IWC conquista lugar no Guinness World Records

O Portugieser Eternal Calendar da IWC Schaffhausen foi oficialmente reconhecido pelo Guinness World Records como o ‘relógio de pulso com fases lunares mais preciso’. Com um desvio teórico de um dia em 45.361.055 anos, a indicação Double Moon deste relógio bate o recorde mundial anterior em mais de 43 milhões de anos.

«É oficial», refere a IWC Schaffhausen no que diz respeito à conquista de um lugar no Guinness World Records (GWR) com o Portugieser Eternal Calendar, lançado este ano. A marca pode assim orgulhar-se de ter no seu portefólio aquele que fica registado como o ‘relógio de pulso com fases lunares mais preciso’. Com um desvio teórico de um dia em 45.361.055 anos, a indicação Double Moon deste calendário eterno bate o recorde mundial anterior em mais de 43 milhões de anos. A distinção ficou validada no dia 10 de junho de 2024.

O Portugieser Eternal Calendar ficou registado no Guinness World Records (GWR) enquanto relógio com fases da Lua mais preciso | Foto: cortesia IWC Schaffhausen

Um caminho

A IWC Schaffhausen lançou o seu primeiro calendário perpétuo há cerca de quarenta anos e tem vindo ao longo dos tempos a aprimorar a indicação das fases da Lua. Desenvolvido por Kurt Klaus, o primeiro calendário perpétuo da marca foi apresentado em 1985 com o Da Vinci Perpetual Calendar Chronograph (Ref. IW3750) e tinha uma precisão de indicação das fases da Lua de 122 anos. Em 2003, o Portugieser Perpetual Calendar (Ref. 5021) já oferecia uma exibição das fases da Lua com uma precisão de 577,5 anos. Agora, o novo Portugieser Eternal Calendar vai além destas conquistas passadas.

Os desafios

Portugieser Eternal Calendar | Fotos: cortesia IWC Schaffhausen

De acordo com a marca, na exibição das fases da Lua, é colocado um mecanismo de engrenagem desmultiplicador entre o módulo do calendário base e o disco das fases da Lua. Desta forma, reduz-se a duração de um mês civil para a duração de um mês sinódico, equivalente a 29 dias, 12 horas, 44 minutos e 2,88 segundos. A precisão desta indicação depende do número de rodas utilizadas, das suas proporções e do seu número de dentes. Para o Portugieser Eternal Calendar, concebeu-se um mecanismo desmultiplicador com três rodas intermédias – mais duas que no módulo anterior com uma precisão de 577,5 anos. Este mecanismo ajusta com uma melhor precisão a duração de um mês de calendário à de um ciclo lunar completo.

A explicação do funcionamento do intricado relógio agora distinguido | Vídeo: IWC Schaffhausen, via Youtube

Para desenvolver uma solução que fosse robusta, funcional e fiável por períodos de tempo tão longos, foram definidos parâmetros-chave, nomeadamente, o número mínimo e máximo de dentes por roda. Um programa de simulação computadorizado calculou assim quase 23 trilhões de combinações diferentes de rodas e dentes. E ao longo do processo trabalhou-se no sentido da combinação perfeita de rodas para esta aplicação específica. Assumindo uma duração constante do mês sinódico já referida, a exibição só se desviaria teoricamente da órbita da Lua um dia após 45.361.055 anos.

Com um desvio teórico de um dia em 45.361.055 anos, a indicação Double Moon deste relógio bate o recorde mundial anterior em mais de 43 milhões de anos | Foto: cortesia IWC Schaffhausen

Por fim, para esta maior precisão procedeu-se ainda à minimização da folga entre as rodas através da otimização da geometria dos dentes e de abordagens alternativas de fabrico dos pequenos componentes. Optou-se assim por um processo de litografia, galvanoplastia e moldagem. Designado LIGA, este processo permite a produção de microestruturas particularmente homogéneas e suaves com um superior grau de precisão.

Lembramos que o Portugieser Eternal Calendar foi a principal novidade apresentada este ano pela IWC no Watches and Wonders e foi nela que Hans Zimmer se inspirou para criar a composição musical que animou o stand da marca durante o evento.

Para saber mais sobre este relógio, visite o site oficial da IWC.

Outras leituras