Óscares 2024: a Rolex e o Cinema

A Rolex tem vindo, ao longo dos tempos, a desenvolver uma sólida relação com o Cinema. A parceria com a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas é apenas um exemplo dessa aposta. A propósito da cerimónia de entrega dos Óscares 2024, relembramos o modo como a marca conquistou um lugar muito próprio no mundo da sétima arte.

A Rolex tem surgido, ao longo dos tempos, em muitos pulsos do mundo do cinema e o mundo do cinema tem desta forma contribuído para o reconhecimento universal da Rolex. São inúmeros os filmes em que os seus relógios fazem parte da narrativa, sem qualquer implicação oficial da marca – a começar pelos primeiros filmes da saga James Bond, que inspiraram muitos a tornarem-se colecionadores –, mas também são muitos os nomes do cinema que escolhem ou escolheram Rolex na sua vida quotidiana.

A Rolex no Cinema | Vídeo: Rolex

O aparecimento nos pulsos tem a sua relevância até porque quando surgem, não surgem por acaso. Muitas vezes, os relógios são relevantes para a personalidade da personagem de um filme, dando pistas sobre a sua história ou o seu modo de de estar, por exemplo. Neste sentido, um dos mais carismáticos Rolex da sétima arte é o GMT-Master que Marlon Brando usou enquanto Colonel Walter E. Kurtz em Apocalypse Now. O seu carisma advém do facto de ter sido usado sem luneta e por ter estado desaparecido durante muitos anos. O mistério do seu desaparecimento ficou resolvido em 2019, ano em que o filme de Francis Ford Coppola celebrou o seu 40.º aniversário. O relógio de Marlon Brando (Ref. 1675) acabou por ser leiloado no dia 10 de dezembro de 2019 por 1.952.000 dólares.

Marlon Brando durante as filmagens de Apocalypse Now | Foto: Mary Ellen Mark | E o Rolex GMT-Master que o ator usou no filme | Foto: Phillips

Mas além desta relação bem conhecida, a Rolex acabou por revelar-se como participante ativo no mundo Cinema por direito próprio ao incentivar a preservação e transmissão das artes cinematográficas, promovendo a excelência e celebrando o progresso através de diversas iniciativas. A propósito da 96.ª edição dos Óscares da Academia, salientamos hoje alguns pontos que nos mostram o modo como a Rolex se tem movido nesta área.

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas

Óscares Rolex Greenroom Rolex
A Green Room de 2024 presta homenagem ao mundo vegetal | Imagem: Rolex

Em 2017, a Rolex selou uma parceria com a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas. A marca tornou-se, assim, Exclusive Watch of the Academy, Proud Sponsor of the Oscars® e Exclusive Sponsor of the Governors Awards, uma distinção promovida pela Academia que presta homenagem a carreiras da indústria cinematográfica. Desta forma, a marca salienta que promove a excelência, o perpetuar do conhecimento, a conservação da arte e o surgimento de novos talentos. A Academia tem como missão celebrar todos os aspetos da indústria cinematográfica, preservar o seu legado para as gerações futuras, bem como inspirar e estabelecer ligação com o público através da sua paixão pelo cinema.

Óscares Rolex greenroom
A Greenroom 204 apresenta a representação de um ambiente vegetal leve e delicado, utilizando a imagem de leques como inspiração | Imagem: Rolex

No âmbito desta parceria, a Rolex assina também a Greenroom no Dolby Theatre, um lounge preparado para acolher os nomeados e convidados, antes e depois da entrega dos Óscares. A sala tende a estar decorada a rigor de acordo com um tema definido. Este ano a marca deu destaque ao mundo vegetal. Mais do que uma mera homenagem a identidade cromática da marca, a decoração escolhida surge como uma celebração da natureza. Neste sentido, o espaço apresenta a representação de um ambiente vegetal leve e delicado, utilizando a imagem dos leques como inspiração.

Óscares Rolex greenroom
Leques que dão vida à Greenroom 2024 | Imagem: Rolex

O conceito integra elementos essenciais da natureza – estruturas orgânicas e clorofila – e visa criar harmonia entre eles através de um universo cromático. As formas deste universo vegetal, criado com materiais de origem sustentável, evocam depois detalhes caraterísticos dos próprios relógios Rolex. Em exibição na Greenroom está o Oyster Perpetual Day-Date 40 em ouro Everose.

Academy Museum of Motion Pictures

Vista exterior Academy Museum of Motion Pictures © Rolex
Academy Museum of Motion Pictures | Foto: Rolex

A Rolex é parceira fundadora e relógio oficial do Academy Museum of Motion Pictures, um museu, em Los Angeles, dedicado ao Cinema. O edifício em si tem, desde logo, muito para contar, graças à sua cúpula de vidro projetada por Renzo Piano, vencedor do Pritzker Prize. No interior, podemos contar com 4500 metros quadrados de espaço de galeria para exposições temporárias e permanentes, duas salas de cinema e um estúdio e áreas para realização de eventos públicos e cerimónias. No terceiro andar, encontra-se a Rolex Gallery, com exposições modulares, projetadas enquanto jornadas singulares em diferentes momentos na história de um filme.

Vista aéria Academy Museum of Motion Pictures
Um templo do cinema: Academy Museum of Motion Pictures | Foto: Rolex

A exposição core, intitulada «Stories of Cinema» revela alguns dos segredos que estão por trás da produção cinematográfica. Mas há muito mais para descobrir neste templo dedicado ao mundo da sétima arte. Por outro lado, destaque ainda para a Gala organizada por esta instituição que visa angariar apoio para as suas diversas iniciativas, contando com a parceria da Rolex. Em dezembro de 2023, Meryl Streep, Michael B. Jordan, Oprah Winfrey e Sofia Coppola foram as personalidades homenageadas.

Rolex Mentor and Protégé

Promovido pela Rolex desde 2002, o programa Mentor and Protégé é uma iniciativa que recupera a tradicional cadeia de transmissão de saber com base na ligação mestre/aprendiz. Tendo como lema a preservação do património artístico e a estimulação da criatividade, a iniciativa promove o diálogo entre artistas de diferentes gerações e de diversas áreas. Entre elas, encontra-se a área do cinema.

À esquerda: o realizador filipino Rafael Manuel. À direita: o cineasta chinês Jia-Zhang-Ke. Respetivamente, discípulo e mentor em 2023/2024 | Fotos: cortesia Rafael Manuel e Jia-Zhang-Ke

Neste âmbito, foram já alguns os nomes de referência a serem convidados para mentores, nomeadamente, Martin Scorcese, Alfonso Cuarón, Alejandro G. Iñárritu, Walter Murch, Zhang Yimou, Stephen Frears, Mira Nair e Spike Lee. Enquanto mentores, cada um dos cineastas acompanhou jovens em ascensão, de modo a legarem um saber, transmitirem os seus conhecimentos e propiciarem a partilha de experiências. O realizador filipino Rafael Manuel e o cineasta chinês Jia-Zhang-Ke são, respetivamente, o discípulo e o mentor da área do Cinema na edição 2023/2024 do programa.

Rolex Testimonees

ROLEX TESTIMONEE MARTIN SCORSESE.
Nomeado na categoria de Melhor Realizador nos Óscares 2024, Martin Scorsese é um Rolex Testimone | Foto: Rolex

James Cameron e Martin Scorsese são os atuais Rolex Testimonees, cineastas cujas carreiras e feitos vão ao encontro dos valores da Rolex. Cada um deles tem-se destacado à sua maneira, não apenas através do seu trabalho enquanto realizadores, mas também por diferentes outros projetos que têm vindo a concretizar. Para a marca, Martin Scorsese é um realizador eclético e humanista com uma visão única que explorou todos os géneros – desde filmes de época a thrillers, de filmes Noir a musicais e dramas psicológicos – e o seu vasto trabalho deu origem a personagens que fizeram história no cinema. Por outro lado, Scorsese está por trás da The Film Foundation, que se dedica à preservação e restauro do cinema mundial, um empreendimento que conta com o apoio da Rolex.

James Cameron à chegada do seu mergulho ao fundo da fossa das Marianas.
James Cameron, Rolex Testimonee, à chegada do seu mergulho ao fundo da fossa das Marianas | Foto: Rolex

Já James Cameron tem construindo um longo caminho que passa por duas áreas: cinema e exploração. Foi ele que, em 2012, em parceria com a Rolex (e depois de ter realizado o filme O Abismo), se aventurou pela Fossa das Marianas, descendo 10.908 metros no submersível Deepsea Challenger por ele projetado. Desta forma, superou o feito de Don Walsh e Jacques Piccard que, em 1960, desceram a 10.916 metros de profundidade. No pulso, Cameron levou um Rolex Oyster Perpetual Deepsea Challenge, um relógio experimental de mergulho preparado para enfrentar os 12.000 metros de profundidade. Esta sede de exploração faz-se ver também nos seus filmes, já que o realizador tem sido responsável por grandes marcos que superam os limites técnicos e artísticos: Avatar e Titanic são apenas alguns exemplos neste sentido.

Outras leituras