Uma nova geração de milionários que usa sapatilhas com fatos, dispensa a gravata e vive no universo digital. E que prefere hípercarros com tecnologia de ponta aos frágeis e caprichosos modelos vintage.

As três versões do Excalibur Spider Flyback Chronograph | Foto: Roger Dubuis

O novo Excalibur Spider Flyback Chronograph da Roger Dubuis é para eles. A manufatura genebrina é parceira oficial da Lamborghini e já lançou múltiplas edições inspiradas pelos bólides da escuderia italiana e pelos carros da sua divisão desportiva, a Lamborghini Squadra Corse. O Lamborghini SC63 correu as 24 Horas de Le Mans na categoria hypercar com a insígnia da Roger Dubuis e no paddock esteve em grande destaque precisamente o hípercronógrafo desvelado nesta última semana, motorizado pelo novo Calibre RD780.

O mostrador racing do Excalibur Spider Flyback Chronograph | Foto: Roger Dubuis

O Calibre RD780 é um movimento cronográfico integrado dotado da função de retorno instantâneo (flyback) e que é protegido por duas patentes — uma associada ao ponteiro dos segundos do cronógrafo e outra ao totalizador dos minutos rotativo a 120 graus. A primeira é designada SBS (Second Brake System) e está instalada num dos dois braços que operam a embraiagem vertical; quando o cronógrafo é parado, um sistema de travão faz com que o ponteiro dos segundos não vibre ou trema absolutamente nada. A segunda patente foi batizada RMC (Rotating Minute Counter) e tem a ver com a indicação dos minutos do cronógrafo, com um ponteiro de três braços com algarismos em cada uma das extremidades (0, 1 e 2) a percorrer uma escala de 0 a 9 para indicar os minutos registados desde 0 até aos 29.

O totalizador dos minutos com o sistema RMC | Foto: Roger Dubuis

A Roger Dubuis gosta dos seus relógios com o ‘capot aberto’ para que se possa ver o motor — e o Calibre RD780 de corda automática pode ser devidamente apreciado através do mostrador, incluindo a roda de colunas que se move consoante o acionamento do cronógrafo através dos botões e também a roda do balanço com inércia variável. No fundo destaca-se a massa oscilante em forma de jante. Ao todo o novo movimento cronográfico da Roger Dubuis é formado por 333 componentes e inclui 39 rubis, funcionando a 28’800 alternâncias por hora (4Hz) e com uma autonomia de carga na ordem das 72 horas. A utilização de silício com revestimento de diamante no sistema de escape dispensa lubrificação e é especialmente resistente a campos magnéticos.

Escrutínio do Calibre RD780 de corda automática e massa oscilante em jante | Foto: Roger Dubuis

A carrosseria também é impressionante: a estrutura de 45mm de diâmetro assenta em camadas prensadas de carbono e a luneta é feita de cerâmica. Os botões do cronógrafo e as asas da caixa são esqueletizados para reforçar a leveza do conjunto, que é complementado por uma sofisticada bracelete de cauchu com dois tipos de acabamento.

A estrutura em carbono do Excalibur Spider Flyback Chronograph | Foto: Roger Dubuis

O mestre Roger Dubuis criou um calibre cronográfico para a obtenção do seu diploma na escola de relojoaria, sendo certificado com o Poinçon de Genève e o Bureaux Suisses de Côntrole Officiel de la Marche des Chronomètres. O primeiro relógio com o logotipo Roger Dubuis, logo após a fundação da marca em 1995, foi precisamente um cronógrafo (acompanhado por um calendário bi-retrógrado). O Calibre RD780 foi apresentado na Watches and Wonders de 2023 e o Excalibur Spider Flyback Chronograph está, para já, disponível em três versões certificadas com o Poinçon de Genève.

Detalhe da roda do balanço visível através do mostrador | Foto: Roger Dubuis

A versão base é dominada pelos tons pretos com nuances a vermelho; a versão em destaque nesta semana carateriza-se pela decoração Verde Mantis no tom da Lamborghini Squadra Corse que correu em Le Mans (o modelo específico apresenta uma forma em Y no mostrador preenchido com LumiNova evocando os faróis do SC63 da Lamborghini Squadra Corse) e há ainda uma versão Revuelto com a combinação verde-caqui e laranja presente na decoração do Lamborghini Revuelto.

O preço? Anda à volta dos 100.000 euros…

Outras leituras