O melhor remédio: relógios que fazem sorrir

Há relógios que nos fazem sorrir. Já alguma vez tinha reparado? Há relógios que nos fazem sorrir sem darmos conta e há relógios divertidos, pensados para despertar o nosso lado mais feliz. Há ainda relógios que nos fazem sorrir por serem guardadores de memórias ou por evocarem momentos únicos. Depois, há relógios que nos fazem sorrir porque gostamos de olhar para eles, por serem como são ou significarem o que significam. Há mil e uma maneiras de a relojoaria despertar o nosso sorriso. Tem algum relógio assim?

Partimos de uma ideia bem conhecida: os relógios de pulso quando são fotografados ou expostos em montras têm geralmente os ponteiros das horas e dos minutos às 10h10m. Diz-se que os ponteiros assim dispostos transmitem emoções positivas, fazendo lembrar uma cara com um sorriso. Tudo isto tem nuances, claro, e há outras formas de posicionar os ponteiros, pelas mais diferentes razões. Mas, independentemente de a posição sorridente dos ponteiros despertar ou não emoções positivas nos clientes, a relojoaria tem muitas outras formas de despertar o nosso sorriso.

Be happy

Se queremos falar de sorrisos em relojoaria, teremos sempre de começar pelo mais feliz dos relógios de pulso: o Happy Sport da Chopard. Lançado em 1993, sob a alçada do espírito criativo de Caroline Sheufele, atual diretora artística e copresidente da marca, o Happy Sport distingue-se pelos diamantes que dançam entre vidros sobre o mostrador e é uma coleção que tem de facto vivido sob a égide da boa disposição. Sempre bem vivos, estes relógios têm vindo a evoluir ao longo dos tempos e conseguem sempre surpreender. A ideia base tornou-se quase assinatura da marca – «os diamantes são mais felizes quando estão em movimento» – e nasceu do conceito Happy Diamonds desenvolvido pela Chopard nos anos 70.

Dupla felicidade nesta foto: o novo Happy Sport Rose de Caroline com os divertidos diamantes móveis e os ponteiros posicionados às 10h10 | Foto: cortesia Chopard

Já o Pioneer e Pioneer TourbillonMega Cool da H.Moser & Cie também têm uma origem que merece ser contada. Além de terem nascido como resposta ao desejo de momentos leves e descontraídos, tão longínquos dos tempos de pandemia, foram desde o início designados «Mega Cool» enquanto nome de código do projeto que estava em desenvolvimento. O objetivo era criar um relógio que fosse ‘mega cool’, inspirado nos tons verdes das águas das Caraíbas. Depois, perante os protótipos que começaram a surgir, a reação das pessoas foi mesmo positiva e o comentário tão adequado «Isto é mega cool» garantiu o nome final dos relógios.

Pioneer Centre Seconds Mega Cool
O Pioneer Centre Seconds ‘Mega Cool’, lançado em 2021 | Foto: cortesia H. Moser & Cie.

Acaba por ser uma história com alguma piada. E como estas a H. Moser & Cie tem muitas. Mais do que irreverência, é sentido de humor. Todo o seu percurso mais contemporâneo, desde que passou para a liderança de Edouard Meylan, prima por esta forma de existir. Os relógios da marca unem o lado mais tradicional da relojoaria suíça em termos de elevada qualidade a um lado humorístico que a posiciona num patamar à parte no setor. São relógios pensados para nos deixarem com boa-disposição. Outro exemplo recente é a sua mais recente campanha publicitária que dá ‘literalmente’ voz aos seus relógios.

Os divertidos Divers Sixty-Five ‘Cotton Candy’ agora disponíveis em aço. Originalmente, foram lançados com caixas em bronze | Foto: cortesia Oris

Mas da mesma forma que a H. Moser & Cie nos faz sorrir pelo modo como escolhe estar presente na relojoaria, há outras marcas a fazer o mesmo à sua maneira. A Oris tem no cerne dos seus relógios o desejo de nos fazer sentir felizes: «O que fazemos leva felicidade às pessoas, fá-las sorrir», defende Rolf Studer, Co-CEO da Oris. Por isso, não só lança modelos consensuais, como arrisca apresentar relógios descontraídos e coloridos, como os Cotton Candy, ou simbólicos, como os modelos Hölstein Edition, lançados a 1 de junho, dia do aniversário da marca. Neste último caso, o fundo destaca sempre o simpático Oris Bear, mascote que é símbolo de positividade e de felicidade para a marca. Mas, no domínio do sorriso, temos ainda de destacar o Oris ProPilot X Kermit Edition, lançado em 2023.

Oris ProPilot X Kermit Edition no pulso
No ProPilot X Kermit Edition da Oris, o Sapo Cocas aparece na janela da data às 6h no dia 1 de cada mês. A mensagem | Foto: Espiral do Tempo

Neste relógio, o Sapo Cocas surge na janela da data no primeiro dia de cada mês. Um convite ao ‘Me-Time’ que reforça a importância de dedicarmos tempo a nós próprios. «Tal como o mostrador verde, a ideia deste toque suave e divertido é incentivar-nos a não levar a vida demasiado a sério. Olhar em frente, sorrir e fazer algo que nos agrade, que seja divertido. Pode demorar cinco minutos. Para alguns, um momento de reflexão tranquila. Para outros, uma chávena de café, um telefonema, um banho, um pequeno passeio. Encontre a alegria», refere a marca.

As cores

TAG Heuer e KITH
Os novos Formula 1 que recuperam um clássico da TAG Heuer, mas agora em parceria com a Kith | Foto: cortesia TAG Heuer

E chegamos às cores. Se há uns tempos, os relógios eram lançados nas tonalidades discretas de sempre, agora não nos podemos queixar. As cores foram ressurgindo gradualmente com a ajuda da tendência neo-vintage, mas também como resposta ao ambiente vivido durante a pandemia. Um pouco por todo o lado, descobre-se a variedade.

Coloridas peças da coleção ‘Rare Handcrafts 2024’ da Patek Philippe inspiradas no universo do mar e do surf. Um cenário que tende a despertar boas memórias | Fotos: Cesarina Sousa/ Espiral do Tempo

Os relógios azuis têm vindo a ganhar novamente protagonismo, em especial nos tons mais claros, como acontece este ano; já os relógios verdes continuam a marcar a sua posição – também em diversas tonalidades e temos ainda o cor de laranja, o cor de rosa e o vermelho, bem como os tons pastel, salmão e champanhe.

Novidades 2024: Big Bang Unico Ceramic nas versões versões Dark Green e Orange | Foto: cortesia Hublot

Resta saber se a explosão de cores apela ao sorriso dos consumidores, até porque há sempre a questão do gosto pessoal. Uma cor mais viva num relógio de pulso não fará certamente todas as pessoas mais felizes. Mas existirá certamente a cor certa que vai ao encontro das emoções ou sentimentos mais positivos de cada um.

Complicações

Novidades 2024: no Louis Erard x Alain Silberstein Smile-Day é possível escolher um de sete emojis que refletem o nosso estado de espírito | Foto: cortesia Louis Erard

No domínio das complicações em relógios também encontramos relógios feitos para despertar o nosso sorris0. Como sabemos, uma complicação em relojoaria significa todas as funções que vão além da mera indicação das horas, dos minutos e dos segundos. A indicação da data é um exemplo, assim como o dia da semana. Curiosamente, é com esta complicação que a Louis Erard na sua parceria com Alain Silberstein tem lançado modelos interessantes. No caso específico do recente Smile-Day, em vez do dia da semana, podemos escolher entre sete emojis aquele que reflete o nosso estado de espírito.

Oyster Perpetual Day-Date 36 no pulso
Oyster Perpetual Day-Date 36 | © Miguel Seabra / Espiral do Tempo

No ano passado, a Rolex lançou um relógio com um conceito semelhante. Nele, o mostrador multicolor em puzzle oferece um diferente uso dos discos do dia e da data: em vez do dia da semana surgem sete palavras em inglês que evocam positividade e na data aparecem 31 emojis especialmente concebidos pela Rolex.

Horas loucas

Franck Muller Crazy Hours 30th Anniversary
Franck Muller Crazy Hours 30th Anniversary lançado em 2023 | Foto: cortesia Franck Muller

Noutro contexto, existem relógios cujo propósito é mesmo potenciar a diversão. São relógios com complicações lúdicas que muitas vezes significam um trabalho mecânico de exceção. A Franck Muller pode ser bem evocada neste caso, através de modelos como o Crazy Hours – no qual o ponteiro das horas, ao invés de seguir o seu curso normal no mostrador (a habitual rotação que acompanha a numeração sucessiva da 1h às 12h), parece saltar aleatoriamente… quando na verdade salta cinco ‘casas’ da 1h para as 2h (que estão localizadas onde habitualmente estão as 6h), depois mais cinco ‘casas’ das 2h para as 3h (onde tradicionalmente estão as 11h), e assim por diante. A ideia é levar as pessoas a dissociarem as horas de certos momentos do seu dia.

Franck Muller Vegas
Franck Muller Vegas | Foto: Paulo Pires / Espiral do Tempo

Da mesma marca também destacamos o Franck Muller Vegas, que replica no mostrador o jogo da roleta. O botão inserido na coroa ativa um ponteiro central, fazendo-o mover rapidamente, à semelhança do movimento que faz a bola de uma roleta. Depois, o ponteiro para num dos números indicados. Para que serve uma complicação assim? Apenas para divertir quem usa este relógio de pulso. 

Hautlence Pinball e Labyrinth
Hautlence Pinball e Labyrinth | Foto: cortesia Hautlence

Já a Hautlence também não ‘brinca em serviço’ na hora de criar modelos pensados para brincar – mas que não se tratam, verdadeiramente, de complicações lúdicas, até porque, neste tipo de relógios, atrás da complicação esconde-se quase sempre a função de dar horas. Mas as edições limitadas da Hautlence nem sequer permitem ler o tempo. São, antes, relógios de pulso que convidam à descontração. Se no Playground Pinball a diversão é garantida através de um minúsculo jogo de flippers, o Playground Labyrith integra um jogo no qual uma pequena esfera tem de seguir o caminho certo até encontrar a abertura que lhe servirá de destino final. Estes relógios têm já alguns anos, mas a mesma marca conseguiu em 2024 despertar a nossa boa disposição. Como?

Se a Hautlence tivesse nascido nos anos 40, como seriam os seus relógios? Foi esta reflexão que esteve na base do Retrovion ’47, lançado no âmbito do 20.º aniversário da marca | Fotos: Cesarina Sousa/ Espiral do Tempo no Watches and Wonders 2024

Com a edição limitada Retrovison’47, originalmente criada apenas como ‘talking piece’. Perante a aceitação geral, a marca que celebra duas décadas este ano resolveu, assim, produzir dez exemplares desta peça com turbilhão inspirada num rádio dos anos 40.

Histórias e emoções

Diz-nos a MB&F que um adulto criativo é uma criança que não cresceu. E por isso a sua marca é muito um reflexo dos seus gostos de criança. Graças a esta forma de ver o mundo, a MB&F concebe assim máquinas relojoeiras que conseguem mesmo fazer-nos sorrir e muitas delas acabam por ser verdadeiros brinquedos à vista, como acontece com o Sherman, um relógio de mesa em forma de robot.

MB&F Sherman
MB&F Sherman | © MB&F

Na mesma linha, vale a pena ainda referir o mundo da animação como base perfeita para a criação de relógios. O difícil mesmo é não esboçar um sorriso quando olhamos para um Gérald Genta Mickey Mouse Minute Repeater, por exemplo, no qual o braço do Mickey é o ponteiro dos minutos. Ou para um incrível Konstantin Chaykin – Minions Watch.

Konstantin Chaykin Minions
Konstantin Chaykin Minions Watch | Fotos: cortesia Konstantin Chaykin

Existem ainda relógios que nos contam histórias pela interação das personagens criadas (como acontece com a Van Cleef & Arpels), modelos que puxam pelo nosso lado mais sorridente pelo facto de serem peças de incrível conceção ou especialmente bonitas e ainda há um lado mágico. A relojoaria tem mesmo formas de brincar com os nossos sentidos como se de ilusionismo se tratasse.

Uma peça que desperta o nosso sorriso: O autómato Fée Ondine da Van Cleef & Arpels,
elaborado em parceria com François Junod | Foto: cortesia Van Cleef & Arpels
O autómato Fée Ondine da Van Cleef & Arpels,
elaborado em parceria com François Junod | Foto: cortesia Van Cleef & Arpels

Tudo isto são pequenos mundos, criados, em última análise, para agradar todos aqueles que terão o privilégio de poder usar um relógio de pulso, com muito gosto. Até porque mais do que sorrisos despertados por ponteiros, complicações, cores divertidas ou até pelos letterings Smiley Face dos mostradores, os relógios de pulso enquanto objeto acarinhado guardam consigo aquele lado mais simbólico de que existem nas nossas vidas não apenas para cumprir a sua função mais básica, mas porque significam algo de bom e que nos faz sentir bem. E tudo o que é bom pode bem despertar sorrisos. 

LVMH Week 2024: Geral Genta Minute Repeater Mickey, um relógio que desperta o sorriso
Gérald Genta Mickey Mouse Minute Repeater, uma peça única para o Only Watch 2024 | Foto: cortesia Gerald Genta

Artigo originalmente publicado no número 75 da Espiral do Tempo (verão 2021), mas agora revisto e atualizado.


Outras leituras