fbpx

H. Moser & Cie: Streamliner Flyback Chronograph Automatic Funky Blue

Pouco depois de o seu Streamliner Flyback Chronograph ter sido consagrado Cronógrafo do Ano, a H. Moser & Cie. desvelou uma apelativa variante em mostrador azul — que aqui fica apresentada, no dia em que o CEO da marca, Edouard Meylan, cumpre mais um aniversário.

Para começar… joyeux anniversaire, Edouard Meylan! O jovem e dinâmico CEO da H. Moser & Cie. cumpre hoje mais um aniversário e como presente temos para lhe dedicar este texto de apresentação da recentemente apresentada versão azul do Streamliner Flyback Chronograph Automatic — desvelada poucos dias depois de a primeira versão, dotada de um mostrador cinzento, ter ganho o prémio de Cronógrafo do Ano no prestigiado Grand Prix d’Horlogerie de Genève.

O galardão foi merecido e previsível. Quando apresentámos o Streamliner Flyback Chronograph Automatic, em janeiro, referimos então que um dos primeiros relógios de 2020 seria garantidamente um dos relógios do ano — e ninguém imaginaria na altura (a não ser os serviços secretos de informação de alguns países…) quão trágico o ano de 2020 seria para o mundo em geral e para a indústria relojoeira em particular, especialmente no que aos tradicionais certames relojoeiros diz respeito. Felizmente, tivemos a oportunidade de ter em mãos antecipadamente, e sob embargo!, tanto a primeira versão de mostrador acinzentado como a mais recente variante azulada. No primeiro caso durante a Dubai Watch Week, no final de 2019, e no segundo durante o Geneva Watch Days, em fins de agosto. E é um cronógrafo extraordinário.

Como referimos no tal extenso artigo que escrevemos em janeiro, o primeiro cronógrafo da Moser é mesmo notável no plano estético e técnico. A herança dos anos 70 é por demais evidente; caixa de forma (cushion), mostrador dégradé, bracelete metálica integrada no design e utilização de um material democrático como o aço num produto de prestígio — sendo que esse ‘caráter metálico’ está diretamente associado ao seu nome: os primeiros comboios de grande velocidade dos anos 20 e 30 estavam revestidos de aço e tinham um aerodinamismo curvilíneo. Apesar desse legado da locomoção e da relojoaria do passado, o seu visual personalizado é bem distinto das mais recentes linhas inspiradas na década de 70 lançadas nos últimos tempos… e têm sido muitos, numa impressionante onda de revivalismo retromodernista depois de quase uma década em que predominou sobretudo a estética neovintage de caixa redonda e asas tradicionais. O Streamliner Flyback Chronograph Automatic foi pensado a partir da bracelete metálica — e não o contrário.

H. Moser & Cie Streamliner

Aquando da revelação privada do primeiro Streamliner Flyback Chronograph Automatic de mostrador cinzento, Edouard Meylan revelou-nos durante a Dubai Watch Week que optou propositadamente por não estrear o modelo com o típico mostrador azul que está invariavelmente associado aos modelos de design integrado da década de 70 e seus sucedâneos. Mas a cor azul foi e continua a ser preferencial, porque é mesmo a cor que melhor funciona numa significante estrutura ‘Full Metal’ — os reflexos azulados do aço ‘pedem’ mesmo um mostrador azul. Obviamente, Edouard Meylan e a sua equipa quiseram fugir inicialmente ao óbvio na versão de estreia, mas já tinham em mente lançar posteriormente a variante de mostrador azul. Até porque os mostradores da H. Moser & Cie. não se parecem com nenhuns outros, mesmo que também sejam azuis!

O mostrador dito Funky Blue proporciona reflexos de várias tonalidades © H. Moser & Cie.

A H. Moser & Cie. foi pioneira na recuperação dos mostradores dégradé no início do presente milénio e chefe de fila da tendência de mostradores fumados que se verifica na relojoaria de há uns três anos para cá. A marca sediada em Neuhausen/Schaffhausen sempre arriscou nesse tipo de acabamento de mostradores e também ousou investir em cores vivas, desde o vermelho ao verde. O Streamliner Centre Seconds Green Matrix, a primeira versão três ponteiros do Streamliner , foi introduzida oficialmente durante o Geneva Watch Days e logo se destacou pelo original tom verde dégradé. O novo Streamliner Flyback Chronograph Automatic Funky Blue passa a ser assim o terceiro modelo de uma família que tem mesmo muito que se lhe diga.

H. Moser & Cie. Streamliner Centre Seconds Matrix Green_09
‘Full Metal Jacket´: o Streamliner Centre Seconds Matrix Green apresentado no Geneva Watch Days © Miguel Seabra/Espiral do Tempo
H. Moser & Cie. Streamliner Centre Seconds Matrix Green_08

As geometrias curvas contribuem para a fluidez das linhas e o resultado final é minimalista, mas de um minimalismo sofisticado no exterior que esconde uma grande complexidade mecânica no seu interior. Porque o Streamliner Flyback Chronograph Automatic Funky Blue, tal como o seu predecessor, inclui o mais recente desenvolvimento do laureado Calibre AgenGraphe — o tal que equipou o cronógrafo Track 1 da Singer Reimagined que colecionou prémios nos últimos dois anos e que foi idealizado pelo mestre Jean-Marc Wiederrecht no seu atelier AgenHor de especialidades mecânicas.

O movimento é baseado no calibre automático AgenGraphe; o rotor está ‘escondido’ entre o movimento e o mostrador © H. Moser Cie

Na sua primeira versão (usada no Track 1 da Singer Reimagined e no Visionnaire da Fabergé), o movimento AgenGraphe de embraiagem horizontal dá todo o protagonismo à vertente cronográfica: os ponteiros das horas, dos minutos e dos segundos com eixo central pertencem ao cronógrafo, não estão lá para dar o tempo (embora seja possível utilizar um subterfúgio para isso: acionar o cronógrafo a partir da meia-noite ou meio-dia e utilizar os ponteiros cronográficos como ponteiros ‘normais’); a indicação das horas e dos minutos é fornecida através de dois discos na periferia. Já nas duas versões entretanto desveladas do Streamliner Flyback Chronograph Automatic, o AgenGraphe surge transformado em calibre HMC 902 com uma alteração significativa: as horas e os minutos deixam de ser indicados em discos para passarem a ter ponteiros tradicionais de eixo central; no que diz respeito à vertente da cronometragem, desaparece o ponteiro das horas e ficam apenas os ponteiros cronográficos dos minutos e dos segundos ao centro, com o ineditismo suplementar de serem ambos de retorno instantâneo (a função flyback).

Outra das valências técnicas: os tubos de luminescência utilizados nos ponteiros © H. Moser Cie

As nossas impressões

São praticamente as mesmas da análise final feita à primeira versão… com o acrescento suplementar de que o mostrador Funky Blue azul é mesmo mais bonito do que o cinzento. Enquanto aficionado tanto da arquitetura relojoeira dos anos 70 como das caraterísticas técnicas do calibre cronográfico desenvolvido pela AgenHor, só poderia ter ficado completamente rendido ao novo instrumento do tempo assinado pela H. Moser & Cie — que é um cocktail de códigos estéticos modernistas do século XX dotado da mais desenvolvida micromecânica do século XXI. Sendo eu assumidamente um ‘Chrono Guy’, muitas das restantes caraterísticas batem certo com tantas outras preferências minhas: caixa de forma, mostrador dégradé e até uma bracelete que de algum modo é reminiscente do relógio dos anos 80 que eu gostava de ter (o Sport Classic da Ebel). O diâmetro é enganador porque a arquitetura integrada — sem as asas tradicionais — faz com que assente em pulsos médios e pequenos bem melhor do que os 42,3mm indicados poderiam fazer supor (o Streamliner Centre Seconds simples de três ponteiros apresentado em agosto é mais pequeno, com 40mm). O contacto é também muito agradável no plano táctil devido às suas formas orgânicas e curvilíneas. Enfim, uma peça de grande originalidade que não é tão exclusiva como o modelo de mostrador cinzento, que teve uma tiragem oficialmente limitada a somente 100 exemplares e já esgotada, mas cuja produção é forçosamente restrita devido à complexidade do movimento HMC 902 baseado no AgenGraphe.



Características Técnicas

H. Moser & Cie.
Streamliner Flyback Chronograph Automatic Funky Blue

Referência/ 6902-1200
Movimento/ Mecânico de corda automática, Calibre HMC 902 desenvolvido com a AgenHor para a H. Moser & Cie, mínimo 54 horas de reserva de corda, 21.600 alt./h., 55 rubis.
Funções/ Horas, minutos, cronógrafo com indicação central para os minutos e segundos decorridos, cronógrafo flyback.
Caixa ∅ 42,3 mm/ Aço. Vidro de safira. Fundo transparente. Coroa de rosca às 4 horas. Estanque até 120 metros (permite que a função cronógrafo e flyback sejam usadas debaixo de água).
Bracelete/ Integrada de aço com fecho de báscula.
Preço/ CHF 39.900

Visite o site oficial da  H. Moser & Cie para mais informações.

Outras leituras