fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Novidades: a nossa escolha das marcas LVMH

O primeiro evento relojoeiro de 2023 foi a tradicional semana que juntou as marcas do pólo relojoeiro do grupo LVMH e deu a conhecer as primeiras novidades do ano da TAG Heuer, Zenith, Hublot e Bulgari — preparámos um top 5 que entretanto teve de ser adaptado para englobar mais alguns modelos. Porque a LVMH Week estendeu-se de Singapura a Nova Iorque…

É já tradicional que as direções das marcas do pólo relojoeiro do Grupo LVMH (TAG Heuer, Zenith, Hublot e Bulgari) se reúnam no início de cada ano e apresentem algumas novidades de destaque. E, depois de várias edições no Dubai, a LVMH Week teve este ano lugar em Singapura — talvez o mais avançado mercado do mundo no sector da relojoaria de luxo e onde se encontram alguns dos maiores colecionadores do planeta. Foi lá que o quarteto de maisons divulgou a esmagadora maioria dos novos lançamentos… mas não todos. Porque a LVMH Week transitou seguidamente para Nova Iorque e foi então que surgiu um último relógio que não podemos deixar de incluir na seleção.

LVMH Watch Week
Quatro Mosqueteiros: Julien Tornare, Frédéric Arnault, Ricardo Guadalupe e Antoine Pin (no lugar do CEO Jean-Christophe Babin) © LVMH

Os respetivos CEOs — Frédéric Arnault (TAG Heuer), Julien Tornare (Zenith), Ricardo Guadalupe (Hublot); o diretor Antoine Pin substituiu Jean-Christophe Babin (Bulgari) — foram os anfitriões e apadrinharam as múltiplas estreias partilhadas com a imprensa especializada. Desse lote de novidades, escolhemos dois exemplares de cada marca. Aqui fica a seleção.

TAG Heuer

O ano de 2023 é marcado pelo 60º aniversário do emblemático Carrera, pelo que uma das novidades tinha obrigatoriamente que ver com essa efeméride. A marca sedeada em La Chaux-de-Fonds também apresentou o Aquaracer Professional 200 Solargraph com a nova tecnologia de alimentação solar e dois modelos novos Connected, mas aqui ficam os eleitos:

Muito panda: o Carrera Chronograph 60th Anniversary Edition joga com o prata e o preto | © TAG Heuer

O CARRERA CHRONOGRAPH 60TH ANNIVERSARY EDITION abre com estilo as hostilidades no que à celebração de um ícone diz respeito. E a escolha recaiu sobre uma reinterpretação muito próxima de uma das primeiras versões Carrera desenhadas por Jack Heuer e desveladas em 1963: o modelo com a referência 2447 SN com mostrador ‘Panda’ assente numa base metalizada e três contadores pretos. Só que em vez de uma caixa de 34mm e de um calibre de corda manual, o relógio de tributo tem 39mm de diâmetro e é motorizado pelo Calibre Heuer 02 de corda automática com roda de colunas e está limitado a 600 exemplares. Vidro sobressaído ao estilo glass box, índices e ponteiros com uma tonalidade ligeiramente creme para potenciar o perfume vintage e botões cogumelo para as funções cronográficas completam o pacote — adornado com uma correia de pele perfurada de estilo racing. Afinal de contas, é um relógio inspirado na lendária corrida Carrera Panamericana. E junta-se a outras apetecíveis edições limitadas lançadas nos últimos tempos, como a de mostrador prateado de 2020, a folia Montreal de 2020 e a de mostrador vermelho que fez capa da Espiral do Tempo em 2022.

Automático: rotor personalizado no Carrera Chronograph 60th Anniversary Edition | © TAG Heuer

Também o MONZA FLYBACK CHRONOMETER traz de regresso um nome mítico no historial da TAG Heuer, mas que é pela primeira vez reinterpretado de modo resolutamente vanguardista após algumas reinterpretações livres no inicio dos anos 2000 e uma reedição mais fiel de 2016 que chegou a ser capa da Espiral do Tempo. O novo Monza é mesmo futurista e, mesmo que a caixa de formato cushion seja sempre um piscar de olhos ao passado, a utilização do carbono ultraleve na estrutura e o mostrador translúcido de base esqueletizada dão-lhe um espírito completamente diferenciado.

Regresso ao Futuro: o Monza Flyback Chronometer | © TAG Heuer

O Calibre Heuer 02 COSC Flyback tem certificação oficial de cronómetro e apresenta a sempre útil função suplementar de retorno instantâneo. Os tons vivos azul e vermelho nos detalhes do mostrador destacam-se no conjunto escurecido e evocam um espírito especial de corrida.

Alto rendimento: o movimento cronográfico do Monza Flyback Chronometer | © TAG Heuer

Zenith

A Zenith continua a investir fortemente na coleção Defy, mas fá-lo em duas direções: enrobustecendo a linha bestseller Defy Skyline com uma nova variante esqueletizada, uma edição de boutique e novos tamanhos de 36mm com mostradores coloridos; juntando mais uma versão Defy Extreme com o Glacier inspirado nos tons glaciares; e recuperando outro modelo Defy do final da década de 60/início dos anos 70 para a coleção de cápsula Revival. Aqui ficam os dois modelos eleitos:

Paixão e emoção: mostrador vermelho sangue do novo Defy Revival A3691 | © Zenith

O DEFY REVIVAL A3691 de mostrador vermelho-sangue só foi apresentado após o certame de Singapura e vem secundar o Defy Revival A3642 com mostrador gradiente em tons creme/acastanhados que foi lançado há um ano. Mas não será uma edição limitada, uma vez que irá ter produção regular. As dimensões são exatamente as mesmas, com o diâmetro de 37mm, o estilo fiel ao original de geometria octogonal e a bracelete em escada Gay Frères. As diferenças residem no mostrador ligeiramente fumado que transmite toda a paixão do encarnado (quem diria que o vermelho se tornaria num tom tão querido dos aficionados?) patente no original A3691 de 1971 e ainda no fundo transparente em vidro de safira que mostra o Calibre Elite de manufatura com corda automática. Um favorito pessoal nesta seleção da(s) Semana(s) LVMH!

No pulso: o novo exercício de estilo da Zenith inspirado nos anos 70 | © Zenith

O DEFY SKYLINE SKELETON adota o mostrador esqueletizado tão ao gosto de certos aficionados e que também está presente em outros modelos de arquitetura integrada (do Royal Oak da Audemars Piguet ao Laureato da Girard-Perregaux) que hoje em dia capturaram definitivamente o imaginário do consumidor. É um rosto contemporâneo e urbano que se junta a uma estrutura retrofuturista inspirada nos clássicos modernos da década de 70.

Potência arquitetónica: a geometria do Defy Skyline Skeleton | © Zenith

No entanto, a Zenith junta-lhe um submostrador de pequenos segundos rápidos às seis horas, em virtude do lendário calibre El Primero ter sido reduzido às horas, minutos e segundos (sem funções cronográficas): um vez de uma volta num minuto, o ponteiro dos segundos dá uma volta em 10 segundos! Como em todos os modelos Defy Skyline, o conjunto da caixa com a bracelete apresenta um sistema de troca rápida que permite a utilização de braceletes de cauchu na coleção Defy Skyline.

Estrelado: o rotor do Defy Skyline Skeleton | © Zenith

Hublot

Muita ousadia, cores psicadélicas e um regresso ao passado — foram essas as diretrizes da Hublot para os modelos da coleção regular e edições limitadas nos segmentos Classic Fusion, Big Bang, Big Bang Unico e Spirit of Big Bang.

Três tamanhos e três materiais: Classic Fusion Original | © Hublot

A Hublot já tinha experimentado regressar ao seu modelo de origem com o lançamento da linha Classic Fusion — mas os novos CLASSIC FUSION ORIGINAL são ainda mais fiéis ao design do primeiro relógio da marca fundada por Carlo Crocco. O logo foi estilizado e novos materiais são utilizados em versões de 42mm, 38mm e 33mm em aço, ouro amarelo e cerâmica negra. Todos eles com um mostrador preto minimalista e um movimento de carga automática.

Detalhe: o microrrotor do Big Bang Tourbillon Automatic Saxem Yellow Neon | © Hublot

O BIG BANG TOURBILLON AUTOMATIC SAXEM YELLOW NEON (nome pequenino, hein?) é mais um exercício de estilo da Hublot, marca que se especializou em caixas de cerâmica e safira — e que volta a criar um modelo translúcido mas em Saxem, um material usado em satélites e lasers. A cor amarelo-esverdeada é verdadeiramente única e assume cambiantes de tonalidades consoante a incidência de luz, mantendo uma rigidez extrema. A transparência permite apreciar bem, embora numa ótica colorida, o calibre automático de manufatura com turbilhão e alimentação a partir de um microrrotor. Uma extravagância limitada a 50 exemplares.

Personalidade translúcida: Big Bang Tourbillon Automatic Saxem Yellow Neon | © Hublot

Bvlgari

A Bulgari apresentou modelos exclusivamente femininos para destacar toda a herança joalheira da griffe romana, reservando as restantes novidades — incluindo novas aventuras da saga Octo Finissimo — para o resto da temporada. 

Muito ‘venenosos’: os novos Serpenti Tubogas Infinity | © Bvlgari

O SERPENTI TUBOGAS INFINITY é mais uma variante do relógio-bracelete evocativo da mitológica serpente, uma vez mais revestido de diamantes mas utilizando a tecnologia Tubogas para potenciar de forma mais extensível e enleante a magnífica bracelete. Está disponível em duas variantes — com bracelete de uma volta e com bracelete de duas voltas, em ambos os casos com um calibre de quartzo.

Composição floral: o Allegra Yellow Sapphires | © Bvlgari

Já o ALLEGRA apresenta uma configuração floral que destaca um mostrador de madrepérola ao centro que está destacado por uma luneta de diamantes e diferentes combinações de pedras preciosas em guisa de pétalas — um sortido de gemas de citrino, turmalina, peridot e rodalite. Um belo bouquet com movimento de quartzo.

Outras leituras