fbpx

Cronógrafos: escalas para todos os gostos

Os cronógrafos surgem frequentemente acompanhados por escalas – sobretudo taquimétricas, telemétricas, pulsométricas – mas poucos são aqueles que as sabem conjugar com as funções cronográficas. Aqui vai a explicação e o manual de utilização de um adorno que se pode revelar bem mais útil do que se pensa…

Numa sociedade que passou a ser gradualmente avaliada ao segundo, o homem moderno agarrou o momento – tornando-se dono da velocidade e da técnica ao longo do século XX para elevar ainda mais a fasquia na vertigem do século XXI. E uma das razões que alimentam o fascínio do homem pelo relógio é precisamente a sensação de domínio do tempo; para essa impressão são necessárias duas condições: que possa funcionar sem qualquer intervenção artificial (a simples operação de substituição da pilha em modelos de quartzo é um desvirtuar dessa premissa) e que apresente o maior número possível de funções que reforcem a ideia de controlo temporal (a captura do tempo é uma quimera tão antiga como a humanidade). O cronógrafo mecânico satisfaz ambos os parâmetros e personifica a mestria do tempo com uma veia lírica: numa existência contemporânea em que o tempo parece voar cada vez mais depressa, permite-nos capturar um momento da eternidade e congelá-lo para sempre!

Patek Philippe Multi-Scale Chronograph REF. 5975 © Patek Philippe
Patek Philippe Multi-Scale Chronograph REF. 5975 © Patek Philippe

Cronógrafo

Para além de dar a conhecer as horas, o cronógrafo possibilita a medição de intervalos temporários na vida diária ou na atividade desportiva – ou seja, permite dominar os tempos do nosso tempo. É útil para todos e indispensável para muitos, mas é sobretudo um símbolo incontornável da era moderna e tem escrito os progressos do homem nos últimos dois séculos… e escrever o tempo é transcrever a história do mundo. Curiosamente, a origem etimológica da palavra cronógrafo significa isso mesmo: escrever o tempo (do grego graphein, escrever, e chronos, tempo). A função cronográfica também torna qualquer relógio mais interativo, e logo mais apelativo: o utilizador pode ‘brincar’ com ele, acionando e parando o mecanismo. E aproveito a deixa para fazer uma confissão: na verdade, sou sobretudo um apaixonado pelos cronógrafos mecânicos de mostradores analógicos porque gosto particularmente da estética mais preenchida do mostrador e de uma auréola mais raçuda; não utilizo a função cronográfica para muito mais do que medir o tempo que o moroso Rafael Nadal demora entre os pontos quando estou a comentar os seus encontros no Eurosport… e ver a que distância estão a cair os raios em altura de trovoada, não vá o diabo tecê-las. Mas para isso é preciso que na altura tenha no pulso um cronógrafo com escala telemétrica…

Rolex Daytona
Rolex Daytona – Platinum, 2013 © Rolex/Joël Von Allmen

Grande parte do apelo visual dos cronógrafos prende-se com o seu grafismo mais técnico e instrumental, que é frequentemente fomentado por uma (por vezes duas ou três) escala que surge na luneta, no perímetro ou até mesmo no centro do mostrador. Há modelos que devem mesmo uma boa parte da sua personalidade ao uso criterioso dessa escala, sendo que alguns cronógrafos até são batizados por essa característica estar em particular evidência. A escala mais frequente é mesmo a do taquímetro pelo seu desígnio mais associado à velocidade e ao desporto, sendo que as escalas do telémetro (distância) e do pulsómetro (frequência cardíaca) surgem sobretudo em cronógrafos de características clássicas ou vintage; antigamente, quando não havia computadores ou instrumentos eletrónicos, havia cronógrafos com todo o tipo de escalas e réguas que proporcionavam diversos cálculos e até permitiam medir os períodos dos parquímetros ou das chamadas telefónicas. Mas o que é verdadeiramente comum é o desconhecimento sobre essas escalas ou a sua utilização…

Taquímetro

A mais popular e frequente escala é a escala taquimétrica, que permite medir a velocidade de um veículo cronometrando o tempo necessário para se percorrer um quilómetro; aciona-se o cronógrafo e, um quilómetro depois, o ponteiro cronográfico dos segundos indica a média da velocidade desse quilómetro percorrido na escala taquimétrica circular que pode surgir gravada na luneta da caixa, localizada no perímetro do mostrador ou em espiral no centro.

Tudor Black Bay Chrono S&G | © Tudor
Tudor Black Bay Chrono S&G com escala taquimétrica © Tudor
TAG Heuer Formula 1 Aston Martin Red Bull Racing © TAG Heuer
TAG Heuer Formula 1 Aston Martin Red Bull Racing © TAG Heuer

Telémetro

A escala telemétrica permite medir uma distância em quilómetros com base na velocidade do som; exemplo: dá-se início à cronometragem quando se avista um relâmpago e pára-se a cronometragem quando se ouve o trovão; o ponteiro do cronógrafo indica, na escala telemétrica que normalmente surge na orla do mostrador, a distância que separa o observador do local onde ocorreu o fenómeno.

Junghans Meister Telemeter © Junghans
Junghans Meister Telemeter © Junghans
Montblanc 1858 Split-Second Chronograph-Watch com escala taquimétrica e telemétrica © Montblanc
Montblanc 1858 Split-Second Chronograph-Watch com escala taquimétrica e telemétrica © Montblanc
Longines Telemeter Chronograph © Longines
Longines Telemeter Chronograph © Longines

Pulsómetro

Uma ajuda à saúde: a escala pulsometrica permite um rápido calcular da pulsação de uma pessoa e era sobretudo muito utilizada em relógios de médicos. A maior parte das escalas pulsométricas estão calibradas de 15 a 30 pulsações; quando se inicia a contagem do cronógrafo à primeira pulsação, pára-se o cronógrafo ou à 15º ou à 30ª pulsação – a indicação do ponteiro dos segundos na escala dá o cálculo da frequência cardíaca por minuto do utilizador.

Montblanc Heritage Manufacture Pulsograph Limited Edition © Montblanc
Montblanc Heritage Manufacture Pulsograph Limited Edition © Montblanc
A. Lange & Söhne 1815 Chronograph Black Dial Pulsometer © A. Lange & Söhne
A. Lange & Söhne 1815 Chronograph Black Dial Pulsometer © A. Lange & Söhne
Bell & Ross Vintage Garde-Côtes Chronograph © Bell & Ross
Bell & Ross Vintage Garde-Côtes Chronograph © Bell & Ross
Graham Chronofighter Vintage © Graham
Graham Chronofighter Vintage © Graham

Outras leituras