Cinco curiosidades sobre o Franck Muller Master Jumper

A Franck Muller apresenta em estreia mundial o Master Jumper, um relógio com indicação saltante das horas, dos minutos e da data através de três aberturas. A marca dá o pontapé de saída deste modelo através do lançamento de uma série especial de 31 exemplares disponíveis apenas nas boutiques de Dubail em Paris. Aqui ficam algumas curiosidades sobre este novo relógio de pulso.

A novidade

Os novos Franck Muller Master Jumper | © Franck Muller

O novíssimo Franck Muller Master Jumper está disponível com caixas de 40mm em platina, ouro rosa e aço que guardam consigo um mostrador com indicações digitais saltantes das horas, dos minutos e da data. Quer isto dizer que, em vez de ponteiros, o relógio indica o tempo através de discos com dígitos que dão saltos por impulso mecânico. De acordo com a marca, a união de horas, minutos e data saltantes surge como uma estreia mundial e fica a dever-se a um novo movimento desenvolvido e concebido no seio da sua manufatura. Esta novidade surge em diferentes cores de mostradores – prateado, azul, vermelho, verde, dourado e castanho – distribuídas pelas diferentes caixas e, em alguns casos, com as correias em pele de aligátor a condizer com o mostrador.

Triplo salto

Os discos do relógio Franck Muller Master Jumper.
Nos novos Master Jumper os ponteiros foram substituídos por cinco discos com numerais arábicos destinados às diferentes funções | © Franck Muller

Nos novos Master Jumper os ponteiros foram substituídos por cinco discos com numerais arábicos para as horas, os minutos e a data. A cada momento de mudança de hora, o trem de rodagens leva o disco a dar um salto, alterando assim a hora indicada na janela localizada na parte superior do mostrador. Os minutos, apresentados na janela central, são apresentados graças a dois discos para as unidades e dezenas, oferecendo a este relógio mecânico uma leitura digital do tempo. Numa estreia mundial, as horas e minutos saltantes são ainda complementados por uma terceira abertura com indicação saltante da grande data, possível graças também a dois discos.

Os esboços do relógio Franck Muller Master Jumper.
Os esboços do novo Franck Muller Master Jumper | © Franck Muller

Naturalmente, como acontece em relógios com indicações temporais saltantes, o espetáculo a não perder será sempre o da mudança para as 00h00, altura em que muda a hora, mudam os minutos e muda a data, ou seja, às 23h59 é o momento para se estar mais atento. Se a questão associada à autonomia é sempre um desafio, tendo em conta o consumo de energia necessário para, por exemplo, fazer mover os discos dos minutos a cada período de 60 segundos, outro dos desafios no novo Master Jumper passou também pelo alinhamento perfeito de todos os mostradores. Neste sentido, as três aberturas foram colocadas verticalmente e equidistantes no mostrador para destacar o posicionamento simétrico e minimalista do tríptico. Sem ponteiros, o mostrador permite uma leitura intuitiva das indicações temporais.

Três relógios Franck Muller Master Jumper: em castanho, azul e prateado.
O novo Franck Muller Master Jumper é declinado em diferentes versões de mostrador e materiais de caixa, com correias a condizer | © Franck Muller

Caixa Curvex CX

Para alojar esta nova complicação, a Franck Muller escolheu a caixa Curvex CX, a mais recente interpretação do formato tonneau que tanto carateriza as criações da marca. Esta caixa foi redesenhada no âmbito do 30.º aniversário da Franck Muller e distingue-se pelo vidro de safira que se estende desde as 12h até às 6h. O prolongamento oferece uma visão completa do mostrador, num design que destaca as curvas do relógio, mas que permite ainda enaltecer o mostrador trabalhado guilloché com motivo inspirado na clássica decoração Clous de Paris – neste caso, em dois círculos distintos que destacam as complicações. O efeito decorativo oferece a impressão de movimento ao mostrador, ao mesmo tempo que reforça os reflexos graças às suas diferentes facetas. Por fim, destaque para uma moldura circular polida que enquadra as complicações, mas também para o efeito escovado da moldura na periferia do mostrador.

Os esboços do mostrador e caixa do novo Franck Muller Master Jumper.
O mostrador trabalhado em guilloché com motivo inspirado na clássica decoração Clous de Paris, neste caso, em dois círculos distintos que destacam as complicações | © Franck Muller

Mestre em complicações

Importa relembrar que o novo Master Jumper surge como um novo modelo, é certo, mas que segue as pisadas de uma marca que sempre teve uma forma muito própria de criar e recriar as indicações temporais em relógios de pulso. Lançada em 1992, a Franck Muller é conhecida como uma casa perita no desenvolvimento de novas complicações, mas se pararmos para pensar, há ainda um portefólio bem rico no que diz respeito não apenas à introdução de novas funções, estreias mundiais e patentes, mas também uma forma muito própria de criar e recriar as indicações temporais em relógios de pulso. No caso do novo modelo, fica claro que, além da inovação associada, existe a preocupação de garantir uma excelente legibilidade num modelo particularmente elegante. Sendo assim, esta nova coleção vem juntar-se a uma linhagem que passa por modelos icónicos como o Master Banker (com três fusos horários no mostrador ajustáveis pela mesma coroa), o Master Calendar com uma interessante indicação da data por meio de ponteiros ou o harmonioso Master Square com caixa quadrada.

O relógio Franck Muller Master Jumper em azul no pulso.
Franck Muller Master Jumper Blue | © Franck Muller

A parceria

O novo Master Jumper da Franck Muller resulta da parceria de mais de vinte anos e de uma «amizade genuína» entre a Franck Muller e a Dubail Paris. Por isso mesmo, o novo relógio foi apresentado num evento na cidade das Luzes. Os 31 exemplares que compõem esta edição limitada estarão disponíveis para venda em exclusivo nas boutiques da Dubail em Paris, localizadas na Place Vendôme e nos Champs Elysées. «O Master Jumper que apresentamos hoje, que exibe horas, minutos e data saltantes (algo nunca antes feito), esconde sob a sua aparente simplicidade e a pureza do seu design, a combinação de toda a perícia da manufatura», refere Adrien Jouffroy, da Franck Muller France.

Outras leituras