fbpx

Vianney Halter: instigador do futuro anterior

Vianney Halter foi um dos grandes protagonistas do restabelecimento da relojoaria tradicional nos anos 90, oferecendo um cunho muito pessoal e alternativo à alta-relojoaria através de fantásticas criações evocativas de um mundo paralelo — o seu mundo, o da ciência mecânica retrofuturista.


Artigo originalmente publicado no número 78 da Espiral do Tempo (primavera 2022) 


A caminho dos 60 anos, Vianney Halter é um dos mais consagrados mestres relojoeiros do Planeta — tendo já sido agraciado com todos os mais relevantes galardões do setor. É também um dos principais mestres menos conhecidos do público em geral, porque não gosta muito de aparecer e prefere fechar-se no universo alternativo do seu atelier em Sainte-Croix, onde continua a criar peças excecionais para uma clientela muito exclusiva. Sempre com o seu estilo único e inimitável, apoiado em técnicas patenteadas e numa produção exclusivamente artesanal.

Vianney Halter no seu atelier | © Vianney Halter
Vianney Halter | © Vianney Halter

Nasceu em França (Suresnes), formou-se na Escola de Relojoaria de Paris, em 1981, e passou os primeiros dez anos da sua carreira a restaurar relógios antigos de pêndulo, relógios de bolso e de pulso. Depois, trabalhou com François-Paul Journe e Denis Flageollet numa empresa de conceção de movimentos denominada Techniques Horlogères Apliquées (THA), mas a convivência entre tão fortes personalidades levou à dissolução da parceria três anos depois. A amizade com o também mestre François Junod fê-lo abrir o seu próprio atelier e, seguidamente, entre 1992 e 1993, ajudou Franck Muller a ganhar o título de Master of Complications com a criação de peças altamente complexas.

“Enquanto criança, tinha a aspiração de desenhar e conceber geringonças malucas. As minhas criações refletem o que se passa na minha mente e, graças a elas, posso partilhar o meu universo com as outras pessoas.„

Vianney Halter
Pormenor dos motradores - Vianney Halter Antiqua e Harry Winston Opus 3 | © Vianney Halter
Vianney Halter Antiqua e Harry Winston Opus 3 | © Vianney Halter

Estabeleceu-se como independente em 1994, com a fundação da companhia Janvier S.A. No âmbito da adesão à AHCI, e apadrinhado por Philippe Dufour, desenvolveu a sua própria coleção em 1998 e lançou o Antiqua Perpetual Calendar — um relógio de estilo steampunk que é frequentemente mencionado entre os mais relevantes da relojoaria contemporânea. Chegou a ter 30 pessoas a trabalhar com ele, mas a crise do subprime em 2008 obrigou-o a redimensionar a empresa — fê-lo a contragosto, mas também nunca quis ser empresário, dirigir uma equipa ou viajar para vender o seu produto. O que sempre quis foi estar na banca de relojoeiro e criar relógios atípicos de maneira tradicional. Faz praticamente tudo, à exceção de algum trabalho decorativo encomendado no exterior. No total, concebe entre dez e 20 peças por ano. Estima-se que existem menos de 500 exemplares com a sua assinatura, o que os torna especialmente valiosos.
A sua habitual frase de despedida, «Live Long And Prosper», é inspirada na tirada do Mr. Spock da série Star Trek — tal como o seu Deep Space Tourbillon se inspira nessa série de ficção científica. Vianney Halter é mesmo um relojoeiro do outro mundo!

Soldad do Trio (2007) da coleção Futur Antérieur, soldad do raro modelo concebido para a Goldpfeil (2001) em fundo branco
O Trio (2007) com rotor misterioso da coleção Futur Antérieur, dotado de data grande em duas escotilhas e com o mesmo estilo retrofuturista estreado no Antiqua e o raro modelo automático em ouro branco concebido para a Goldpfeil (2001), com horas saltantes e fases da lua analógicas Halter 2 | © Vianney Halter

Refúgio pessoal

O atelier de Vianney Halter em Sainte-Croix é um universo à parte, onde as ferramentas e os utensílios relojoeiros se misturam com peças de avião, relojoaria grossa, livros, rascunhos e motores. Fascinado pela exploração espacial e pesquisa aeronáutica, o mestre de origem francesa é também um colecionador de instrumentos científicos e maquinetas. As muitas horas diárias de comboio a caminho e de regresso da escola foram preenchidas com a leitura dos romances de Júlio Verne, fomentando a propensão para o estilo retrofuturista que definiu os primeiros exemplares com a sua assinatura — especialmente o emblemático Antiqua Perpetual Calendar, um relógio que parece ter sido feito para o Capitão Nemo usar a bordo do Nautilus. «Enquanto criança, tinha a aspiração de desenhar e conceber geringonças malucas. As minhas criações refletem o que se passa na minha mente e, graças a elas, posso partilhar o meu universo com as outras pessoas», diz. E preza muito o facto de não depender de ninguém: «Ser independente também é ser mais humano, ser responsável pelo bom e pelo mau. Pelo menos, sei que faço o que faço por paixão e nada mais».

Vianney Halter no seu atelier | © Vianney Halter
Vianney Halter | © Vianney Halter

De Paris a Sainte-Croix

O pai era maquinista de comboios e trazia regularmente para casa engenhocas e dispositivos mecânicos que capturaram o seu imaginário. «Desde que me lembro, a mecânica sempre me fascinou. As aulas não me interessavam. E, aos 14 anos, fui para a Escola de Relojoaria. Formei-me aos 17 e tive logo ofertas de trabalho. Comecei pelo restauro e, depois, lidei com peças vintage durante dois anos. Trabalhar com relógios muito complexos foi educativo e recompensador, a minha propensão para as complicações vem daí. Em 1989, decidi trocar Paris pela Suíça; o François-Paul Journe convidou-me para trabalhar com ele em Sainte-Croix», uma pequena comuna fronteiriça no cantão de Vaud. Foi o começo da THA, uma companhia para criar novas soluções relojoeiras, onde conviveu com grandes vultos da relojoaria. Fundou depois a sua própria firma, Janvier S.A., cujo nome homenageia o grande mestre francês Antide Janvier (1751-1835). Ficou-se por Sainte-Croix até hoje, longe das discotecas parisienses que tanto apreciava antes.

Peças Vianney Halter
| © Vianney Halter

Obras-primas

«Ao idealizar um relógio, o meu objetivo não é o de dizer as horas ou criar uma tendência. Eu crio relógios porque me divirto a fazê-lo. É a minha maneira de partilhar emoções, através de técnicas vindas do passado e de um futuro cheio de estranhos mundos novos». O Antiqua (1998) e o Trio (2006), da linha Futur Antérieur, são perfeitos exemplos dessa ideia de ‘relíquia do futuro’. Outras criações contribuíram para os vários galardões que tem recebido: prémio da Inovação, no GPHG de 2003 para o Opus 3 da Harry Winston; Melhor Mestre Artesão, nos prémios Relojes & Estilográficas de 2008; Melhor Relojoeiro, no GPHG de 2011; prémio de Design & Inovação pelo Deep Space Tourbillon, no GPHG de 2013; Relógio do Ano pelo Deep Space Tourbillon, nos prémios Passion Horlogère de 2013; Melhor Design pelo Deep Space Tourbillon, no Salão das Grandes Complicações do Dubai, em 2015; prémio Hall of Fame, nos prémios Temporis de 2016; prémio Gaïa, na categoria Artesanato e Criação, em 2016; Melhor Relógio Masculino com o Deep Space Tourbillon no SIWP de 2017. A mais recente criação, o Deep Space Tourbillon Ressonance, promete granjear-lhe mais alguns troféus.

Vianney Halter Deep Space Tourbillon | © Vianney Halter
Vianney Halter Deep Space Tourbillon | © Vianney Halter

Projetos e colaborações

Antes de estabelecer a manufatura com o seu nome, Vianney Halter criou conceitos relojoeiros para várias marcas de topo — da Franck Muller à Audemars Piguet, passando pela Mauboussin, Jaquet Droz e várias outras que permanecem em segredo devido a cláusulas sigilosas. Mas algumas das suas mais famosas criações nasceram de projetos de colaboração, como o exemplar que fez para a série da Goldpfeil com vários mestres da Académie des Horlogers et Créateurs Indépendants (AHCI) ou o Opus 3 da série idealizada por Max Büsser para a Harry Winston. Idealizou o Cabestan com Jean-François Ruchonnet, mas vendeu o conceito. Mais recentemente, Vianney Halter abriu uma nova via ao democratizar o seu estilo numa edição colaborativa da Louis Erard que foi comercializada a um preço acessível.

Mostrador Louis Erard x Vianney Halter em fundo preto | © Vianney Halter
Louis Erard x Vianney Halter | © Vianney Halter

Outras leituras